31/08/2012

Lançamentos #14: Novo Conceito

Título: Um Porto Seguro
Autor: Nicholas Sparks
Páginas: 384

Quando uma mulher misteriosa chamada Katie aparece repentinamente na pequena cidade de Southport, na Carolina do Norte, questionamentos são levantados sobre seu passado. Linda, mas discreta, Katie parece evitar laços pessoais formais até uma série de eventos levá-la a duas amizades relutantes: uma com Alex, o viúvo, com um coração maravilhoso e dois filhos pequenos, a outra com sua vizinha muito franca, Jo. Apesar de ser reservada, Katie começa a baixar a guarda lentamente, criando raízes nessa comunidade solícita e tornando-se próxima demais de Alex e de sua família. No entanto, quando Katie começa a se apaixonar, ela se depara com o segredo obscuro que ainda a assombra e a amedronta: o passado que a deixou apavorada e a fez cruzar o país para chegar no paraíso de Southport. Com o apoio simpático e insistente de Jo, Katie percebe que deve escolher entre uma vida de segurança temporária e outra com recompensas mais arriscadas... e que, no momento mais sombrio, o amor é seu único refúgio.

 Título: A Décima Segunda Profecia
Autor: James Redfield
Páginas: 400
No dia 21 de dezembro de 2012, o calendário maia acabará. Muitos veem isso como um sinal apocalíptico. Será? A longa espera pelo romance da Celestine Serie, A 12ª Profecia descreve Hero e seu amigo Wil quando recebem um pedaço de mistério, um manuscrito antigo que descreve uma aproximação secreta à espiritualidade que está chegando com rapidez à segunda década do século XXI. Para entender todo o contexto desse texto, Hero e Wil começam uma busca urgente pela veracidade e totalidade dessa mensagem. Confrontados por políticos poderos e religiosos extremistas, ele lutarão para revelar a verdade que pode transformar nossas vidas — e o mundo.

28/08/2012

Resenha: Presentes da Vida

Título: Presentes da Vida
Autora: Emily Giffin
Editora: Novo Conceito
Páginas: 383

Darcy Rhone sempre teve todos os homens aos seus pés. Tinha um emprego glamouroso, um seleto círculo de amizades e um noivo perfeito, Dexter Thaler. No entanto, tudo mudou quando Darcy se envolveu com o melhor amigo de seu noivo... Seu noivado acabou e perdeu sua melhor amiga, Rachel. Incapaz de assumir responsabilidades e de enfrentar todo esse mal-estar, Darcy foge para Londres, para a casa de um amigo de infância, imaginando que poderia passar uma borracha em tudo isso. Mas, para seu desânimo, Londres se torna um mundo estranho, onde seus truques de sedução não mais funcionam e onde sua sorte parece ter se evaporado. Sem amigos nem família, Darcy precisa dar novo rumo à sua vida e, assim, começa uma linda trajetória rumo ao crescimento e ao amor.

Muita gente já tinha me falado sobre a autora desse livro. Alguns amam, outros odeiam. E eu já sei onde me enquadro: eu amei a narrativa da autora. Estava precisando de um chick-lit para aliviar a tensão dos livros densos e Presentes da Vida caiu perfeitamente bem para o momento.

Darcy tem tudo na vida: dinheiro, todos os homens aos seus pés. Mas tudo desmoronou quando ela traiu seu noivo com o melhor amigo dele e acabou perdendo-o para sua melhor amiga, Rachel. Para tentar fugir dessa má fase de sua vida, Darcy vai passar uma temporada em Londres, com seu amigo de infância, Ethan. E é a partir daí que o enredo de desenrola.

Era tudo mentira. Eu nunca, em milhões de anos, poderia prever esse momento. O choque foi grande demais para mim. Por isso senti como se tivesse recebido um soco arrebatador; o fato de ser inesperado machuca mais do que o próprio soco. Eles me deram um soco, mas eu não queria bancar a idiota. p. 20
Acho que o motivo de eu ter gostado do livro foi porque eu tive uma relação de amor e ódio com a Darcy, a protagonista. Eu ficava em uma situação em que eu falava: “como você pode ser tão irritante?” e deixava o livro de lado. Mas dois minutos depois, o livro já me chamava e eu não podia resistir. Eu adoro livros que fazem isso comigo, de me fazer brigar comigo mesma só para lê-lo.

Até a metade do livro, a Darcy só me irritava. Não conseguia entender como um personagem podia ser tão irritante e tão metido. E isso só piorava com a narrativa em primeira pessoa, o que me fazia ter que conviver em todas as horas com ela. Eu pensei que eu ia ter que ter forças para continuar aguentando a Darcy. Só que a linda da Emily Giffin conseguiu dar uma super reviravolta e, a partir da metade do livro, eu já estava cativada e torcendo para que tudo desse certo na vida dela.

Essas reviravoltas nos mostraram a evolução da personagem durante a obra. Fazia tempo que eu não lia algum livro que, como objetivo, mostrasse a evolução pessoal de alguém. E foi uma surpresa tão boa ver isso na Darcy! Já que esperava um enredo mais bobo, falando só sobre a vida de luxo da personagem, toda essa evolução me fez gostar ainda mais do livro.

Nos dias seguintes, eu ouvia repetidamente músicas inspiradoras como I Will Survive, enquanto tentava pensar em um plano, em uma maneira de escapar da vergonha de tanta rejeição. Eu precisava recomeçar, virar a página, mudar de cenário. p. 175 
Uma coisa que eu adorei foi a narrativa da Emily. Fui sem esperar nada e fiquei mais do que surpresa. A autora consegue conduzir o enredo de uma forma brilhante, nos levando ao auge da empolgação, principalmente no final. A evolução no enredo é incrível, e de certa forma, no término do livro, fiquei imaginando se era o mesmo que eu tinha começado alguns dias atrás, que estava me irritando. Isso é fantástico!

Para aqueles que curtem um bom chick-lit, fica uma excelente dica, com direito a romance, traição, drama e tudo o que um bom livro tem direito. 

26/08/2012

5 filmes que não consigo parar de assistir

A ideia de fazer esse post veio porque ontem eu estava trocando os canais, olhando os filmes que estavam passando e, por mais que tivessem filmes que eu ainda não tinha assistido, eu acabei parando em um filme que eu já assisti incontáveis vezes. 
Então eu comecei a fazer uma lista de alguns filmes que sempre me fazem arranjar algum tempo para ver e me emocionar de novo. 

  • Titanic

Provavelmente muitos de vocês estão pensando agora: Sério Luara? Titanic? E eu respondo: SIM! Já vi esse filme mais vezes do que posso contar e eu simplesmente não consigo não ver quando passa na TV. Aliás, esse foi o filme que eu vi ontem, que eu mencionei no começo do post.
Por mais que o filme tenha mais de 3 horas de duração, eu nunca consigo ficar entediada com nenhuma parte do filme. Afinal, só quem não é romântico consegue não se envolver com o romance de poucos dias de Jack e Rose. 
Assisto esse filme desde a estreia em 98, e lembro que, quando eu era mais nova - tinha 4 anos na época -, minha mãe ficava me perguntando o motivo de eu gostar tanto desse filme. É claro que eu não tinha noção do romance, só gostava do aspecto visual, que na época foi revolucionário.
Só sei que, até hoje, quando My Heart Will Go On começa a tocar em qualquer lugar, especialmente no final do filme, já sei que vou me acabar de chorar.


25/08/2012

Promoção: Leia Mais

Mais uma promoção para vocês, galera! Agora em parceria com o blog Overshock. Vamos participar? 


Prêmios: A Filha da Minha Mãe e Eu e O Maravilhoso Mágico de Oz para um só ganhador.
Atenção: Todas as regras estão nos Terms & Conditions do formulário!

23/08/2012

Resenha: O Casamento

Título: O Casamento
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Após quase 30 anos de casamento, Wilson Lewis é obrigado a encarar uma dolorosa verdade: sua esposa, Jane, parece ter deixado de amá-lo, e ele é o único culpado disso.
Viciado em trabalho, Wilson costumava passar mais tempo no escritório do que com a família. Além disso, nunca conseguiu ser romântico como o sogro era com a própria mulher. A história de amor dos pais de Jane, contada em Diário de uma paixão, sempre foi um exemplo para os filhos de como um casamento deveria ser.Diante da incapacidade do marido de expressar suas emoções, Jane começa a duvidar de que tenha feito a escolha certa ao se casar com ele. Wilson, porém, sente que seu amor pela esposa só cresceu ao longo dos anos. Agora que seu relacionamento está ameaçado, ele vai fazer o que for necessário para se tornar o homem que Jane sempre desejou que ele fosse.

Antes de tudo, alguns esclarecimentos: O Casamento e Diário de Uma Paixão são livros independentes. O que liga os dois livros é que o enredo de O Casamento é sobre Jane, filha de Noah e Allie, casal de Diáro de Uma Paixão e este casal é citado durante o enredo do livro O Casamento. Mas vocês não precisam ler um para ler o outro, ok?

Eu estava muito curiosa mesmo para ler esse livro. Eu já sabia por causa da Luana que esse livro não era uma continuação de Diário de uma paixão, mas como eu citei acima, o Noah apareceria. E como Diário é o meu livro favorito (<3) do Nicholas Sparks, eu não poderia deixar um pedacinho do meu querido Noah passar. Mas esse livro foi muito além disso.

Sentando ao seu lado no sofá, eu soube que ainda amava Jane tanto quanto no dia de nosso casamento. No entanto, ao olhar para ela, ao reparar pela primeira vez na forma distraída como ela relanceou os olhos para o lado e na postura inegavelmente triste de sua cabeça, de repente percebi que não tinha certeza de que ela ainda me amava. p. 12
Wilson e Jane estão passando por uma fase difícil no casamento. Eles estão quase completando 30 anos de casamento e a vida deles não é mais como era antes. Eles não conversam mais, a relação deles está fria e Wilson já está em dúvida quanto ao amor que Jane sente por ele. É aí que ele toma uma decisão: ele vai fazer de tudo para salvar seu casamento.

Fugindo do estereótipo que todo mundo conhece do Nicholas Sparks (um casal se apaixona, surge uma doença, alguém morre), O Casamento mostra a história de redescoberta de um amor que acabou desgastado por causa do descuido do casal. Eu achei esse enredo fantástico, até porque é normal a gente encontrar um livro falando sobre encontrar o amor, mas não como cuidar dele. E o Sparks conseguiu descrever essa situação com maestria.

Como o livro é narrado pelo Wilson, dá para sentir que ele realmente quer salvar o casamento dele, e aquilo acaba te envolvendo na história, já que você se solidariza com o sofrimento e a culpa que ele sente por ter de descuidado da esposa. E é claro, você fica naquela expectativa para saber o que vai acontecer no final, o que o Wilson vai fazer para conseguir fazer com que a Jane volte a olhar pra ele daquela forma como ela olhava no passado.

O que é legal é que o livro tem algumas cenas do passado deles, e isso faz com que a gente entenda melhor como as coisas eram e o que ocasionou esse desgaste no casamento deles. Não é nada cansativo – como tem acontecido em vários livros que usam desse artifício – e com certeza faz com que você se sinta mais ligado ao casal.

Agora, olhando para nossa foto de casamento, tudo o que eu conseguia pensar era que 30 anos de negligência inocente tinham feito meu amor parecer uma mentira e que o dia de pagar essa conta parecia enfim ter chegado. Nós só estávamos casados no papel. Não fazíamos amor havia quase seis meses e os poucos beijos que trocávamos não significavam muito para qualquer um dos dois. Eu estava morrendo por dentro, saudoso de tudo o que tínhamos perdido. Enquanto encarava nossa foto de casamento, odiei a mim mesmo por ter deixado isso acontecer. p. 58
Fazia muito tempo que eu não chorava do jeito que eu chorei em O Casamento. Muita gente disse que esse não foi tão emocionante, mas pra mim aquele final foi tão lindo, mas tão lindo! E muito inesperado também. Ainda estou aqui com o coração saltitando.

Eu poderia ficar aqui falando desse livro por horas, porque eu adorei os personagens, a história, adorei ter mais um contato com o Noah, mas se eu ficar, vocês provavelmente vão me matar se eu começar a falar e contar a história toda.
Só posso dizer uma coisa: leiam. É um livro fantástico. 

21/08/2012

Resenha: Helena de Troia

Título: Helena de Troia - Memórias da mulher mais desejada no mundo
Autora: Francesca Petrizzo
Editora: Lua de Papel
Páginas: 208

Um navio retorna de uma intensa batalha pelas costas gregas. Uma mulher observa o contorno do Peloponeso na penumbra do crepúsculo. É a jovem Helena, oferecida pelo pai ao conquistador Menelau para garantir a paz e sobrevivência de seu povo. Uma fatídica decisão que seria carregada de tristeza e tragédia, porque Helena começa a buscar nos braços de outros aquilo que lhe fora negado. Numa narrativa lírica e original, esta obra traz a versão de Helena da história lendária que é conhecida em todo o mundo, a disputa que originou a guerra de Troia. De sua infância em Esparta aos anos turbulentos de sua união com Menelau e a fuga com Páris e todas as suas consequências. A vida de uma mulher que estava destinada ao poder, mas era movida à paixão e seu amor provocou uma das guerras mais famosas de todos os tempos. 

Eu esperava uma coisa totalmente diferente desse livro. Por se tratar de Helena, a causa de uma das guerras mais conhecidas de todo o mundo, pensei que a própria guerra em si iria ter um grande foco no livro, mas não foi isso o que aconteceu. Mas felizmente, foi uma surpresa muito boa.

Para aqueles que não sabem, vamos dar uma visão (bem) rápida do que marcou essa personagem: por ser considerada a mais bela entre muitas, Helena é obrigada a se casar com Menelau, irmão de Agamenon, o rei de Micenas. Só que Helena acaba conhecendo Páris, príncipe de Troia, e se apaixona. Por causa disso, eles acabam fugindo juntos. Isso acarreta uma guerra entre os territórios conquistados por Agamenon – o que compreendia praticamente toda a Grécia – e Troia. É claro que essa guerra também teve um aspecto político e econômico, pois Troia era um dos únicos territórios que o rei de Micenas ainda não havia conquistado.

Era uma ordem, a do grande rei. Uma ordem contra a qual não era possível rebelar-se. As saudações de minha irmã e todo o seu afeto feriam como chicotadas. Viriam a Esparta somente para o casamento, não antes. p. 48
Como eu disse, eu achei que esse aspecto mais épico da história ganharia um grande, mas é o que a gente menos encontra. Acompanhamos toda a vida de Helena – como o próprio título e subtítulo sugerem –, desde sua infância traumática, passando por sua adolescência perturbada e sua vida adulta cheia de amantes. O livro é dividido em duas partes: a primeira retratando sua vida em Esparta e a segunda em Troia.

A narrativa, com a própria Helena contando como tudo aconteceu na visão dela, não é uma das mais atrativas no começo do livro. Ela é excessivamente poética, então acaba demorando um pouco para se acostumar com isso. Mas, depois que nos acostumamos, isso acaba dando um toque bem especial na trama.

Uma coisa que eu notei – e que não sei até que ponto isso é bom – é que os personagens foram muito humanizados. Claro que é bom você ter um contato mais pessoal com uma história que é famosa no mundo todo, mas ao mesmo tempo é estranho, já que isso faz com que toda aquela magia envolvendo a história, entendem?

Começaram as manobras. Despertamos pela manhã depois dos gritos dos oficiais, enquanto no pátio a cavalaria reunia os corcéis. De pés descalços alcancei a janela. Heitor, que montava a pelo, as feições ocultadas por um elmo de bronze, gritava ordens, a espada desembainhada. O exército troiano, que ele jamais deixara no ócio, respondia a seus comandos, se perfilava em colunas para além da porta. p. 116
Senti que muitas coisas da mitologia foram alteradas ou deixadas de lado, como o fato de Helena ser filha de deuses. Isso não é nem citado no livro. Tudo bem que isso acabou não fazendo falta no enredo, já que como eu disse, a história foi humanizada, mas pra mim, o livro deixou essa brecha.

Mas não é à toa que o livro está fazendo um sucesso estrondoso na Europa e em outras partes do mundo. É uma visão diferente da história que conhecemos, o que o torna inovador.
Para os fãs dessa história, pode causar tanto amor quanto ódio, já que uns podem achar interessante essa nova visão e outros podem achar que o livro destruiu a história.
Já para aqueles que só conhecem por alto ou desconhecem a guerra entre a Grécia e Troia, é um livro super recomendando. 

20/08/2012

Lançamentos #13: Companhia das Letras

Olá pessoal! Já estão sabendo que a Companhia das Letras está com ótimos lançamentos esse mês? Ficam as dicas de lançamentos para esse mês:

Título: Como Ser Mulher
Autora: Caitlin Moran
Páginas: 240
Nunca houve época melhor para ser mulher. Elas podem votar, têm a pílula, estão no topo das paradas musicais, são eleitas presidentes e primeiras-ministras e não são acusadas de bruxaria e queimadas desde 1727. Entretanto, algumas perguntinhas incômodas persistem: Os homens no fundo as odeiam? Como elas devem chamar os próprios peitos? Por que as calcinhas estão ficando cada vez menores? E por que as pessoas insistem em perguntar quando elas vão ter filhos? Em Como ser mulher, Caitlin Moran responde a essas e muitas outras perguntas que mulheres modernas no mundo todo estão se fazendo.


 Título: Toda Sua
Autora: Sylvia Day
Páginas: 280
Gideon Cross entrou na minha vida como um relâmpago na escuridão...
Ele era inteligente, bem-sucedido, rico e muito lindo. Fiquei obcecada por ele como nunca tinha ficado por ninguém, por nada. Ansiava por seu toque como uma droga, mesmo sabendo que aquilo acabaria me destruindo. Eu tinha meus problemas, e ele fez com que viessem à tona muito facilmente. 
Gideon sabia. Ele também tinha seus problemas. E nós acabaríamos sendo o espelho que refletia os traumas - e os desejos - mais secretos do outro. 
Seu amor me transformou, e eu rezava para que nosso passado não nos separasse...

Título: A Idade dos Milagres
Autora: Karen Thompson Walker
Páginas: 216
Em um sábado aparentemente comum, na Califórnia, Julia e sua família acordam e descobrem, com o resto do mundo, que a velocidade de rotação da Terra está diminuindo. Os dias e as noites vão ficando mais longos, fazendo que a gravidade seja afetada e o meio ambiente entre em colapso. Pássaros desorientados caem mortos do céu, centenas de baleias encalham na praia, as marés saem de controle. Enquanto alguns entram em pânico, outros procuram viver como se nada estivesse acontecendo, agarrando-se a qualquer custo à sua rotina e ignorando a evidência de que o fim do mundo se aproxima.  Ao mesmo tempo que luta para se adaptar à nova “normalidade”, Julia tem que lidar com os problemas típicos da adolescência e os desastres do cotidiano: a crise no casamento de seus pais, a perda de antigos amigos, as amarguras do primeiro amor e o estranho comportamento de seu avô, que acredita que tudo se trata de uma conspiração do governo e passa os dias catalogando suas posses obsessivamente. 

18/08/2012

Resenha: Desejo

Título: Desejo
Autora: J. R. Ward
Série: Fallen Angels, livro 2
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 432
Sete pecados mortais. Sete almas que devem ser salvas. Mais um homem não detem a batalha entre um anjo caído, com um coração endurecido e um demônio com tudo a perder. Isaac Rothe é um soldado com um passado obscuro e um futuro sombrio. O alvo de um assassino, ele se encontra atrás das grades, seu destino nas mãos do sua linda defensora pública Grier Childe. Sua atração quente por ela só pode levar a problemas e que antes mesmo de Jim Heron dizer-lhe que sua alma está em perigo. Presa em um jogo perverso com o demônio sombrio Jim, Isaac deve decidir se o soldado nele pode acreditar que o verdadeiro amor é a melhor arma contra o mal. Isaac Rhote é um assassino, desertor do exército e, por isso, manter-se nas sombras é a única maneira de sobreviver. Fugindo de seu antigo chefe ele é preso e seu futuro fica nas mãos da bela defensora pública, Grier Childe. A forte atração que existe entre eles pode ser fatal. 

Segundo volume da série Fallen Angels, Desejo conseguiu fazer com que eu realmente tivesse vontade de terminar essa série. Cobiça (resenha) já tinha sido um livro maravilhoso e Desejo conseguiu manter a linearidade da série, o que contribuiu muito para que o livro me conquistasse.

Jim Heron agora tem mais uma missão: ele precisa salvar a alma de Isaac Rothe e ganhar mais um ponto para os anjos no jogo contra os demônios. Só que dessa vez, seus inimigos estão cada vez mais poderosos e influentes e essa disputa será ainda maior...

Mas que maldição, as regras precisavam ser seguidas. Era por isso que, nos jogos de estratégia, elas eram estabelecidas antes de começar a disputa, por isso não haviam dúvidas ou erros de interpretação durante o jogo. Na verdade, ele sempre acreditou que uma competição justa requeria duas coisas: adversários de habilidades equivalentes e parâmetros bem definidos.

E naquele caso específico, por se tratar do futuro da humanidade, o primeiro critério foi cumprido de maneira específica. Seu lado e do demônio Devina eram iguais em forças, fraquezas e objetivos. p. 73
Como eu já disse bem ali no começo, Desejo tem uma linearidade espetacular. Consegue manter o mesmo suspense que Cobiça tem e sem fazer com que o enredo caia em repetição, já que como os livros têm como base a luta entre anjos e demônios por uma alma, e por isso, ficamos com aquele receio que a autora não consiga conduzir sem ficar entediante e com aquela impressão de já vi isso antes. Mas estamos falando da J.R. Ward, não é mesmo?

Para quem não sabe, J.R. Ward é a autora da Irmandade da Adaga Negra – ou simplesmente IAN – e essa série já tem muitos fãs aqui no Brasil. E eu preciso dizer que eu acabei virando fã de carteirinha, tanto da série quanto da autora.
Como estamos falando de Fallen Angels, vou focar na autora. Estou apaixonada pela narrativa dela.  É tão envolvente, que você se pega lendo o livro em uma sentada. É claro que ela já tem aquela característica marcante que é colocar cenas eróticas nos livros. E é claro que não poderia ser diferente em Fallen Angels. que, nessa série, as cenas são bem mais raras do que em IAN. E se isso é bom ou não, depende do gosto de cada um, não é mesmo? Para mim são suficientes.

Os personagens estão ainda melhores em Desejo. O Jim está tendo uma evolução incrível e não posso negar que estou muito curiosa para ver o que vai acontecer com ele nos próximos livros. O Ad e o Ed – espécies de anjos ajudantes – aparecem menos, mas estão mais sombrios, fazendo com que a atmosfera de suspende fique ainda mais evidente.

Ele não se perdoaria se Devina colocasse suas garras em Isaac – sob qualquer forma que pudesse assumir. Isaac era seu garoto e a ideia daquele homem caindo nas mãos do inimigo era inaceitável, especialmente se acontecesse daquele demônio usar um rosto familiar. p. 110
Eu nem preciso dizer que eu mais do que recomendo essa série, não é? Para quem gosta de uma temática sobrenatural, com uma pegada erótica e com ação envolvida, essa série é perfeita. E mesmo quem não gosta precisa dar uma chance para ela. É fantástica!

O único ponto negativo é que o terceiro volume da série ainda não foi lançado. Segundo a editora Universo dos Livros, Envy (Inveja, na tradução literal) será lançado entre setembro e outubro deste ano. Então o que nos resta é esperar. 

16/08/2012

Resenha: Sábado à Noite

Título: Sábado à Noite
Autora: Babi Dewet
Editora: Generale
Páginas: 344
Encontre: Skoob - Site da editora
Esta é a história de um amor jovem, verdadeiro e conflitante. Amanda é a garota mais bonita do colégio - e também a mais popular -, e seu melhor amigo faz de tudo para arranjar encrenca e só anda com os maus elementos do pedaço: os marotos. Por causa de um trabalho de Artes, Amanda acaba descobrindo que ela não é quem sempre achou que fosse. Ser a menina mais desejada talvez não seja tão bom assim...
Tudo ao seu redor começa a desmoronar quando uma paixão mal-resolvida volta à tona e sua lealdade é posta à prova. Seria um garoto mais importante que uma amiga? Como se não bastasse, o diretor da escola resolve promover bailes aos sábados e convida uma misteriosa banda mascarada para tocar. Os músicos, além de muito talentosos, conseguem mexer com todos, até mesmo com Amanda e suas melhores amigas.
Quanto mistério para um simples baile! Mas as letras das músicas cantadas pela misteriosa banda dizem muito sobre ela e seus amores... Como poderiam os músicos saber de tudo aquilo? Afinal, quem eram os mascarados de Sábado à Noite?

Esse era um livro que eu queria muito ler. O conhecia desde que era só uma fanfic, então posso dizer que essa vontade vem de um bom tempo já. Só que eu não sei se foi a situação de leitura que eu me encontrava – tinha acabo de ler Cosmópolis, que é um livro denso –, mas eu acabei achando um livro teen demais para o meu gosto.

Sábado à Noite cumpre sua premissa de ser um livro totalmente juvenil. Então, para quem está procurando um livro assim, é uma boa pedida. Mas para mim não foi. Passar das primeiras 30 páginas foi quase que um desafio impossível para mim.

Daniel não riu. Estava imerso em pensamentos e pôde ver tudo em câmera lenta. O jeito que ela andava, o modo como seus cabelos balançavam e a forma como conversava com Carol sem parar. Voltou a olhar para o outro lado antes dos outros. Percebeu que Caio e Fred estavam praticamente babando e aí, então, sorriu. Seu plano realmente poderia dar certo. p. 23
O grande motivo por trás disso é que é uma narrativa beirando à infantilidade. O livro é cheio de clichês do tipo “a garota popular se apaixona pelo garoto mais atentado e ninguém pode saber”, e isso me irritou muito, já que de uma forma ou de outra, todos sabemos o que vai acontecer nesses casos, não é mesmo? Só que, GENTE, pra que enrolar tanto? Acho que, por mim, pelo menos quase 200 páginas seriam tiradas só para deixar o livro menos cansativo.

Não posso negar que, após o desafio das primeiras 100 páginas, eu acabei me envolvendo com a trama. Afinal, quem não curte um bom romance proibido? Eu comecei a simpatizar com os personagens, enfim, a trama foi conquistando espaço. Só que ainda tinha aquela narrativa teen demais que não caiu bem para o momento.

Mas tem um ponto que eu gostei: o foco, claro, é no casal principal. Mas existem vários casais secundários que, para mim, fizeram diferença. Pelo menos isso fez com que não ficássemos saturados com o casal Amanda e Daniel.

Amanda espiou pela janela e percebeu a expressão preocupada de Caio. Sentia culpa por fazer Daniel passar por tudo aquilo. E por mais que tentasse fingir que não se importava, era a coisa mais importante para ela naquele momento. p. 45 
Vejam bem: é um livro fantástico para quem está procurando um livro com essa temática. O enredo promete um daqueles chick-lits que nunca acrescentam em nada, mas que pode ser uma boa leitura quando a gente quiser relaxar um pouco. E seria uma boa leitura no meu caso, já que eu gosto muito de livros assim. Só que o momento não colaborou e eu achei o livro extenso demais quando poderia ser mais ágil.

Um livro altamente recomendado para aqueles que curtem uma linguagem mais teen, mas que pode ser uma grande decepção para aqueles que não. Leiam o livro sem esperar muita coisa, talvez isso faça com que a leitura fique mais prazerosa. 

13/08/2012

Caixa de Correio #8

Oi pessoal! Mais um vídeo com o que chegou para mim nessa última quinzena. O vídeo tá bem curtinho, então fica melhor para vocês assistirem, certo?
O ruim é que o editor de vídeo deu problema aqui e eu não consegui editar o vídeo de JEITO NENHUM! Então, não reparem na doida aqui ligando/desligando a câmera (eu costumo cortar isso na edição). 
Enfim... espero que gostem!

10/08/2012

Resenha: Cosmópolis

Título: Cosmópolis
Autor: Don DeLillo
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 200
Encontre: SkoobSubmarino - Saraiva - Cultura
Aos 28 anos, o empresário Eric Michael Packer fez fortuna com a especulação nas bolsas de valores de todo o mundo. Num certo dia do ano 2000, ele acorda e contempla a cidade de seu triplex no prédio residencial mais alto do mundo, em Nova York. Decide cortar o cabelo. O presidente da República está na cidade, os mercados estão nervosos, um protesto antiglobalização toma conta de Times Square e o trânsito está abarrotado. Acompanhado do motorista e de seguranças, Eric demora o dia inteiro para percorrer dez quarteirões de Manhattan em sua limusine equipada com bar, banheiro, monitores conectados à internet e câmaras de vídeo. Eric especula contra o iene, cuja cotação, segundo seus cálculos, deve começar a cair a qualquer momento. A moeda japonesa, porém, sobe sem parar. Durante a viagem, Eric encontra várias vezes por acaso a mulher com quem se casara poucos dias antes, a também milionária Elise. A relação deteriora a cada encontro, pois ela percebe que ele a trai sucessivas vezes ao longo do caminho. No decorrer do dia, as certezas e os valores de Eric se mostram vazios e sua vida entra em colapso. O empresário perde mais e mais dinheiro - e também toda a fortuna de Elise -, até que o sistema financeiro global é arrastado para uma grave crise. A história revela mais do que a falta de sentido de uma existência individual: ela aponta para o caráter perigosamente ilusório das bases que sustentam o mundo contemporâneo.

Na época em que li esse livro, eu estava querendo algo diferente. Minhas leituras estavam seguindo só aquele padrão young adult e sobrenatural. Então assim que a oportunidade de ler Cosmópolis, eu sabia que era esse livro que eu estava precisando no momento.

O enredo se passa em um dia na vida de Eric no ano 2000. Eric é um prodígio no setor financeiro, conseguindo prever o comportamento das moedas ao redor do mundo com maior antecedência que qualquer um. Por causa disso, Eric ficou multimilionário e agora vive uma relação de amor e ódio com todos e também consigo.
No dia em que o presidente da república está na cidade – um dia particularmente confuso – ele resolve sair com a sua limusine e atravessar a cidade, tudo para conseguir um corte de cabelo. Ao mesmo tempo, sua última previsão parece estar totalmente errada e ele já perdeu milhões, mesmo antes de chegar à próxima avenida.
Ao decorrer do dia, Eric passa por diversos acontecimentos, alguns mudando completamente o rumo de sua vida.

O conceito de propriedade está mudando a cada dia, a cada hora. As fortunas que as pessoas gastam em terras, casas, iates, aviões. Isso não tem nada a ver com as tradicionais formas de auto-afirmação, pois é. Propriedade não tem mais nenhuma ligação com poder, personalidade e autoridade. Nem exibicionismo, vulgar ou de bom gosto. Porque não tem mais peso nem forma. A única coisa que importa é o preço que se paga. p. 79
Eric é um dos personagens mais complexos que eu já tive que lidar. É claro que, com um enredo complexo, o protagonista também seria, mas o Eric é diferente. Tive uma relação de amor e ódio com ele por todo o livro. O odiei na maior parte, porque ele tem algumas manias chatas de divagar sobre tudo, de estar sempre questionando todas as coisas que acontecem, ele é obcecado por sua saúde e por vezes vemos que ele já perdeu o prazer no que faz. Mas, ao mesmo tempo em que via todas essas atitudes nele, eu via aquele humor irônico que eu tanto gosto em personagens.

A narrativa tem um ritmo estranho. Com poucos diálogos e falta de pontuação, vemos que esta segue o próprio ritmo do capitalismo, porque, querendo ou não, temos um estudo aprofundado desse sistema econômico no livro. E além do ritmo, a própria narrativa é estranha. Muitos detalhes e muitas divagações filosóficas não fazem sentido e nem constroem o enredo, fazendo o livro só ter seu ápice mesmo no final, onde vários eventos acontecem para que tal coisa acontecesse.

Se formos fazer uma análise mais profunda, o que me encantou mesmo foi como o autor se mostrou visionário na obra. Don DeLillo, em 2003, previu coisas que estão acontecendo hoje! O ritmo que a economia impôs na nossa sociedade é aterrorizante. E, na época, o autor foi muito criticado por ter visto coisas que nunca iriam acontecer. E lendo o livro, percebemos que tudo que está ali é real.

As pessoas não vão morrer. Não é esse o credo da nova cultura? As pessoas vão ser absorvidas em fluxos de informações. Não entendo nada disso. Os computadores vão morrer. Já estão morrendo na sua forma atual. Estão praticamente mortos como unidades distintas. Uma caixa, uma tela, um teclado. Eles estão se dissolvendo na textura da vida cotidiana. É ou não é? p. 103
Mas tenho que dar um aviso: é uma leitura muito complicada. Muitas vezes eu tive que parar e ler o capítulo em que eu estava de novo – capítulo esses que são divididos apenas por um espaço e em quatro partes durante o livro – já que uma pequena distração põe tudo a perder.
É por essa razão que eu não indicaria esse livro para qualquer pessoa, já que é uma leitura mais pesada e nem todo mundo está preparado para um livro como esse.

Para aqueles que não têm medo de encarar uma leitura diferente, preparem-se: vocês vão encontrar um livro mais do que brilhante: é uma obra genial. 

08/08/2012

Meme escrito e fila de livros não lidos

Oi gente! Tem muito tempo mesmo que não respondo a um meme por aqui. Eu demoro mesmo! Mas vou tentar responder alguns que me indicaram, ok? Obrigada por todas as indicações!
Esses dois foram indicados pela Gabi do blog Fluffy

  • Meme escrito
Achei esse meme MUITO legal. Nele, você escreve à mão algumas perguntinhas. É para conhecer a letra do blogueiro. Legal, né?

1. Qual seu nome?
2. URL do seu blog.
3. Escreva: “A rápida raposa marrom pula sobre o cão preguiçoso.”
4. Citação favorita.
5. Música favorita (no momento)
6. Cantor/Banda favorita (no momento)
7. Diga o que quiser.
8. Indique três ou cinco blogs. (Indicarei no final do post!)



  • Fila de livros não lidos
- Responda às perguntas abaixo:

1. Qual a quantidade de livros comprados/ganhados e não lidos que você na fila atualmente?

Eu não tenho o hábito de contar quantos livros eu ainda tenho para ler, até porque chegam muitos e fica complicado manter o controle. Mas devo ter em torno de 50 livros. Sim, o alarme do desespero está começando a apitar!

2. Você tenta se controlar para não comprar muito (e não aumentar o tamanho da fila) ou não se importa com isto e compra quando tem oportunidade/vontade/dinheiro?

Eu me controlo. Faz muito tempo desde que eu comprei meu último livro por falta de tempo para lê-los. Eu não gosto da ideia de comprar o livro e deixá-lo na intocado estante pegando poeira. 

3. No últimos meses, a sua fila está tendendo a aumentar ou diminuir?

Não tem aumentado, mas também não diminuído. Acho que está na média, sabe? Os livros tem chegado na mesma proporção que eu tenho lido, então não estou com tempo para ler os que estão na lista de espera.

4. Quantos livros em média você compra/ganha por mês?

Como só tem chegado os livros de parceria, devo receber uns 6 livros por mês em média.

- Link o blog que te enviou o meme: Fui indicada pelo blog da Gabi, o Fluffy.
- A Lia quer saber das suas respostas: deixe um comentário no post do blog Verbo: ler, avisando que respondeu o meme, com o link pro seu post.
- Repasse para 5 ou mais blogs: Essa indicação serve para os dois memes, ok pessoal? Ficam as indicações para a Luana, Ricardo, Mary, Kim e Luciano.

06/08/2012

Resenha: O Amor nos Tempos do Blog


Título: O Amor nos Tempos do Blog
Autor: Vinicius Campos
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 96
Ariza tem treze anos, acabou de chegar à nova escola e já está perdidamente apaixonado. Para expressar o seu amor, além de tudo o que vive e sente, ele decide escrever um blog, “porque escrever [...] é a única maneira que encontrou para fazer com que os outros o escutem”. Lá, ele pode falar livremente sobre a garota de sorriso encantador que encontrou na biblioteca da escola, quando ia devolver O amor nos tempos do cólera, sua leitura de férias de que tanto gostou.
Assim começa a trama de O amor nos tempos do blog, um romance que se constrói de blog em blog, em que, depois de muitos desencontros, três histórias se cruzam, culminando em um final surpreendente. Além do blog de Ariza, há também o da Deusa Cibernética, uma garota que, segundo sua própria descrição, é divina, divertida e popular, gosta de frequentar o shopping com as amigas e está sempre de olho no menino mais gato do momento, e o de Cinderela Virtual, “uma adolescente que acredita no amor”, não liga para a aparência e espera encontrar o seu príncipe encantado.
É a linguagem rápida e dinâmica da internet que une os três personagens desta história e vai aos poucos revelando semelhanças e ligações inesperadas entre estes três adolescentes aparentemente tão diferentes, com características muitas vezes opostas e particularidades que se revelarão só ao fim da narrativa.

Esse é provavelmente um dos livros mais lindos e fofos que eu li esse ano. Com um enredo que, à primeira vista, pode parecer totalmente clichê, ele te surpreende e muito. E, apesar de seu tamanho bem reduzido, ele te deixa suspirando.

Como é um livro bem pequeno, não vou fazer aquele resumo da sinopse que eu costumo fazer para não correr o risco de dar nenhum spoiler. Então, se quiserem saber mais, leiam a sinopse logo acima, ok?

Acho que o que mais me dói é pensar que talvez os amores verdadeiros e que são para toda a vida, como o amor de Ariza e Fermina em O amor nos tempos do cólera, só existam nos livros. Mas não vou perder minhas esperanças, afinal o que mais quero é poder viver um amor de verdade. p. 18
Com a premissa de fazer um livro bem jovial e mostrar as dificuldades que qualquer adolescente passa com seus amores platônicos, o autor conseguiu um grande feito. Retratando uma fase entre adolescentes de 13 anos, Vinícius Campos conseguiu, em menos de 100 páginas, fazer com que esse livro se tornasse realmente especial.

Eu tive muitas decepções esse ano com personagens pré-adolescentes. Na maioria das vezes, estes ou eram crianças ou adultos demais. Nunca no ponto certo. Mas esse livro conseguiu me surpreender nesse sentido. São personagens muito bem construídos, apesar de não termos noção sobre aspectos físicos deles, já que cada um deles faz posts em seu blog sobre o que está acontecendo. O livro é baseado somente na personalidade que cada um põe em seu blog. Gente, isso é genial! Se um livro consegue te prender mesmo com essa escassez de detalhes – que em nenhum momento fazem falta – é porque o autor conseguiu fazer com que os personagens tivessem algum toque especial, não é mesmo?

Por ser uma leitura bem rápida, acabei lendo em uma noite em que eu não estava conseguindo dormir e acabei apaixonada por ele. O livro me arrancou suspiros, já que se trata de um amor tão inocente, tão verdadeiro para aqueles que estão envolvidos. Foi aquele livro que me livrou daquela bendita ressaca literária que estava me atingindo.

Enquanto olhava as estantes, vi em um dos corredores um garoto que também procurava algum livro. Pelo espaço entre os livros e a estante, consegui ver os seus olhos, grandes, que pareciam amêndoas atentas tentando encontrar o que buscavam. Ele não me viu, estava muito concentrado nos livros, e eu concentrada nele.

Não sei o que, mas alguma coisa me fazia querer estar perto para conhecer melhor o dono daqueles olhos. p. 57
Além do enredo maravilhoso, outra coisa que chama a atenção no livro é a diagramação. É linda demais! Cada blog é diferenciado por seu layout, assim como os nossos amados blogs. Ideia genial tanto do autor quanto da editora. Além de deixar o livro muito bonito, isso deu uma visualização melhor ao leitor na hora de distinguir as narrativas.

Um livro mais do que recomendado por ser uma leitura muito gostosa, pela excelente mensagem que ele tem a passar e pelo romance mais fofo e lindo do ano. 

05/08/2012

Sorteio: O Encontro

Oi pessoal! Como ontem terminou um sorteio aqui no blog, nada mais justo do que começar um novo hoje, não é mesmo? O sorteio é de O Encontro, um livro que eu gostei muito, como vocês podem ver na resenha
O livro gentilmente cedido pela editora Lua de Papel
Participem bastante, ok? Boa sorte a todos!


Todas as regras estão nos Terms & Conditions do formulário, ok? 
Se você não sabe usar o formulário, veja esse post do ItCultGen. Lá tem tudo explicadinho! :)

03/08/2012

Lançamentos #12: Leya

Olá leitores! Não posto nenhum lançamento aqui há um tempinho por falta de tempo mesmo. Mas vou voltar com essa coluna aqui para que vocês fiquem sempre atualizados, ok? Vamos lá?


Título: Fios de Prata
Autor: Raphael Draccon
Páginas: 352
Mikael Santiago realizou o sonho de milhares de garotos. Aos 22 anos era o jogador brasileiro com o passe mais caro da história do futebol. Mas à noite os sonhos o amendrontavam. Às vezes, o que está por trás de um simples sonho – ou pesadelo – é muito maior que um desejo inconsciente. Há séculos, Madelein, atual madrinha das nove filhas de Zeus, tornou-se senhora de um condado no Sonhar, responsável por estimular os sonhos despertos dos mortais. Uma jogada ambiciosa que acaba por iniciar uma guerra épica envolvendo os três deuses Morpheus, Phantasos e Phobetor, traz desordem a todo o planeta Terra e ameaça os fios de prata de mais de sete bilhões de sonhadores terrestres. Envolvido em meio a sonhos lúcidos e viagens astrais perigosas, a busca de Mikael pelo espírito da mulher amada, entretanto, torna-se peça fundamental em meio a uma guerra onírica. E coloca a prova sua promessa de ir até o inferno por sua amada.

 Título: Sonhos
Autora: Alyson Noël
Páginas: 320
Daire Santos é uma adolescente de 16 anos, filha de uma maquiadora de Hollywood, que namora estrelas de cinema e viaja com a mãe por todo o mundo. Até que coisas estranhas começam a acontecer com ela: visões com corvos e pessoas brilhantes, o tempo que para de andar, sonhos com um belo menino de olhos azuis-gelo. Os médicos acham que se trata de um caso psiquiátrico. Sua avó, curandeira respeitada na pequena cidade de Encantamento, Novo México, afirma que pode curá-la com suas ervas e poções. Sem alternativa, Daire vai para uma cidade perdida no meio do nada, longe da mãe, e com a avó que até então não conhecia. O que parecia ser o fim, no entanto, revela-se o início de uma grande aventura: guiada pela avó, Daire descobre ser uma Buscadora de Almas, descendente de uma linhagem poderosa que, através dos tempos, vem garantindo o equilíbrio entre o bem e o mal tanto no nosso mundo quanto em outros mundos e outras dimensões.

Título: Adormecida
Autora: Anna Sheehan
Páginas: 272
Rose Fitzroy esteve dormindo profundamente por décadas .. Imersa num um sono induzido, esquecida em um porão por mais de 60 anos, a jovem foi tratada como desaparecida enquanto os anos sombrios pairavam sobre o mundo. Despertada como por encanto e descobrindo-se herdeira de uma corporação multimilionária, Rose vai entendendo pouco a pouco, tudo o que aconteceu em sua ausência. Ela descobre que seus pais estão mortos. O rapaz por quem era apaixonada não é mais que uma mera lembrança. A terra se tornou um lugar estranho e perigoso, especialmente pra ela, que terá de assumir seu lugar à frente dos negócios. Desejando adaptar-se à nova realidade, Rose só consegue confiar numa pessoa estranhamente familiar. Rose até gostaria de deixar o passado para trás, no entanto, ao pressentir o perigo, percebe que precisa enfrentá-lo - ou não haverá futuro.

01/08/2012

Resenha: Jogos Vorazes

Título: Jogos Vorazes
Autora: Suzanne Collins
Série: Jogos Vorazes, livro 1
Editora: Rocco
Páginas: 397
Este livro é o primeiro de uma bem-sucedida trilogia, comercializada para mais de 20 países, A história se passa em uma nação chamada Panem, fundada após o fim da América do Norte. Formada por 12 distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital, sede do governo. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país é com os 'Jogos Vorazes', uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de 12 a 18 anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte. Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido Distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos 'Jogos Vorazes'? 

Eu não estava tão ansiosa para ler esse livro como muitas pessoas estavam/estão. O motivo que me fez ter certa curiosidade a respeito dele foi ter visto o filme primeiro – por pura e espontânea pressão de amigos – e eu queria saber como a autora teria colocado em um livro tudo aquilo que eu vi. Então surgiu uma oportunidade através do book tour do blog Lendo & Comentando e eu acabei me surpreendendo.

Em um futuro distante, existem 12 distritos sob o comando da Capital. Todos os anos, em represália a uma guerra civil dos distritos contra a capital, cada distrito tem que enviar dois concorrentes aos Jogos Vorazes, que é um jogo hoje quem for o último a ficar vivo, vence. 
Katniss vive uma vida pacata no Distrito 12. Só que o dia em que os tributos – escolhidos para ir aos Jogos Vorazes – serão escolhidos se aproxima e o medo assola todo o distrito.  E é a partir desse dia que o enredo se desenrola.

Effie Trinket cruza novamente o palco, alisa o papelzinho e lê o nome com uma voz alta e clara. E não sou eu.
É Primrose Everdeen. p. 27
Por já ter visto o filme, eu já tinha base sobre o que o enredo se tratava e sabia o que viria a seguir em cada cena. Mas mesmo com tudo isso, eu me surpreendi! É claro que a adaptação foi muito bem feita – pelo menos sob meu ponto de vista – mas como a maioria, deixou passar diversos detalhes. E foram esses detalhes que acabaram fazendo muita diferença na minha leitura, eles trouxeram aquela expectativa de querer saber mais de volta.

A narrativa é em primeira pessoa, com a Katniss narrando todos os fatos. Eu não sei se já disse isso por aqui – devo ter dito – mas eu gosto muito desse estilo de narrativa quando o autor consegue fazer um bom trabalho em cima disso, fazendo com que acompanhar o mesmo personagem durante toda a narrativa não se torne cansativo. E a Suzanne conseguiu fazer isso. Conseguimos sentir toda a atmosfera dos Jogos Vorazes e o desespero que este acaba trazendo.

Mas se tem uma coisa que me encantou mesmo, foram os personagens secundários. Muito bem construídos, fizeram um grande diferencial em todo o enredo. E preciso dizer que ainda estou em dúvida entre o Gayle e o Peeta – quem já leu vai entender o que eu estou dizendo. E mais uma vez me emocionei com a Rue.

Por que ele? Eu me pergunto. Então, tento me convencer de que isso não tem importância. Peeta Mellark e eu não somos amigos. Nem mesmo vizinhos. Nós não conversamos. Nossa única interação real aconteceu anos atrás. Provavelmente ele já até esqueceu. Mas eu não, e jamais esquecerei... p. 33
Alguns ainda acham que o livro pode ser violento e sangrento demais. Mas ele não é. Além é claro da parte em que temos as mortes, o livro é regado à romance, indecisões, desespero. Não dá para transmitir o quanto o livro é inovador nesse sentido, só lendo mesmo para entender.  

Enfim, para aqueles que já leram, espero que vocês tenham gostado do livro tanto quanto eu gostei. Para os que ainda não leram, fica uma ótima dica de leitura para aqueles que estão procurando algo novo para ler.