07/10/15

Parceria: Editora Draco

Olá, pessoas desse Brasil!
Hoje vim aqui falar de mais uma nova parceria do Estante Vertical: é a Editora Draco! Com o objetivo de dar o valor merecido para a literatura nacional aqui no blog, me inscrevi na parceria e espero trazer muitas coisas legais para vocês. 

06/10/15

Maratona Literária de Feriado (12/10)

HEY PESSOAS! Como estão?
Espero que a leitura de vocês esteja rendendo nesses meses finais de 2015, porque as minhas NÃO estão. É por isso que eu resolvi aproveitar o próximo feriado, o tão esperado 12 de outubro, para começar uma maratona. Como eu sei que sozinha eu não vou conseguir chegar LÁ, resolvi envolver todos vocês nessa história. 



Sobre a maratona:

  1. Ela começará à meia-noite do dia 10 de outubro (meia-noite de sexta pra sábado, certo?) e terminará à 23h59 do dia 12 de outubro (meia-noite de segunda para terça);
  2. Não tem tema, não tem quantidade definida de livros. Você escolhe quais livros quer ler e quantos puder. Mas lembre que o objetivo de uma maratona é ler mais do que o que você lê normalmente;
  3. Coloquem a sua lista para a maratona e atualizações sobre as leituras nas redes sociais com a tag #MLdeFeriado.
  4. A maratona não tem inscrições, mas se você quiser participar de um sorteio de marcadores e outras coisinhas legais que eu trouxe da Bienal, é só responder o formulário abaixo:



Conto com vocês nessa maratona! Vamos sair desse sufoco juntos, amigos!

29/09/15

Promoção: Os Bons Segredos

HOJE É DIA DE SORTEIO!
É isso mesmo que vocês leram. Vamos sortear um exemplar de Os Bons Segredos, da Sarah Dessen, que foi um livro que eu adorei de todas as formas possíveis (vocês podem ver a minha opinião na resenha dele). <3

03/09/15

Resenha: Os Bons Segredos, de Sarah Dessen

Título: Os Bons Segredos
Autora: Sarah Dessen
Editora: Seguinte
Páginas: 408
Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho. 



Tenho que admitir que sempre quis ler algo da Sarah Dessen. Apesar de ser uma das grandes autoras de YA, com milhões de exemplares vendidos pelo mundo todo, ela nunca teve uma grande expressão aqui no Brasil e, portanto, eu nunca tinha tido a oportunidade de conhecer a escrita da autora. Porém, a Editora Seguinte, viu que não podia deixar assim e trouxe o último livro da autora para cá. Os Bons Segredos veio como uma grande premissa e eu confesso que abaixei as minhas expectativas ao máximo com medo de me desapontar. Não precisava ter me preocupado tanto: Sarah Dessen conseguiu surpreender pela sua habilidade de tratar temas complicados com a leveza suficiente para envolver o leitor. Simplesmente adorável!

- Foi um dia incrível. Fiz uma curva e lá estava ele. Por muito tempo não contei pra ninguém, nem mesmo pra Layla. Mas depois acabei cedendo. Era um segredo muito bom para deixar guardado.
Bons segredos, pensei. Que ideia interessante. p. 242
Vocês já leram algum livro em que se identificaram tanto com um personagem que, mesmo querendo sentir ódio por alguma ação, você não conseguiria porque sabia que provavelmente faria a mesma coisa caso estivesse no lugar dele? Pois é. Foi exatamente essa a relação que eu tive com Sydney, protagonista de Os Bons Segredos. Por ser um livro narrado em primeira pessoa, a grande proximidade do leitor é com ela e tenho que admitir que ela me cativou aos poucos. Sabem aquela raiva momentânea que você tem quando um personagem só aceita a condição em que vive ao invés de tomar alguma atitude? Pois é. Essa sensação me perseguiu durante as primeiras cem páginas, mas, quando finalmente a magia aconteceu e Sydney me conquistou, vi que não iria conseguir parar de ler o livro enquanto não acabasse.

Isso aconteceu porque Dessen tem a habilidade de conseguir transmitir com leveza os porquês de todas as situações que envolvem os personagens. Com Sydney foi exatamente assim: a medida que eu ia entendendo todos os motivos por trás de suas ações, mais eu me envolvia por ela, já que isso fez com que a minha empatia aumentasse e, portanto, que houvesse aquela identificação que eu citei acima. Esse excelente trabalho de caracterização aconteceu com todos os personagens e, por mais que estes não tenham tido um aprofundamento maior, é impossível não gostar dos Chatham – família à qual pertencem os novos amigos de Sydney – e também não sentir um pouco de pena por toda a situação pela qual a família da protagonista passa (apesar de que algumas vezes foi difícil não sentir um pouco de raiva deles por suas atitudes). A autora conseguiu mostrar todos os lados da história mesmo com a visão limitada que a narrativa em primeira pessoa proporciona e tenho que parabeniza-la por isso.

Uma das grandes qualidades da autora é a ambientação do enredo. Como vocês bem sabem, eu não sou muito fã de livros descritivos e fiquei muito feliz quando vi que Dessen encontrou um ponto de equilíbrio perfeito ao conseguir caracterizar suas cenas e ao mesmo tempo dar espaço para o leitor libertar a imaginação. Tenho que admitir que por isso as pizzas da Seaside me deram água na boca o livro inteiro (e tenho certeza que ninguém vai conseguir terminar de ler um livro sem querer comer uma pizza!) e que as batatas fritas que Layla Chatham tanto gosta também são minhas favoritas. E isso ajudou muito no final das contas, pois a autora trabalha com temas um pouco mais pesados – como família, amizade e amadurecimento – e essa leveza fez com que o livro se tornasse gostoso de ser lido ao mesmo tempo que esses temas foram muito bem trabalhados.

Levei a mão até a medalhinha que Mac tinha me dado, como sempre me pegava fazendo. Meu Santo Qualquer. Eu gostava da ideia de ter alguém olhando por mim, fosse quem fosse. Todos precisamos de proteção, mesmo se nem sabemos do quê. p. 402/403
Os Bons Segredos é um daqueles livros que, à primeira vista, podem não atrair tanta atenção, mas que, quando você começa a ler, não consegue mais parar. É incrível como Sarah Dessen cativa o leitor com sua brilhante forma de contar uma história, sendo leve sem ser superficial. Quando terminei o livro, queria que a autora tivesse escrito só mais algumas páginas, só para que eu não tivesse que me despedir dele tão rapidamente, pois, dessa vez eu senti como se realmente fizesse parte da história e que aqueles ali eram meus amigos de verdade. A saudade que estou sentindo de todos é de cortar o coração e isso me fez ver que esse livro é um segredo bom demais para ficar guardado. Então fica a dica: leia o quanto antes