29/04/2012

Resenha: Amante Sombrio

Título: Amante Sombrio
Autora: J. R. Ward
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 448
Nas sombras da noite, em Caldwell (Nova Iorque) se desenrola uma sórdida e cruel guerra entre os vampiros e seus carrascos. A Irmandade e seus caçadores e os assassinos. E existe uma Irmandade Secreta de seis vampiros guerreiros, os defensores de toda a sua raça. Nenhum deles deseja aniquilar a seus inimigos com tanta ânsia como Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath, o vampiro de raça mais pura dos que povoam a terra, tem uma dívida pendente com aqueles que, há séculos, mataram seus pais. Quando morre um de seus mais fiéis guerreiros, deixando órfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e seu destino, não resta a ele outra saída senão levar a bela jovem para o mundo dos não mortos.Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente para resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita toda a noite, envolto em sombras. Suas histórias sobre a Irmandade a aterrorizam e a fascinam. E seu simples toque provoca faíscas, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

Esse é o primeiro livro da série Irmandade da Adaga Negra

Depois de várias críticas positivas a respeito da série Irmandade da Adaga Negra, finalmente resolvi dar uma chance para ela me encantar também. E agora eu entendo porque essa série é uma das campeãs de críticas positivas.

Acho que falar do enredo sem soltar algum tipo de spoiler vai ser bem difícil, então para quem ainda não leu o livro, aconselho a ler a sinopse para ter uma noção básica e não ficar sabendo demais e acabar estragando a emoção ao ler o livro.

Quando eu via alguma pessoa falando sobre IAN, sempre vinha a mesma expressão: hot (quente). Isso ao mesmo tempo em que me deixava com ainda mais vontade de ler o livro, me deixa apreensiva. Não sou acostumada a ler livros hot, então eu não sabia qual seria minha reação ao ler o livro. Mas quando eu li, eu só queria que tivessem mais e mais!

“A lembrança do que acontecera entre eles era um tanto imprecisa. Não podia recordar exatamente como havia entrado em seu apartamento, ou o que havia lhe dito. Mas tudo o que tinham feito na posição horizontal estava para lá de vívido.” – p. 97 
A narrativa contribuiu muito para que eu tivesse esse sentimento, já que a autora consegue fazer com que o leitor fique ansioso para descobrir o que vai acontecer, o que tal personagem vai fazer ou se algum romance vai engatar. É uma narrativa maravilhosa e que consegue te envolver mesmo nas cenas mais banais.
E isso foi de grande importância nas cenas hot, pois são poucos os autores que conseguiram conduzir tais cenas com tanta maestria.

Os personagens são maravilhosos. Os membros Irmandade, cada um com sua característica em especial, são encantadores. Por mais que tenham existido momentos em que eu ficava me perguntando: “como ele pode acreditar em tudo tão facilmente?” e coisas parecidas, todos os personagens (todos mesmo!) acabaram fazendo com que o livro fosse um todo que me conquistou.

“Bem-vindo ao maravilhoso mundo do ciúme, pensou. Pelo preço de sua entrada, ganhe também uma maldita dor de cabeça, um desejo quase irresistível de cometer um assassinato, e um complexo de inferioridade.

Oba.” – p. 129
Muita gente pode pensar: mas Luara, outro livro sobre vampiros? Antes de começar a ler eu também pensava isso. Mas esse livro tem um “quê” de originalidade que chega a impressionar. Logo no começo, há um pequeno glossário com nomes que você vai encontrar durante o livro e, só de lê-lo, você já percebe que é algo totalmente diferente daquilo o que estamos acostumados, já que o mundo criado por J. R. Ward é surpreendente – apesar de não vermos muita coisa ainda nesse livro.

Um livro que é criativo, original, cheio de ação e erotismo. Uma combinação perfeita para a conquista e sedução. Deixe com que a Irmandade te envolva!

Para as meninas que já leram o livro: eu quero alguém para me chamar de “minha leelan”! 



26/04/2012

Sorteio: Parabéns Ler e pensar!

Para comemorar o aniversário do Ler e pensar oito blogs juntaram-se para garantir uma comemoração em alto estilo e vão presentear 2 leitores nesta grande festa! 


Blogs Participantes

·        Ler e pensar é só começar;
·        Nas próximas páginas;
·        Razão e Resenhas;
·        Viagem Imaginária;
·        Page Reading;
·        Estante Vertical;
·        Partes de um Diário;
·        Meine Liege


Obs: Qualquer dúvida sobre como preencher o formulário do Rafflecopter, é só clicar aqui.

25/04/2012

Blogosfera Anti-Plágio



Então é assim: você pega aquele seu livro bacana da estante. Abre, começa a ler. Presta atenção em todos os detalhes, cola post-its, faz anotações. Pensa em como aquela frase vai fazer o maior efeito na sua resenha. "Poxa, acho que os leitores vão gostar disso". Às vezes, você embarca na história. De outras, deixa até mesmo o seu prazer de lado para pensar em como vai apresentar sua opinião aos leitores do seu blog. Aí você, incauto blogueiro, termina a leitura. Pega seu livro, seu caderninho de anotações, seu arquivo com notas, o que seja; e vai para a frente do computador. Passa umas boas duas horas pensando em como irá traduzir em palavras o que sentiu durante a leitura. Se não usa a sinopse oficial do livro, gasta mais duas horas escrevendo uma sinopse personalizada, tomando aquele cuidado especial para não colocar nenhum spoiler.
Então vem a fase de revisão. Você lê, relê. Muda frases de lugar, ajusta conceitos. Reformula ideias. Talvez apague tudo e recomece. Afinal, você é um blogueiro responsável. Quer que seu texto saia o melhor possível, que os leitores puxem lencinhos e se emocionem com você, ou que leiam e riam porque você também riu lendo aquele livro. E você procura imagens. Capas de várias edições pelo mundo. Imagens em gif que traduzam seu surto ao ler aquela história. Trilhas sonoras que acompanharam sua leitura. Imagens que ilustrem o quanto você foi afetado pelo que o autor te contou naquelas páginas.
Quem sabe você não seja tão perfeccionista e só escreva seu texto, tomando o cuidado de ver se não tem nenhum errinho. Tudo bem. Deu trabalho do mesmo jeito escrever as coisas da melhor maneira que você sabia. Tudo isso te custou tempo. Aquele espaço entre seus dois empregos. Suas horas de folga que podiam ser empregadas em outras formas de lazer. Minutos e mais minutos madrugada adentro, em que você poderia estar dormindo. O drama pode parecer exagerado, mas muitos blogueiros deixam o lazer e o sono de lado pra manter o blog! Mas você ama ler. E ama seu blog. Ama escrever e ama o que faz  e é por isso que você está ali, persistente. Criando seu próprio conteúdo. ...Tudo isso para vir um babaca chupinhador e roubar seu trabalho suado de horas em alguns poucos segundos, postando aquilo que você deu o sangue pra criar como se fosse dele. SEM CRÉDITOS. Enganando a todos: aos leitores, que nem sempre sabem do que o kibador é capaz; às editoras e autores que inadvertidamente fecham parcerias com tais blogs... e a ele(a) mesmo(a), que anda por aí achando que ninguém percebe a grande e robusta mentira que é.




PLÁGIO É CRIME. É ANTIÉTICO. RESPEITE O TRABALHO DE QUEM CRIOU O CONTEÚDO. QUER MANTER UM BLOG? ESCREVA VOCÊ MESMO!
(Ou fique na sua, que é melhor pra todo mundo. E mais respeitoso também.)


Esse post é parte de uma postagem coletiva contra o plágio na blogosfera. Acesse o site "Blogosfera Anti-Plágio", saiba mais sobre o assunto e veja quem mais apoia essa causa.

23/04/2012

Lançamentos #9: Novo Conceito

Olá leitores! Hoje, dia 23 de abril é o dia internacional do livro! O que seria de nós leitores sem nossos amados, não é mesmo?
Nada melhor nesse dia do que conhecer alguns lançamentos. Vamos lá?

Título: A Escolha
Autor: Nicholas Sparks
Páginas: 307
Travis Parker possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby, aparece na porta.

Apesar de suas tentativas de ser gentil, a ruiva atraente parece ter raiva dele. Ainda sim, Travis não consegue evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma jornada que ninguém poderia prever.
Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais cruel de todas: Até onde você iria manter o amor de sua vida?

 Título: A Filha da Minha Mãe e Eu
Autora: Maria Fernanda Guerreiro
Páginas: 256
Sensível e tão real a ponto de fazer você se sentir parte da família, A filha da minha mãe e eu conta a história do difícil relacionamento entre Helena e sua filha, Mariana. A história começa quando Mariana descobre que está grávida e se dá conta de que, antes de se tornar mãe, é preciso rever seu papel como filha, tentar compreender o de Helena e, principalmente, perdoar a ambas. Inicia-se, então, uma revisão do passado – processo doloroso, mas imensamente revelador, pautado por situações comoventes, personagens complexos e pequenas verdades que contêm a história de cada um.

Título: Garotas de Vidro
Autora: Laurie Halse Anderson
Páginas: 272
Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda. 

Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos. 

21/04/2012

Resenha: Se Eu Morrer Antes de Você

Título: Se Eu Morrer Antes de Você
Autora: Allison Brennan
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 480

Há seis anos, Lucy Kincaid conheceu pela Internet um homem que parecia ser o tipo ideal. Porém, após ser atacada brutalmente no primeiro encontro, ela viu que tinha se envolvido com um psicopata muito perigoso. Contrariando o histórico das vítimas desse maníaco, ela conseguiu sobreviver. Após anos de dor e sofrimento pela lembrança das atrocidades que sofreu, ela descobre um jeito de dar a volta por cima trabalhando como voluntária no departamento encarregado de investigar esse tipo de crime. Seu papel é rastrear pela Internet psicopatas e maníacos sexuais para que sejam presos. Porém, tudo muda quando ela descobre que vários desses maníacos, que ela ajudou a localizar, estão sendo mortos desde que deixaram a prisão, incluindo o homem que destruiu a sua vida. Algum assassino estaria seguindo seus passos? Lucy se vê envolvida em uma trama de suspense que poderá deixá-la novamente face a face com um psicopata.

Eu não tinha nenhuma expectativa ao ler esse livro. Tinha lido algumas resenhas há algum tempo, mas não me lembrava muito do enredo ou do que esperar a respeito dele. E sinceramente? Isso foi muito bom.

Lucy Kincaid é uma aspirante à agente do FBI. Ela trabalha no PMC – Prioridade Para Mulheres e Crianças – onde rastreia e manda de volta para a cadeia os criminosos sexuais que estão em condicional que estão quebrando o acordo e voltando a praticar as antigas ações.
Só que Lucy tem um diferencial: ela também foi uma vítima de um criminoso sexual e este, do nada, aparece morto. E a partir desse ponto o enredo se desenrola.

Lucy era a mulher mais forte que ele já conheceu. Ela havia conquistado muito em pouco tempo, e com o peso do passado nos ombros. Mas, maldição, ela não deveria nem ter passado por tudo aquilo! Nenhuma mulher deveria ter sofrido nas mãos de Scott e de Morton. O sistema judiciário era uma droga, e Sean queria bater em alguma coisa. p. 108
Se Eu Morrer Antes de Você é um thriller bem legal, mas sem picos de emoção. Não há aquela sensação de “quem será que está por trás de tudo isso?”. A história vai se desenrolando e indo para um ponto esperado. Isso não faz o livro ser ruim, pois o desenvolvimento é bem legal. Mas não é um livro de muitas surpresas.

Com a narrativa em terceira pessoa, é possível ver todos os lados do enredo – inclusive o lado do antagonista, que tem capítulos próprios narrados em primeira pessoa.
A autora fez uso de algumas poucas cenas mais fortes para dar veracidade ao enredo. Essas cenas não chegam a ser fortes para aplicar uma censura ao livro, mas vale a pena ser comentada a existência delas.

Os personagens acabam nos encantando pela coragem e força deles, principalmente a de Lucy. Depois de ter sofrido tudo o que sofreu, ela quis ser agente do FBI para trabalhar todos os dias com aquilo que atormentou o passado dela. Acho que eu não seria capaz disso.
Outros personagens como Sean – sócio do irmão de Lucy – também tem um destaque merecido.

Não foi o risco que Kate corria que fez Lucy ficar tensa; foi a repentina compreensão de que aquilo nunca terminaria. Que o estupro voltaria à tona a qualquer momento, não só em seus pensamentos e pesadelos, mas publicamente, na Internet. p. 111
Um problema que eu encontrei na edição do livro: no começo do livro há muitos problemas de espaçamento. Eu realmente não comentaria isso aqui se fossem problemas isolados que não atrapalhassem a leitura. Mas isso ocorre muitas vezes, principalmente no começo do livro. No final eu não encontrei muito desses erros, mas foi uma coisa que me chateou bastante no começo da leitura.

Mas fora isso, a diagramação está maravilhosa. Eu gosto muito da capa, apesar de ainda não ter encontrado a relação dela com o enredo do livro. A relação do enredo com o nome do livro – mesmo com o nome em inglês – é mais uma coisa que eu ainda não achei explicação. Para quem for ver só a capa e o título, vai achar que é um romance daqueles carregados de drama e não um suspense. Então, fica a pergunta pra quem já leu ok?

Em linhas gerais, foi uma leitura muito agradável. Quando eu disse que foi bom não lembrar muito das resenhas que eu tinha lido, foi porque eu não tinha nenhuma expectativa em relação a ele, o que fez o livro se tornar uma incógnita para mim.
Foi uma leitura que fluiu muito bem e rapidamente, apesar das quase 500 páginas. Apesar dos probleminhas que eu falei, é um livro muito bom para quem quiser um livro policial bem leve regado com um romance que vai encantar muita gente.

E pra quem não sabe o livro tem uma continuação chamada Kiss Me, Kill Me. Mas para aqueles que não querem entrar em uma série, fiquem tranquilos: não é uma continuação dessa história, mas outro caso com os mesmos personagens. Se Eu Morrer Antes de Você tem um final bem definido, mas vai ser muito interessante ver os Kincaid de novo em outro livro. 

18/04/2012

Sorteio: Os Três Mosqueteiros

Olá leitores! Ontem eu perguntei no twitter se alguém queria o sorteio desse livro e como muita gente ficou animada, aqui está o sorteio de "Os Três Mosqueteiros".



É a primeira vez que eu uso o Rafflecopter aqui no blog, mas ele é bem fácil de se usar. É só seguir as regrinhas do próprio, ok?
A promoção é válida até o dia 18/05. Boa sorte!



16/04/2012

Biografias #4: James Patterson


James B. Patterson nasceu no dia 22 de março de 1947 nos Estados Unidos. É mundialmente conhecido por sua série sobre o psicólogo Alex Cross.

Em 1985 se aposentou em sua carreira de publicitário e dedicou seu tempo à escrita. Desde então, esteve 19 vezes consecutivas em primeiro na lista do The New York Times de romances bestsellers. 
Nos últimos anos, vendeu mais cópias do que autores como Stephen King, John Grishman e Dan Brown juntos.

Desde 2006, a cada 70 livros de ficção com hardcover (capa dura) que são vendidos, um é do James Patterson.
Ele é o recordista de títulos de ficcção que se tornaram bestsellers - 63 no total - tendo assim seu lugar garantido no Guiness Book.
O autor já vendeu mais de 250 milhões de cópias de seus livros, sendo considerado pelo Bookscan o autor que mais vendeu livros no mundo.

Em 2005, fundou o James Patterson PageTurner Awards para doar U$850.000 para pessoas, empresas, escolas e outras instituições que encontrassem maneiras originais e eficazes para espalhar a emoção da leitura. 
Em 2008, criou o site ReadKiddoRead.com, no qual ajuda a pais, professores e bibliotecários a encontrarem livros para as crianças.

Vários de seus livros se tornaram filmes e entre eles dou destaque para O Diário de Suzana Para Nicolas.


O filme ainda não foi lançado no Brasil - apesar de seu lançamento oficial ter sido em 2005 -, então não é fácil encontrar para baixar ou encontrar legendas para ele. Depois de uma longa peregrinação pela internet, consegui achar o filme e a legenda para download. Quem quiser que eu passe o filme, é só me falar por e-mail (estantevertical@gmail.com) ou pelo facebook, ok?
Mas eu encontrei uma lista de reprodução no youtube com o filme dividido em 10 partes, também em inglês sem legendas. Quem quiser assistir, é só clicar aqui.
Aviso: O Diário de Suzana Para Nicolas (tanto o livro quanto o filme) são extremamente recomendados para os românticos de plantão.

Confiram o teaser do próximo livro do James Patterson que será lançado pela Editora Arqueiro: Private.

14/04/2012

Hora da Pipoca #5: Premonição 5

Oi galerinha da EV, voltei com mais um filme bacana pra vocês, mas hoje resolvi mudar geral. Depois de ficção científica, aventura e drama, achei viável embarcar num terror. Sinceramente eu não sou muito fã do gênero, mas às vezes me aventuro em um ou outro filme deste estilo, quando vejo que ele vai fazer jus aos meus preciosos minutos, afinal, filme de terror bom mesmo é difícil de encontrar hoje em dia né gente? Mas ainda existem aqueles que merecem uma atenção e por isso vou indicar pra vocês, assim os fãs do medo, do sangue e das cenas mais terríveis, também serão contemplados.


Título Original: Final Destination 5

Ano: 2011
Duração:  min.
Direção: Steven Quale
Elenco:  Emma Bell, Nicholas D'Agosto, Miles Fisher, Tony Todd.
Gênero: Terror
A Morte está mais onipresente do que nunca, e inicia seu ataque após a premonição de um homem que salva um grupo de colegas de trabalho de um terrível colapso em uma ponte suspensa. Mas este grupo de almas não deveria sobreviver e, em uma aterrorizante corrida contra o tempo, o grupo tenta freneticamente descobrir uma maneira de escapar dos planos da Morte. 

Antigamente os filmes de terror eram a minha fascinação. Eu adorava alugar um montão deles e ficar assistindo um atrás do outro, só pra não perder aquela sensação constante de medo que os mesmos causavam. Mas à medida que eu fui me tornando adulta, este encanto perdeu a força e hoje em dia é raro quando gasto meu tempo assistindo a este tipo de filme.  Acho que isto ocorreu, por que os filmes de terror foram perdendo a sua qualidade e tornando-se mais banais. Não há mais uma boa história para ser acompanhada, um sentido para o derramamento de sangue, a matança, enfim, o filme apenas traz estes elementos como se tudo o que as pessoas quisessem ver, se resumissem a sangue, mortes e cadáveres sendo estilhaçados. 


Para mim, um bom filme de terror, além das cenas sangrentas deve ter um ótimo roteiro, um sentido, uma história, um motivo real e acima de tudo, concreto para todas as atrocidades que vão acontecer nele. Fora isso, o fator surpresa também deve estar presente, garantindo assim uma conclusão inesperada, da qual o público não consiga deduzir antes do filme realmente acabar.

É por essas e outras que os filmes de terror perderam sua vez na minha seleção cinematográfica. Mas claro, que de vez em quando aparece uma boa produção e eu acabo me rendendo à curiosidade de conferir para ver se a tal consegue me cativar.


  
A série Premonição é uma destas produções, que desde o primeiro filme já garantiu um lugar reservado na minha coleção de DVDs. A ideia principal que o filme passa é muito relevante e querendo ou não pode ser aplicada a nossa vida real, já que estamos falando de um elemento do qual não temos o menor controle, a morte.

Os filmes não só tratam de morte ou a apresentam de diversas formas, ele expõe aquela morte inesperada, acidental, imprevisível, tornando-a ainda mais assustadora. 


O bom dos filmes dessa série, também é a questão da paranóia, pois como ele gira em torno da fatalidade, ou seja, da morte acidental, quem assiste fica com essa impressão de que a ficção pode mesmo tornar-se real, portanto, um prato cheio para os medrosos e paranóicos de plantão, que vão ficar com a mente completamente perturbada.

Todos os filmes da série conseguem passar essa ideia de maneira impecável, mas este último, lançado no ano passado chegou ao ápice. Além do bom roteiro e das cenas bem estruturadas, os efeitos especiais foram espetaculares e realmente me deixaram com um frio na barriga durante toda a exibição.


O filme foi bastante elogiado pela crítica e considerado o melhor da série, já que traz uma dimensão mais realista dos acontecimentos e valoriza os efeitos visuais através da tecnologia 3D.  E o legal desse filme é que ele pode ser assistido aleatoriamente, ou seja, não há a necessidade de ter visto os anteriores, pois dá para acompanhar a história tranquilamente.

Outra coisa que também deve ser ressaltada é que o filme está muito mais impressionante e cheio de suspense. O fator surpresa é intenso desde o início até o final um tanto, chocante.

A galera que curte sentir um medinho e se esbaldar assistindo um bom terror, Premonição 5 é a pedida perfeita. Vale mesmo cada cena, cada friozinho e cada susto levado.
Espero que vocês tenham gostado. Um beijão galera e até a próxima indicação! =^_^=

Gilciany, colunista quinzenal Mãe de um menino lindo, apaixonada por livros, escrita e literatura. Neurótica pra caramba, viciada em net, filmes, músicas e fotos. Extremamente careta, medrosa e incorrigivelmente romântica.

11/04/2012

Resultado: Pesquisa de Opinião #3

Olá leitores! Demorei um pouquinho para postar essa semana, pois minhas aulas começaram e está uma correria daquelas por aqui. 
Essa provavelmente é a última parte da pesquisa de opinião e ela já entra em assuntos sobre blogs. Então fiquem ligados blogueiros!



Minha opinião: Acho que todas as coisas são importantes em um blog literário. Afinal, um blog é um conjunto de coisas, não é verdade? Para não saturarmos o leitor só com alguma coisa e assim prejudicarmos a dinâmica do blog, temos que variar nos assuntos que são abordados e estar sempre trazendo alguma coisa nova para incrementar esse conjunto.


Entenda: O que é o captcha? "Em linhas gerais, os captcha servem como uma ferramenta auxiliar para evitar spams ou mensagens disparadas por outros computadores ou robôs." - Tecmundo.
Exemplo:

Minha opinião: eu sou totalmente contra o captcha. Acho que isso acaba com a nossa vontade de comentar em algum blog. Se a pessoa quer moderar os comentários, não é necessário o captcha. Simplesmente coloque o comentário para aparecer somente quando for aprovado por você. 
Os captchas, na maioria das vezes, são confusos e a gente demora mais decifrando essas palavras do que comentando em um blog. Para mim, é um item desnecessário.

Opiniões dos leitores que são a favor e contra o uso do captcha:

"Porque se o comentário for com conteúdo a pessoa não se importa em digitar o captcha."

"Porque é irritante, cansativo e desnecessário. É possível evitar spam e coisas do gênero apenas moderando os comentários e facilitando a vida de quem comenta."


Minha opinião: Não acho mesmo que a credibilidade venha das parcerias. Acho que você FAZ a sua credibilidade a partir dos seus posts. Se você faz um post bacana, com uma temática que agrade e de uma forma que prenda o leitor, isso acaba dando credibilidade ao seu blog. As parcerias são consequências daquilo que torna o seu blog bom: o que você FAZ.


Minha opinião: Acho que é através dessas promoções que muitas pessoas acabam chegando no nosso blog. Eu mesma conheci vários blogs através dessas promoções - principalmente quando eu ainda não tinha o blog e gostava de ler a opinião das pessoas a respeito de algum livro e não tinha com quem falar - e continuo visitando a maioria até hoje. Mas infelizmente, não é isso o que acontece na maioria das vezes. É normal você ver uma pessoa no seu blog só quando tem uma promoção. Não é nada legal.


Então gente, essa foi a terceira - e provavelmente última - parte dos resultados da pesquisa de opinião. E aí, vocês concordam com as opiniões dadas?

08/04/2012

Resenha: Os Três Mosqueteiros

Título: Os Três Mosqueteiros
Autor: Alexandre Dumas
Editora: Generale
Páginas: 536
O jovem d'Artagnan deixa sua terra natal no interior da França e chega a Paris para se tornar membro dos mosqueteiros, a tropa especial do Rei Luís XIII. Após alguns acontecimentos, vê-se em meio a um embate com três mosqueteiros, os amigos Athos, Porthos e Aramis. Os duelos, porém, estão proibidos na França. Assim, inesperadamente, eles são flagrados pelos guardas do Cardeal Richelieu, que os atacam impiedosamente.

Nesse momento, d'Artagnan se une aos três destemidos mosqueteiros, e, juntos, saem vitoriosos do combate. Os quatro se tornam companheiros inseparáveis e adotam o lema "Um por todos, todos por um!". Eles combatem em nome do rei e pela defesa da honra da rainha, vivendo uma sequência de momentos de tensão, ameaças e aventuras eletrizantes. As suas vidas estão sempre por um fio. Entre lutas de espadas memoráveis e perseguições alucinantes, os quatro bravos guerreiros correm contra o tempo para deter os avanços de Richelieu e se defender das armações da bela Milady e do Duque de Buckingham.
Recheado de intrigas, romance, bom humor, suspense e batalhas espetaculares, Os Três Mosqueteiros é um clássico da literatura mundial que continua encantando gerações de leitores.

Os Três Mosqueteiros era um livro que eu queria muito ler. Conhecia algumas adaptações para o cinema como a de 1993, mas nunca tive a chance de conhecer o verdadeiro enredo. E a leitura foi bem mais do que eu esperava.

D’Artagnan vai à Paris com o intuito de se tornar mosqueteiro assim como seu pai fora um dia. Ao chegar, conhece Athos, Porthos e Aramis. Então os quatro se juntam para defender a honra do rei, da rainha e é claro, para pregar algumas peças no cardeal.

De uma forma geral, as pessoas pedem conselhos somente para não segui-los; ou se elas o seguem, querem somente alguém para culpar por tê-los dado.
A narrativa no começo do livro é um pouco arrastada devido à falta de ação e à falta de visualização do cenário, uma vez que há muitas referências sobre as ruas de Paris. Quando a ação começa, o livro fica mais dinâmico e você começa a se sentir mais familiarizado com os personagens.

Com uma narrativa em terceira pessoa, é um livro cheio de detalhes. E o mais importante: esses detalhes não tornam a leitura cansativa. O que a torna cansativa é a narrativa um pouco rebuscada devido à época em que o livro foi escrito e isso incomoda um pouco no começo, mas depois isso vai se tornando natural.

Os personagens são encantadores, cada um tem uma característica pessoal e você sempre acaba se identificando com algum. D’Artagnan, nosso personagem principal, é um jovem corajoso, perspicaz. Athos, o mais velho dos mosqueteiros, é reservado e um líder de natureza. Porthos, o mais vaidoso e sempre querendo se mostrar para todos. Aramis, muito religioso e inteligente.

O contexto histórico retratado é um dos pontos que eu tenho que destacar. Como o livro se passa no começo do século XVII, os costumes são totalmente diferentes. As intrigas políticas, amorosas ou religiosas são as principais causas dos problemas na Europa nesse século.

Por sua parte, os três mosqueteiros tinham a maior estima pelo companheiro. A amizade que unia todos os quatro e a necessidade de se verem muitas vezes ao dia, fosse para duelos, fosse para negócios, fosse para se divertirem, fazia com que andassem uns atrás dos outros, como sombras, e encontravam-se sempre os inseparáveis à procura de um ou de outro, do Luxembourg até a Praça Saint-Sulpice, ou da Rua Du Vieux-Colombier ao Luxembourg.
Sei que muita gente só viu a adaptação lançada ano passado com o Logan Lerman como D’Artagnan, então eu assisti assim que terminei de ler o livro para fazer uma comparação e eu posso dizer: é totalmente diferente. Não digo que é um filme ruim, é muito bom para quem gosta de um bom filme de aventura, mas não é nada em comparação ao livro.

Enfim, é um livro que me surpreendeu muito, especialmente o final. Apesar de o livro ser bem extenso e com uma narrativa um pouco rebuscada, é uma excelente leitura para todos aqueles que gostam de uma boa aventura. 

05/04/2012

Capa x Capa: Especial de Páscoa

Olá leitores! Estamos bem pertinho da Páscoa, nossa querida Páscoa! E quando eu penso nessa data, logo me vem na cabeça: chocolate! Ah, meu amado chocolate!


Então pensando nisso e é claro, no coelhinho da páscoa, resolvi fazer um Capa x Capa super especial, com várias capas deliciosas! Claro que provavelmente acabarei com a dieta de várias pessoas - me desculpem meninas! - mas não deu para resistir. 
Vamos lá?


Huuum, essa barra de chocolate de Homens, dinheiro e chocolate dá uma vontade de sair correndo e ir buscar uma agora pra mim! 
E esses bombons maravilhosos de A Dieta das Chocólatras - dieta? Oi? Isso é o que não vai existir na páscoa! 


O motivo de eu ter colocado Chocolate nessa lista foi porque tem alguém nessa capa que é tão maravilhoso quanto o próprio chocolate - cof! cof! Johnny Depp - então eu não pude resistir! 
Chocolate: Por que gostamos tanto? não é uma das capas mais atraentes que eu já vi por aí, mas aquele chocolate derretido é uma tentação!


Brigadeiro de colher já! É a primeira coisa que eu penso ao ver a capa de O Clube das Chocólatras. Alguém além de mim tá com uma vontade incontrolável de comer brigadeiro agora?
E mais bombons! Esses de Melhor que Chocolate me lembram aquelas caixas  de bombons chiques sabe? Daquelas que você come um por dia para não acabar rápido? Ai...


Agora o momento fofura. Como eu disse lá no começo do post, a Páscoa também me lembra os famosos coelhinhos! E é claro que eles merecem o espaço deles aqui, não é mesmo?
Uma História de Páscoa é uma gracinha! Me lembrou aquela música: Coelhinho da páscoa o que trazes pra mim?
E o coelho de Histórias de Páscoa? Ele parece tão assustadinho! Uma fofura também.

Gente, acho que depois de tudo isso, não vou resistir e vou correndo achar algum chocolate para comer! E vocês, também vão?

03/04/2012

Resenha: Estilhaça-me

Título: Estilhaça-me
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304

Juliette nunca se sentiu como uma pessoa normal. Nunca foi como as outras meninas de sua idade. O motivo: ela não podia tocar ninguém. Seu toque era capaz de ferir e até matar.
Durante anos, Juliette feriu e, segundo seus pais, arruinou o que estava à sua volta com um simples toque, o que a levou a ser presa numa cela.
Todo dia era escuro e igual para Juliette até a chegada de um companheiro de cela, Adam. Dentro do cubículo escuro, Juliette não tinha notícias do mundo lá fora. Adam ia atualizando-a de tudo.
Juliette não entendeu bem o que estava acontecendo quando foi retirada daquela cela e supostamente libertada, ao lado de Adam, e se vê em uma encruzilhada, com a possibilidade de retomar sua vida, mas por caminhos tortuosos e totalmente desconhecidos.
"Estilhaça-me" é um romance fantástico, que intriga, angustia e prende o leitor até a última página com uma história surreal que mistura amor, medo, aventura e mistério e traz um desfecho surpreendente.

Se tinha um livro que eu realmente estava muito ansiosa para ler, esse livro era Estilhaça-me. Tanto que, assim que o livro chegou aqui em casa, parei tudo o que eu estava lendo só para começar a lê-lo. E posso dizer uma coisa: eu não me arrependo.

O enredo é baseado na história de Juliette. Após um terrível acidente, ela é trancafiada em um manicômio, uma vez que as pessoas ao seu redor estão cada vez mais com medo de seu “dom”.
Neste momento, o mundo está sendo controlado pelo Restabelecimento, uma instituição que visa controlar, uma vez que essa seria a única saída já que os danos provocados pelo ser humano ao meio ambiente. Só que durante a leitura, percebemos que os danos ambientais são só um pretexto para que essa organização possa controlar a população, tendo assim o domínio do poder.

"Estou aprisionada há 264 dias. Não tenho nada senão um caderno e uma caneta quebrada e os números na cabeça para me fazer companhia. Uma janela. Quatro paredes. Espaço de 1,48 m². Vinte e seis letras de um alfabeto do qual não fiz uso em 264 dias de isolamento. Seis mil, trezentas e trinta e seis horas desde que toquei outro ser humano."
A narrativa é maravilhosa. Como a narrativa é em primeira pessoa, percebemos claramente como funciona a cabeça de Juliette, que, como está à beira da insanidade – uma vez que a dizem que ela é mortal e é culpada por tudo de ruim que já aconteceu com seus pais -, está sempre repetindo as coisas para ter certeza se aquilo é mesmo real, conta os segundos que cada coisa dura, está sempre com certa paranóia.

A personagem principal realmente me encantou. Ela foge daqueles estereótipos de personagens otimistas, cheias de si e que tudo o que eles fazem acaba dando certo.
Os personagens secundários também são ótimos. São simples, o enredo mostra que eles estão apenas tentando sobreviver onde a escassez de alimentos e o controle do Restabelecimento é que movem o mundo.

No começo da leitura, achei que o livro iria tomar um rumo completamente diferente. Só que, com uma reviravolta à la X-Men, ele segue um caminho inesperado da metade para o final, e nesse ponto o livro consegue tirar muitos suspiros dos leitores e ser surpreendente a cada página.

"Na ausência de relacionamentos humanos, criei laços com as personagens de papel. Vivi amor e perda por meio das histórias enredadas na história; experimentei a adolescência por associação. Meu mundo é uma teia entrelaçada de palavras, amarrando membro a membro, osso a tendão, pensamentos e imagens todos juntos. Sou um ser composto de letras, uma personagem criada por frases, um produto da imaginação fabricado por meio da ficção."
Para quem não sabe, o livro faz parte de uma trilogia. O próximo livro da trilogia irá se chamar Unravel Me (“desvende-me” na tradução literal) e tem o lançamento previsto para o dia 5 de fevereiro de 2013 nos Estados Unidos. Então galera, para vocês que são ansiosos e mal conseguem esperar para que o próximo livro chegue logo às livrarias, creio que a espera vai ser muito maior do que a gente esperava.

Então aqui vai uma super dica: esqueçam tudo o que vocês já viram em livros com temáticas sobrenaturais e, se ainda não tiveram oportunidade, corram para ler Estilhaça-me, um livro que com certeza vai surpreender a todos.

01/04/2012

Biografias #3: Stephen King


Stephen King nasceu no dia 21 de setembro de 1947 nos Estados Unidos e é reconhecido por ser um dos mais notáveis escritores de contos de horror fantástico e ficção de sua geração.

Seu primeiro livro publicado foi Carrie, A Estranha em 1974. O livro fez um sucesso enorme, fazendo com que o autor fosse reconhecido e com que ganhasse uma adaptação para o cinema. O livro virou um clássico da literatura.

Em 1977, foi publicado o livro O Iluminado. Esse livro o tornou mundialmente famoso e a história se imortalizou cinematograficamente em 1980. Esse filme é considerado um dos clássicos do cinema.

Cena de "O Iluminado"


Depois disso, muitos livros de King fizeram sucesso e ganharam adaptações cinematográficas. 
Mas, ao longo dos anos, ele acabou se mostrando um autor versátil, conseguindo romper as barreiras que o denominaram como autor de horror.

Em 1996, conseguiu atingir novos leitores por causa de seus dramas. À Espera de Um Milagre ganhou grande notoriedade e sua adaptação, com duração de três horas, ganhou 4 indicações ao Oscar.


  • A Torre Negra


A Torre Negra (no original, The Dark Tower) é uma série literária escrita pelo estadunidense Stephen King. Misturando ficção científicafantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea, o enredo segue um "pistoleiro" e sua busca em direção a uma torre, cuja natureza é tanto física quanto metafórica.

A série tem ganhado muitos leitores aqui no Brasil (apesar de o primeiro volume ter sido lançado 1982) e conta com sete volumes até agora.