31/03/2012

Lançamentos #8

Olá leitores! Vocês já estão sabendo o que vai ser lançado nos próximos dias? Não? Então fiquem de olho!


Título: Luna Weisberg e os Troianos
Autora: Jéssica Marise
Editora: Clube de Autores/AIL
Páginas: 144

Um velho feiticeiro foge da fúria dos deuses roubando uma flor criada pela deusa da beleza nórdica, Freya, e viaja no tempo. Ele vem parar exatamente em 1993 na cidade de Londres e tem uma surpresa inesperada! A flor se transforma em um bebê, uma linda menina. Hank, como é chamado, cria a menina com a ajuda de Judith e George, os primeiros amigos que fez em Londres e esconde o passado da menina. Só que esse segredo não pode ficar enterrado para sempre. A menina, Luna, tem estranhos sonhos com uma mulher muito parecida com ela, que a chama toda noite. Decidida que a mulher em seus sonhos é sua mãe, ela vai a Hank e pede a verdade. Em busca pela verdade ela desperta poderes ocultos que a transportam no tempo. Ela acorda em um navio grego em direção a Tróia sendo comandado pelo destemido Odisseu.Com medo de ser morta ou abandonada pelos gregos, Luna decide se passar por oráculo. Ela só não esperava que com isso fosse despertar a ira de Afrodite, a compaixão de Atena e o amor de Aquiles.

  • Editora Novo Conceito
Título: O Sonho de Eva
Autor: Chico Anes
Editora: Novo Conceito
Páginas: 296
Dra Eva Abelar, autoridade mundial em sonhos lúcidos, é informada de que seu filho, Joachim, uma criança autista, desaparece na mesma noite em que sua irmã, Anna, pula do 20º andar de um edifício em São Paulo. Anna era a principal cientista do projeto DreamGame, invento revolucionário que permite à pessoa jogar enquanto dorme.Eva é convidada por Yume a assumir o lugar da irmã e, à procura de respostas, se envolve em uma trama perigosa, que alcança os limites dos desejos inconscientes do homem.Enquanto usa seus conhecimentos para desvendar a morte de Anna e reencontrar Joachim, Eva descobre o quanto a sociedade está vulnerável à tecnologia e aos estímulos subliminares, e como esses estímulos podem sequestrar a liberdade e extinguir o livre-arbítrio.

29/03/2012

Resultado: Pesquisa de Opinião #2

Olá leitores! Como eu tinha dito na primeira parte dos resultados da pesquisa de opinião, aqui está a continuação.


Minha opinião: Essa pergunta é muito interessante. Como vocês podem ver, as opiniões ficaram bem dividas nela. Sinceramente, eu não acho que a editora possa definir um livro. É claro que coisas como diagramação, capa, revisão são coisas muito importantes em um livro, mas o conteúdo dele não pode ser definido porque ele é de tal editora. Mas também não posso negar que quando uma editora que eu gosto anuncia o lançamento de um livro, eu acabo ficando realmente empolgada. Só que, em questão de definição, não acredito que uma editora possa interferir.


Minha opinião: Essa pergunta é mais sobre gosto pessoal mesmo. Eu por exemplo, não tenho tempo para ler e-books, mas não tenho nada contra quem lê. Mas o interessante da pesquisa é que dá para ver que ainda há uma taxa de "rejeição" muito grande em relação aos e-books. O que era tido como um "avanço tecnológico" ainda não conquistou muitos. E acho que todos preferimos pegar um livro, sentir sua textura, cheirar suas páginas do que ler pelo computador, não?


Minha opinião: Preços de e-books, isso é bem interessante de se falar. Gente, eu já vi e-books que custavam mais do livros físicos! Eu acho isso um absurdo! Claro que já vi e-books com preços bem mais em conta, como em alguns sites que vendem estes por U$0.99. Mas é claro que eu não vou comprar caso o ache gratuito na internet. 
Claro que o dinheiro é o de vocês e ninguém tem que se intrometer naquilo que vocês compram, mas eu não compraria e-books por causa do que eu já disse a vocês - não tenho tempo - e eu também acho que esse dinheiro seria melhor empregado em um livro físico que pode me proporcionar muito mais sensações do que um e-book.


Minha opinião: Pra mim, os preços dos livros melhoraram e muito! Eu lembro que há alguns anos atrás era muito difícil eu chegar em uma livraria e sair de lá com algum livro. Então só entrava para ficar admirando as prateleiras, as capas, ler as sinopses... Minha mãe sempre me falava: se você comprar o livro, fica sem roupa pra vestir. Hoje tem tanta promoção por aí, que o acesso ao livro ficou bem fácil. E nem preciso dizer que mesmo sem promoção, os livros ficaram bem mais em conta, não é pessoal?


Minha opinião: Eu acho tão legal que o número de pessoas que querem escrever seus próprios livros esteja crescendo! Isso mostra que o mercado literário brasileiro está crescendo cada vez mais e isso não se deve somente ao fato de termos mais autores e sim ao fato de o número de leitores estar crescendo! Muito legal mesmo.


Então gente, essa foi a segunda parte da pesquisa de opinião. Acho que eu só vou trazer mais uma ou duas partes que faltam pra vocês, que são perguntas mais técnicas sobre blogs e afins. Espero que gostem.
E também quero saber a opinião de vocês sobre esses resultados. O que vocês acham?


26/03/2012

Resenha: O Palácio de Inverno

Título: O Palácio de Inverno
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 456
Pode-se fugir da história? Será possível viver no anonimato após uma existência de fausto e glória? A vida comum é assim tão diferente da vida pública? Geórgui Jachmenev passou a vida inteira se debatendo com essas questões, e agora, prestes a perder o grande amor de sua vida, tenta encontrar uma resposta para elas ao refletir sobre seu percurso num século XX que sempre lhe pareceu longo demais. Seus feitos começaram cedo: aos dezesseis anos, em ação impulsiva e atabalhoada, o rapaz impediu um atentado contra a vida de ninguém menos que o grão-duque Nicolau Nicolaievitch, irmão do czar Nicolau II, que, agradecido, nomeou Geórgui o guarda-costas oficial de seu filho Alexei, destinado a ser o próximo czar. Uma reviravolta impressionante, que o levou da taiga russa para o fausto dos palácios moscovitas, cenário que, apesar da amplidão e luxo de seus imensos corredores, iria se revelar bem mais inóspito que os frios grotões de sua vida anterior. A dura experiência com esse mundo gélido de intrigas palacianas, às quais sempre era jogado contra sua vontade, e de grandes tensões e responsabilidade só foi apaziguada com a chegada do primeiro amor, Zoia. Mas os tempos eram agitados, e a história deixou pouco espaço para idílios: quando a Revolução Bolchevique tomou de assalto o país, e isolou toda a família do czar numa casa de campo nos arredores de Ekaterinburg, mais uma vez Geórgui teve de agir rápido a fim de salvar a si e a Zoia. A vida com ela lhe custaria pátria, família e prestígio, e ele jamais se arrependeu disso - mas e para Zoia, o que teria custado? Numa narrativa fascinante, em que presente e passado vão convergindo em capítulos alternados, da Inglaterra dos anos Thatcher para a época dos czares russos, e dos anos difíceis da Segunda Guerra Mundial para o turbilhão da Revolução Bolchevique, acompanhamos Geórgui em meio a acontecimentos históricos decisivos que acabam por se revelar mero pano de fundo para uma história de amor que esconde um grande mistério, talvez maior mesmo que a própria história.  

Se eu tivesse que resumir esse livro em uma palavra, com certeza essa palavra seria incrível.

O enredo é baseado da história de vida de Geórgui Jachmenev. Ele tem 80 anos e vê a sua mulher à beira da morte. Com isso, Geórgui passa a nos contar toda a sua trajetória, desde que ele era um simples camponês na Rússia até os dias de hoje.

O autor deste livro é o mesmo do livro O menino do pijama listrado, do qual eu já ouvi diversas críticas maravilhosas. Todos me diziam que a narrativa era maravilhosa, mas não acreditei até que vi com meus próprios olhos.
Acho que se eu dissesse que a narrativa do John Boyne é incrível, seria pouco.

“E de qualquer forma, todos nós estamos escondendo alguma coisa. Todos, sem exceção. Nossos superiores, nossos iguais. Os que não tiveram nossas oportunidades. Ninguém gosta de revelar seu verdadeiro ser; nós nos atiraríamos uns contra os outros se revelássemos.” Padre Grigori, p. 288 
Ao longo do livro, vamos passando por diversas épocas e por mais que essas épocas sejam aleatórias – em um capítulo estamos em 1917 e no outro estamos em 1980 – a narrativa faz com que tenhamos total entendimento sobre qual ano estamos. Claro que cada capítulo tem o ano especificado, mas ao longo da leitura você acaba esquecendo o ano e com isso, a narrativa acaba te lembrando.

No livro, os fatos se misturam com a ficção. A base do livro é a Rússia do começo do século XX e seu governo. A grande parte dos personagens do livro realmente existiu, o que faz com que a leitura seja ainda mais interessante.

Para quem conhece a história da Rússia ou pelo menos tem uma base, acho que o livro dá margem para várias teorias, já que como eu disse, o autor mistura ficção com realidade. Para aqueles que não conhecem nada, leiam o livro sem medo. A história vai se tornar ainda mais encantadora, já que aquilo ali vai ser totalmente novo para vocês.

“Naquele momento, como dois amantes empenhados na mais graciosa dança, dei-lhe um rodopio e suas costas se comprimiram contra a grande porta de carvalho que se erguia atrás de nós.” Geórgui Jachmenev, p. 130
Tudo o que eu falar aqui não vai chegar aos pés do que eu senti lendo esse livro. É doce, é fascinante, é fantástico!
Acho que a história da Rússia nunca me interessou tanto quanto agora. É uma história realmente fascinante. Tanto que, ao terminar a leitura, acabei indo pesquisar sobre a Dinastia Romanov – época em que se passa grande parte do livro – e como é interessante conhecer todas aquelas pessoas com quem eu tive tanta intimidade durante o livro.

Esse é um livro daqueles que eu colocaria como leitura obrigatória para todos os amantes de histórias envolventes, que fazem você se apaixonar mais pelo enredo a cada página.
Se eu disser que esse livro entrou para a minha categoria de favoritos, ainda vai ser pouco. Esse com certeza vai ser um dos livros pelo qual eu sempre terei sentimentos fortes, tanto pelo enredo quanto pelos personagens. 

24/03/2012

Resultado dos Sorteios: As Aventuras de Sherlock Holmes e Vítimas do Silêncio

Olá leitores! Hoje venho mostrar o resultado de dois sorteios que vão deixar duas pessoas super felizes!

Então primeiro vamos ao resultado de As Aventuras de Sherlock Holmes.

O número sorteado foi...

E quem ganhou foi...

21/03/2012

Manias de leitor

Olá amados leitores!
Inicialmente gostaria de agradecer todo o carinho que a coluna vem recebendo, vocês tem me deixado muito feliz e motivada! Também quero agradecer a Luara, por abrir este espaço e me dar a oportunidade de escrever por aqui, estou amando! Vamos ao que interessa?

Hoje eu vou falar de manias, vícios que adquirimos durante a leitura. Conforme vamos criando o hábito de ler, também desenvolvemos algumas manias, não é verdade?


Manias estas que limitam a forma que vamos ler um livro, e o mais engraçado é que nos prendemos àquelas regrinhas como se não fosse possível ler caso não a seguíssemos... Acredito que exemplificando vocês entenderão melhor o que estou dizendo.

Eu tenho manias, além de carregar livros por toda a parte junto comigo, eu amo cheirar meus livros, quando eu compro, antes de ler, às vezes no meio da leitura. Antes de começar um livro eu tenho que ler a sinopse, a contracapa, o textinho sobre o autor, os agradecimentos, a tradutora, editora, tudinho! É quase um ritual de iniciação!
Ah, outra coisa: não abro o livro totalmente na hora da leitura para não danificá-lo.
Pois é, se você ainda não reparou nas suas, preste atenção, me arrisco a dizer que todos têm uma ou mais!

Há quem goste de ler capítulo por capítulo, quem verifica a textura da página, que precise de uma trilha sonora para acompanhar a leitura ou que tudo esteja em pleno silêncio, há quem leia mais de um livro ao mesmo tempo, tem até quem leia o final primeiro... Esta eu nunca testei, tem que ter coragem, né? Será que não acaba com a surpresa do livro?!

Quando falo em manias, eu sempre me lembro de uma personagem que eu sou apaixonada, Georgina Kincaid, da série de livros Succubus (no Brasil o primeiro volume da série é “A Canção do Súcubo”), escritos por Richelle Mead.
Ela trabalha em uma livraria e ama ler, seu autor preferido é Seth Mortensen, só que os livros dele demoram muito para serem publicados, em média 1 por ano, é por isso que ela tem uma técnica, não ler mais que 5 páginas por dia, assim o prazer da leitura será prolongado ao máximo! 

Enfim vocês já reparam nas manias que possuem?  



Fran, 21 anos, colunista. Sempre leva um livro consigo, ama músicas e seriados, curte filmes, mas sua paixão principal é escrever, e pretende fazer muito isso por aqui!  

19/03/2012

Caixa de Correio #4

Olá leitores! Hoje venho mostrar o que chegou no período entre a última Caixa de Correio (que estava lotada!) até agora. Dessa vez vou mostrar o que chegou em fotos pois não tive tempo de gravar um vídeo legal pra vocês. 
Contarei com a participação especial do Poliéster, ele estava doido para aparecer por aqui. :D




Ganhei o livro Cinco Luas do autor Ronaldo Cavalcante no blog Overshock. Ainda não parei para ler, mas será um dos próximos livros da lista de leitura. Ele veio autografado e tudo. Muito legal.
Recebi em parceria com a Companhia das Letras o livro Os Gêmeos, da autora Pauline Alphen. Vou contar uma coisa pra vocês: me apaixonei pela capa! Linda demais. Vieram alguns livretos do livro que sortearei em breve aqui.



Em parceria com a Novo Conceito chegou Para Sempre de Kim e Krickitt Carpenter que eu ainda não comecei a ler ainda. Como ele é bem fininho, creio que nos próximos dias já tenha resenha aqui no blog. :)
Chegou o livro Os Três Mosqueteiros do autor Alexandre Dumas em parceria com a Editora Generale. Nunca tinha lido esse clássico da literatura mundial, e quando surgiu a oportunidade, não pude deixar de lado. É um livro ENORME, mas é muito bom. Não sei se vocês vão conseguir visualizar direito, mas eu deixei o marcador aparecendo a marca inconfundível: Um por todos e todos por um! 
E também em parceria com a Novo Conceito, chegou Presentes da Vida da autora Emily Giffin. Como eu já devo ter dito por aí, essa vai ser minha primeira oportunidade de ler algum livro da autora. Estou super ansiosa!



O Poliéster adorou brincar com a bolsinha que veio com o livro Presentes da Vida e já começou a ler Para Sempre!


Em ordem (de cima para baixo): Cinco Luas, Para Sempre, Os Gêmeos, Presentes da Vida e Os Três Mosqueteiros.

16/03/2012

Resenha: Um Mundo Brilhante

Título: Um Mundo Brilhante
Autora: T. Greenwood
Editora: Novo Conceito
Páginas: 336
Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato. Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática. Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu. Esta, enfim, é uma história fascinante sobre o que devemos às pessoas, o que devemos a nós mesmos e o preço das decisões que tomamos.

Antes de ler este livro, confesso que li diversas resenhas nos blogs que eu costumo visitar e posso afirmar: eu não sabia exatamente o que esperar dele. Muitos criticaram, muitos amaram.
Nessa resenha, não me prenderei muito ao enredo, já que a sinopse diz o suficiente sobre o livro.

Sabe quando você termina de ler um livro e fica tentando decifrar se você gostou ou não? Pois é, isso aconteceu comigo ao terminar esse livro.
Mesmo assim eu vou tentar construir minha opinião ao longo da resenha e descobrir junto com vocês o que eu realmente achei.

“Segredos. Como pequenos sapos escondidos em seu bolso. Não se pode esquecer deles porque estão sempre se mexendo ali dentro, contorcendo-se, tentando escapar.” p. 285
Eu achei o enredo em geral merecia um desenvolvimento melhor. A cultura dos índios navajos poderia ter sido mais bem explicada, a investigação sobre a morte do índio a porta de Ben poderia ter tido mais emoção. Mas não podemos considerar o livro como sendo cultural ou investigativo e é quando percebemos isso que ele fica surpreendente.

Esse é um daqueles livros que até você ler a última página, você não sabe o que vai acontecer. Confesso que eu esperei que o final fosse diferente, mas acho que a autora conseguiu fazer com que seu personagem e a sua história se tornassem verdadeiros, humanos.

Sobre o Ben, eu ainda não tenho uma opinião formada. Ele me despertou várias emoções: raiva, compreensão, compaixão. Achei o protagonista muito conformado com as coisas da vida dele. Se ele achava as coisas ao seu redor tão ruins, por que então ele não mudava?

“Quando se abraçaram, Bem sentiu sua garganta se apertar. E, ao mesmo tempo, se sentiu feliz por eles e desapontado consigo mesmo. Triste por tudo o que não tinha e por aquilo que nunca viria a sentir.” p. 294
Um dos pontos super positivos do livro foi a diagramação. A divisão entre as fases do livro feitas com “Mundo Azul”, “Mundo Vermelho”, “Mundo Amarelo”, “Mundo Preto e Branco” e por fim “Mundo Brilhante” fizeram com que o livro se tornasse mais dinâmico uma vez que você associa o significado de cada cor com a fase que o Ben está passando.

A narrativa é feita em terceira pessoa, mas é totalmente voltada ao Ben. Posso dizer que parecia uma narrativa feita pelo próprio personagem principal de tão boa que ficou.

Sobre a capa, preciso dizer: a Novo Conceito arrasou! É linda! Pra quem ainda não viu a capa de perto, vou explicar para vocês: ela é cheia de glitter! E a melhor parte é que ele não sai na mão enquanto manuseamos o livro. Acertou em cheio, NC!

Em resumo, achei um livro muito bom, mas que deixou um pouco a desejar na questão de desenvolvimento do enredo, que poderia ter sido enriquecido caso a autora acrescentasse mais detalhes.
Mas, assim como já diz a sinopse, o livro é mais uma reflexão sobre as decisões que tomamos, e que cada uma delas tem um preço. 

Então gente, fica a dica de leitura para o final de semana!

13/03/2012

Capa x Capa #5

Oi gente! Hoje temos mais um Capa x Capa! Com um pouquinho de atraso, admito, mas o importante é ter, não é?
Na nossa última batalha, quem ganhou foi Glimmerglass (e com muitos votos!). Acho que foi merecido! :)
Então hoje essa capa vai concorrer com outra que dominou o coração dos blogueiros nos últimos dias. Vamos lá?



E então? Qual é a capa mais bonita? Glimmerglass de Jenna Black ou Para Sempre de Kim e Krickitt Carpenter?

11/03/2012

Resultado: Pesquisa de Opinião #1

Olá leitores! Alguns de vocês devem ter me visto divulgando no twitter uma pequena pesquisa de opinião que eu fiz entre alguns leitores. Gostaria primeiro de agradecer às 55 pessoas que deram sua opinião nessa pesquisa que é bem grandinha e vocês aceitaram encarar o desafio. Muito obrigada!

Vou mostrar os resultados para vocês por partes, fazendo assim com que os posts fiquem menores e vocês possam opinar com mais tranquilidade.
Então vamos lá!



Minha opinião: Como a pesquisa foi feita essencialmente com blogueiros literários, eu já esperava esse resultado. A maioria das pessoas leem mais de 4 livros por mês, o que eu acho um máximo! Eu percebo esse aumento na minha escola. Hoje eu vejo muitas pessoas lendo algum livro, o que era raro há alguns anos.


Observação: nessa pergunta, os leitores podiam marcar mais de uma opção, logo, o total passa de 100%.

Minha opinião: Eu já tinha uma certa noção que os livros românticos iriam ganhar, até porque esse estilo de leitura é bem difundido. Mas eu achei bem legal que os livros de suspense estejam tão em alta. Isso quer dizer que os leitores estão abertos a outros estilos de leitura, o que é interessante. 
O que deu pra perceber na pesquisa também é que os leitores ainda não são adeptos aos livros de auto-ajuda, biografias e poesia. Posso dizer que eu também não leio muito esses estilos, mas eu vi que esse ano muitos livros biográficos foram e vão ser lançados, então será que os leitores vão se adaptar a esse estilo? Só esperando mesmo para ter certeza.


Minha opinião: Essa é uma pergunta que deixou muita gente em dúvida. Gostei do resultado, até porque a sinopse é o fator que me deixa com mais vontade de ler um livro. A capa pode ter um apelo visual, mas se a sinopse não me conquistar, é difícil que eu leia tal livro. Logo depois, eu vejo o enredo. Mas se a narrativa não for boa e não conseguir desenvolver o enredo, o livro acaba se tornando ruim.


Minha opinião: Eu acho a parte visual de um livro muito importante. Sempre que eu vejo algum livro em sites de compra ou até mesmo em alguma livraria, a capa sempre acaba me chamando a atenção. Depois, é claro, leio a sinopse e decido se compro o livro ou não. 
Mas se a capa não me atrai, vai depender somente da sinopse, fazendo com que seu papel de me instigar seja maior ainda. 


Minha opinião: É fato que a maioria das pessoas já leram um livro só pela capa, até porque estamos de certa forma, acostumados ao apelo visual que elas nos causam. Então, se uma capa é chamativa, isso vai acabar atraindo a nossa atenção para aquele livro em especial e nos fazendo pensar: "Essa capa é tão bonita!". Isso atrai a grande maioria dos consumidores de livros.

Então é isso. Espero que vocês tenham gostado dessa primeira parte da pesquisa de opinião. Em alguns dias eu vou trazer o resto da pesquisa, ok?
Mas antes eu quero saber a opinião de vocês sobre esses resultados. Vocês concordam? 

08/03/2012

Resenha: As Aventuras de Sherlock Holmes

Título: As Aventuras de Sherlock Holmes
Autor: Sir Arthur Conan Doyle
Editora: Martin Claret
Páginas: 296
As aventuras de Sherlock Holmes, obra publicada em 1892, é uma série de doze contos nos quais o genial detetive, acompanhado de seu fiel amigo dr. Watson, deslinda os mais intrincados e, por vezes, assustadores, mistérios: Um escândalo na Boêmia, Um caso de identidade, A liga dos Cabeças Vermelhas, O mistério do vale Boscombe, As cinco sementes de laranja, O homem do lábio torcido, O carbúnculo azul, A faixa malhada, O polegar do engenheiro, O solteirão nobre, A coroa de berilos, As Faias Cor de Cobre.

Há muito tempo eu queria ter a oportunidade de ler algum livro sobre Sherlock Holmes. Assim como muita gente, eu conhecia a história, vi diversos filmes, mas nunca cheguei a ler nenhum livro que se tratasse dele.

Então, quando surgiu a oportunidade de ler, proporcionada pela Editora Martin Claret, não tive dúvidas. E eu posso dizer uma coisa com toda sinceridade: eu não me arrependi.

“Descobri que os fatos mais insignificantes fornecem, em geral, mais campo para a observação e a análise rápida de suas causas e efeitos, o que torna a investigação apaixonante. Os maiores crimes são muitas vezes os mais simples, porque seus motivos são evidentes.” – Sherlock Holmes - Um caso de identidade, p. 45 
O livro é composto por 12 casos que são investigados por Holmes. Cada um com sua peculiaridade que desperta tanto o interesse do nosso detetive tanto o interesse do leitor. São casos que, a primeira vista, são simples. Mas nem tudo é o que parece ser não é mesmo?

Muitos de vocês devem conhecer a história e o próprio Sherlock Holmes, mas eu preciso comentar: em minha opinião ele é um dos personagens mais brilhantes que já foram criados. O raciocínio dele é tão lógico que você chega a se sentir inferiorizado por não ter reparado o que aconteceu desde o início. Como o próprio diz, a explicação disso é que “você vê, mas não observa”.

“Não creio que seja mais lento para entender as coisas que qualquer outro. Contudo, sempre que estava na presença de Sherlock Holmes, me sentia esmagado por um sentimento de inferioridade. Neste caso, ouvira o mesmo que ele, vira o mesmo que ele, no entanto, a julgar por suas palavras, ele via com clareza não só o que acontecera, mas também o que ia acontecer, enquanto para mim tudo era confuso e sem sentido.” – Dr. Watson – A Liga das Cabeças Vermelhas, p.76 
Um dos grandes pontos positivos é que o livro é narrado pelo Dr. Watson, grande companheiro de Holmes. Ele mostra a cena por fora, repara em tudo ao seu redor, mas não consegue chegar a uma conclusão, o que faz com que o leitor se sinta instigado a decifrar o mistério e também se sinta surpreso ao saber a resposta de tudo.

Esse livro foi publicado em 1892, então a linguagem é um pouco rebuscada. Ao longo da leitura, você acaba se acostumando com o jeito do Arthur Conan Doyle de escrever, mesmo que isso possa parecer um desafio no começo.

Eu simplesmente me apaixonei pelo detetive. Todas as tramas envolvem mistério, lógica, sagacidade e essas qualidades fazem com que elas sejam incríveis. 


Atenção: Todos os que comentarem nessa postagem estarão concorrendo ao livro As Aventuras de Sherlock Holmes
Só precisam seguir algumas reginhas:

  • Ser seguidor do blog.
  • Curtir a página do blog no facebook.
  • Comentar adequadamente sobre a resenha - comentários como: "quero participar" NÃO SERÃO CONTADOS.
Não se esqueçam de deixar twitter ou e-mail para contato! 
Serão válidas entradas até o dia 23/03.

07/03/2012

E os sortudos são...

Oi gente! Hoje venho mostrar para vocês as pessoas sortudas que ganharam sorteios aqui no blog. Vamos conhecê-las?


Esse é o Marcio Scheibler que ganhou o livro Nas Trevas e Na Luz - Vol. I disponibilizado pela nossa querida autora parceria Gisele Carmona. Parabéns Marcio!




Essa é a Bruna Tonella que ganhou o sorteio do livro Como se livrar de um vampiro apaixonado, que rolou aqui no blog em parceria com a Editora Arqueiro. Parabéns Bruna!

E aí, vocês também querem aparecer aqui? Então participem do sorteio que está rolando no blog do livro Vítimas do Silêncio.



E fiquem ligados! Ainda essa semana teremos outro sorteio! 

Novidade: Fiz um formspring para o blog. Quem tiver qualquer pergunta, é só perguntar aqui ou me seguir no twitter

05/03/2012

Biografias #2: J. R. R. Tolkien


Nascido na África do Sul em 1892, J. R. R. Tolkien era escritor, professor universitário e filósofo.
Muitos não sabem que o escritor é africano pois aos três anos de idade mudou-se para a Inglaterra onde cursou a faculdade de Letras. Lutou na Primeira Guerra Mundial, onde começou a escrever os rascunhos de seus livros.

Tornou-se famoso com o mundo complexo e cheio de vida que criou em livros como O Hobbit, O Senhor dos Anéis e o Silmarillion.
No Brasil, sua obra mais conhecida é O Senhor dos Anéis, pois foram lançados filmes dos livros e esse meio de comunicação é bem mais abrangente e digamos que também seja mais democrático do que o acesso ao livro.


Seu livro O Hobbit que mostra o início da história de O Senhor dos Anéis está virando um filme que tem a sua estréia marcada para o fim desse ano. Muitos fãs estão roendo as unhas para que o dia 14 de dezembro chegue logo. E para a alegria de muitos, a história foi divida em duas partes para deixar todos os fãs satisfeitos. A previsão é que a segunda parte seja lançada dia 13 de dezembro de 2013.

  • Grande influência
Mesmo 39 anos após a sua morte, Tolkien continua exercendo grande influência nas obras de fantasia no mundo todo. Muitos tentam criar mundos tão ou mais complexos aos que foram criados por Tolkien, já que suas obras são consideradas sagradas na literatura fantástica.

01/03/2012

Resenha: Shadowspell - O Misterioso Reino de Avalon

Título: Shadowspell - O Misterioso Reino de Avalon
Autora: Jenna Black
Série: Faeriewalker, livro 2
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 279
Magia, ilusão, ameaças... Dana descobrirá o preço da liberdade O reino de Avalon nunca mais será o mesmo. Um grupo de caçadores bárbaros liderados pelo poderoso Erlking está a caminho do reino e promete causar a destruição total do único lugar em que humanos e feéricos convivem em harmonia. Porém, nem tudo está perdido. Dana Hathaway, uma faeriewalker com a capacidade rara de viajar entre os dois mundos e a única pessoa que pode levar magia ao mundo humano e tecnologia ao reino de Faerie, é obrigada a selar um pacto sombrio com o Erlking, que pode colocar a perder todos os seus poderes, deixando-a vulnerável perante um inimigo sedutor. Magia, sedução e muito suspense estarão presentes na vida de Dana, que nunca mais será a mesma...
Se você ainda não leu Glimmerglass, você pode ficar perdido em algumas partes da resenha. 
Leia a resenha de Glimmerglass aqui.

Shadowspell realmente me surpreendeu. Sinceramente, eu esperava um livro que não tivesse muitas novidades, já que ele é o segundo livro da série Faeriewalker e assim, a autora deixaria tudo para o terceiro livro.

Como vocês podem notar, eu me enganei.

Para quem não lembra, vamos recordar o enredo geral: Dana é filha de uma mãe alcoólatra e buscando se livrar do vício da mãe – e dos problemas que isso traz -, ela vai atrás de seu pai na cidade de Avalon. Seu pai é feérico, uma espécie de ser sobrenatural que tem os poderes da magia. Chegando a Avalon, Dana descobre que é uma faeriewalker, ou seja, um ser que é metade humana e metade feérica. Com isso, ela se vê envolvida em uma disputa política devido aos seus poderes de transitar entre o mundo feérico e o mundo humano.

Depois desse pequeno lembrete, vamos à resenha.

O livro já começa com uma cena cômica. Não vou contar porque não quero estragar o prazer de vocês ao lerem o começo do livro. Em minha opinião, essa cena foi uma abordagem perfeita para a autora começar a narrativa, já que me instigou ainda mais a querer saber o que aconteceria com Dana.

Vim para cá com a falsa impressão de que a vida com meu pai seria mais próxima do normal do que com minha mãe. Que piada!

Uma das coisas que mais me chamaram atenção foi o amadurecimento de Dana. Se em Glimmerglass ela era uma garota confusa, sem saber o que fazer e com desconfiança para todos, em Shadowspell vemos uma Dana mais centrada em seus objetivos, com planos maiores e não tão inocentes assim. É claro que ela ainda é uma adolescente que corre risco de vida por causa do meio político em que se encontra e, portanto, ainda carrega uma ingenuidade por natureza.

Nesse livro aparece o Erlking. Ele é o líder de um grupo chamado Cavaleiros Bárbaros que aterroriza os cidadãos de Faerie e também de Avalon.
Todos acreditam que ele quer matar nossa personagem principal, mas ele consegue surpreender. E eu digo surpreender porque é difícil alguém tido como “o vilão da história” me cativar tanto. A autora consegue descrevê-lo de uma forma extremamente sexy que ele consegue ser incrivelmente encantador.

Ele me fixou com um olhar que pareceu perfurar meu coração. A respiração ficou presa em meus pulmões, e meus instintos de “lute ou fuja” me incitavam a fugir. Meu corpo inteiro tremia com a necessidade de sair correndo para salvar minha vida, o suor banhava a minha testa e as axilas conforme meu sangue se transformava em adrenalina pura.

O único ponto negativo que eu encontrei no livro foi o Keane não ter aparecido tanto e, quando aparecia, não parecia mais o Keane que conhecemos em Glimmerglass e sim um garoto bobo demais.

Quanto aos aspectos visuais do livro, preciso comentar: as capas dessa série são incríveis! Eu sou apaixonada pelos brilhos das capas. Quanto à diagramação, é a mesma do primeiro livro, nada de surpreendente, mas extremamente agradável para a leitura.

Para aqueles que leram Glimmerglass e estão se perguntando se lêem ou não este segundo livro, eu com certeza diria para lerem. Esse livro foi realmente de arrasar. Estou esperando impacientemente pelo terceiro livro.