28/01/2013

Resenha: Não conte para a mamãe

Título: Não conte para a mamãe - Memórias de uma infância perdida
Autora: Toni Maguire
Editora: Bertrand
Páginas: 308
A frase que dá título ao livro de Toni Maguire, Não conte para a mamãe, poderia ser uma pacto ingênuo entre dois irmãos ou uma brincadeira entre crianças. Infelizmente, não é o caso. Na verdade, é a ameaça sofrida pela autora durante os quase dez anos em que foi violentada pelo próprio pai. Quando aconteceu pela primeira vez, a pequena e inocente Antoniette tinha apenas seis anos. Apesar da tenra idade, tudo ficou gravado em sua memória, o tempo nada dissipou: os detalhes, os sentimentos, a dor. Foi a primeira de muitas, incontáveis vezes. Não conte para a mamãe, de Toni Maguire, desvela a comovente história de um infância idílica que mascarava uma terrível verdade.

Sempre gostei muito de variar o que eu leio. De livros infanto-juvenis até livros com temáticas mais fortes e polêmicas: tudo é válido quando o objetivo é evoluir como leitora.
Quando o assunto é pedofilia, porém, eu sempre fico com o pé atrás. Quando li Lolita, cada página parecia um soco no meu estômago de tão forte. Não conte para a mamãe, sendo uma história verídica, foi além: conseguiu me tirar o sono, fazer com que eu me colocasse no lugar da personagem e tivesse nojo e repulsa a cada página.

Antoinette tinha seis anos quando o primeiro ataque aconteceu. Seu pai, antes visto como um herói, havia se transformado em um monstro. Sempre que possível a molestava e a dizia que se ela contasse para alguém, todos a culpariam e deixariam de amá-la. Isso durou até seus catorze anos. E hoje, no hospital onde sua mãe vive seus últimos dias, suas lembranças acabam vindo à tona e ela terá que lidar com todas as implicações que isso teve em sua vida.

“Toni”, sussurrou ela, “deixe-me contar a história do que realmente aconteceu. Chegou a hora.”
Eu sabia que Antoinette havia despertado, e não seria capaz de forçá-la a retornar aos anos de dormência em que a isolara. Fechei os olhos e permiti que seu sussurro penetrasse minha mente, quando ela começou nossa história. p. 19
A primeira coisa que me fez ler esse livro foi saber que era uma história verídica. Sempre acho que esses livros têm algum toque especial por conseguirem detalhar mais o que realmente aconteceu. Porém nesse livro teve um efeito totalmente contrário em mim. A cada cena mais forte eu simplesmente não podia acreditar que aquilo realmente aconteceu, que um pai foi capaz de fazer o que fez com a própria filha. Então em grande parte do livro eu fiquei tentando me convencer de que tudo era ficção, apesar de não ser.

Isso complicou ainda mais porque o livro é bem lento. A autora é detalhista ao extremo e isso chega a ser cansativo. Os estupros são mais detalhados que outros livros que li nessa temática, o que pode ser algo muito negativo se você não estiver preparado para ler isso. Mas não é só isso. Toni Maguire detalha cada partezinha de todas as sensações que ela tem – como o abandono de sua mãe e sua solidão – e isso não é bom. O livro logo se torna cansativo e eu mesma, por causa da lentidão e das cenas fortes, só conseguia ler cerca trinta páginas por dia.

Mas algo que eu notei e que realmente me chamou a atenção foi que Toni Maguire conseguiu transmitir a luta que ela teve com sua própria consciência, com as lembranças que a atormentavam durante toda sua vida. Essa foi uma das razões para eu insistir no livro e lê-lo até o final. A autora explorou bastante esse lado, principalmente com as alternâncias entre passado e presente do enredo.

As palavras que se seguiram estavam destinadas a se tornarem o refrão dele:
- Não vá contar para a sua mãe, minha menina. Isso é segredo nosso. Se contar, ela não vai acreditar em você. Ela não vai mais amar você.
Eu já sabia que isso era verdade. p. 75
Toni Maguire com certeza teve muita coragem – e por que não autoconfiança – ao publicar um livro sobre algo tão pessoal que aconteceu com ela. É por essa razão que eu preciso dizer: li mais o livro por admiração a autora do que pelo enredo em si. Não que o enredo seja ruim, mas eu não aguentei lidar com toda aquela situação, entendem?

Um livro para aqueles que procuram algo forte e que gostam situações que podem levar o leitor ao extremo de prazer ou de ódio, dependendo do estilo de cada um. Para quem não está acostumado com a temática, não é um livro que eu indico para iniciá-los nesta; mas para aqueles que já conhecem, tenho que dizer: é uma experiência bem diferente. 

55 comentários:

  1. Oi Luara,
    Eu também gosto de sempre variar o que leio e esse livro está na minha lista de leitura.
    Sua resenha está excelente!
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  2. NOssa..... nao sei se consegiria ler esse livro até o final.
    EU gosto de livros que me mostrem a realidade, mas uma realidade tão cruel assim e ainda por cima de uma historia veridica, nao sei se aguentaria não ;/
    Mesmo assim pretendo tentar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi flor,
    Estou voltando de férias e retornando a ativa aos pouquinhos e vim te ver, obrigado por ter acompanhado oblog nesse periodo. Sobre sua resenha devo dizer que nossa....bem eu sou do tipo que para ler um livro assim bem eu tenho que estar muito ciente do que estou fazendo porque eles mexem demais comigo a ponto de me incomodar então não sei se seria capaz de algo desse genero nesse momento, apesar de interessante e ser uma historia veridica bem acho que por enquanto eu passo esse entende....
    Bjsss
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Nossa, nunca li nenhum livro assim. Mas fiquei interessada, por ser uma história real, não sei se conseguiria lê-lo até o final, mas é um tema bem polêmico e muito diferente.
    Bjos

    http://desejoinquieto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu!
    Retornando a ativa!
    Como sempre encontro títulos diferentes aqui no Estante Vertical e as resenhas continuam com muita personalidade.Acho que esta história me colocaria para pensar por dias,uma história real e tão cruel assim me mexe com o nosso íntimo.

    Bjos

    Fabi
    http://www.roubandolivros.com

    ResponderExcluir
  6. O tema é realmente bastante nauseante. Doí muito saber que a maior parte dos estupros (noventa por cento, se não me engano) é justamente cometida por uma pessoa "de confiança": pai, avô, amigo da família... Principalmente nessa fase da infância. Aquela coisa de pedófilo que distribui bala na porta de escola é verdadeira, mas rara se comparada a esses casos :/
    Não sei se leria um livro assim: sou bastante sensível quando se fala em arte. Sou capaz de ficar dias e dias remoendo a morte de um personagem - um estupro de uma criança, então, com certeza iria ser pior.
    Parabéns pela resenha, como sempre.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Já ouvi falar deste livro e estou bem interessada.
    Tento sempre varias minhas leituras mas está cada vez mais dificil pois apesar de ter interesse em varios estilos de livros, nem sempre consigo evoluir na leitura destes livros :(
    Então, ainda nao sei se lerei este livro mas gostei bastante da resenha.

    Beijinhos,
    Thais P.
    http://thaypriscilla.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Luara, que livro forte! Confesso que não sei se teria força de vontade para ler, pois se me incomodo com alguns romances mais saidinhos, este, com um tema assim me daria arrepios, ainda mais por ser baseado em fatos reais.

    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  9. Nossa amiga esse livro é forte heimm, já deu pra notar pela sinopse..
    Eu não sei se leria, pq não gosto muito de livros de pedofilia, acho td muito triste e como vc acho que tb tenho o pé atrás..
    Mais gostei muiito da sua resenha e acho que ela me ganhou, pois gosto de temáticas fortes..

    beijos Mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Nossa, não sabia nada sobre o livro, mas adorei a história e com certeza ela foi muito corajosa mesmo. Adorei, quero muito ler.
    http://leituramagnifica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi,Luara!
    Eu também curto livros que abordem temas reais, que chocam porque acho que eles tem muitos a nos ensinar. A primeira vez que vi o título e a capa desse livro fiquei interessada em lê-lo. Após ler sua resenha fiquei ainda mais curiosa. Adorei os detalhes e tenho certeza que vou me emocionar.
    Já o adicionei à minha lista de leituras.

    Bjs!
    @ZildaPeixoto
    http://www.cacholaliteraria.com.br]

    ResponderExcluir
  12. Adorei o estilo do livro!
    Não conhecia
    Sua resenha me deu vontade de ler!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias
    http://livroterapias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu adoro filmes e livros baseados em fatos reais, mesmo que, vez ou outra, eles sejam chocantes.
    Mas, sinceramente, não sei se teria forças para ler esse livro. O assunto é pesado de mais, e se a autora descreveu tudo com detalhes, deve ser insuportável de ler.

    Beijos,
    http://pitadadecultura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. esse livro me lembra quando eu li hoje eu sou alice, pra mim foi um livro muito forte e graças aos abusos que ela sofria ela desenvolveu personalidades multiplas

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito da sua resenha.
    O livro parece muito interessante.
    Tem meme pra você lá no blog.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  16. Gostei da resenha, ainda não conhecia o livro mais me parece ser muito bom..
    Beijos, Giovanna
    http://sonhando-com-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia esse livro, mas fiquei bem interessada por ele. O livro realmente parece ser bem forte, mas eu fiquei com vontade de lê-lo, apesar dele ser forte e lento. Adorei a resenha, ficou ótima.
    Beijos

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Meu deus, o tema desse livro é muito forte. Não me importaria ele ser detalhado demais, e nem que os detalhes possam ser assustadores, acabei de achar mais um desejado para a minha estante do Skoob. Vou adicionar agora mesmo! Ah, quase já ia me esquecendo, adorei a capa.
    http://desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Gosto bastante de livros fortes e com temáticas polêmicas. Nunca li um que tratasse de pedofilia e em partes esse me deixou curiosa. O problema pra mim é o excesso de descrição que você comentou, ainda mais com estupro detalhado.
    Talvez eu entre na temático com algum outro livro.

    Beijão
    Sun Rises Here

    ResponderExcluir
  20. Oi Luara, não sei se leria um livro assim, não curto muito esse estilo de leitura... acho que não aguentaria ler até o fim, ainda mais sabendo que é uma história real ;/

    xoxo
    lepetit-mari.blogspot.com.br

    Tem meme pra você lá no blog!

    ResponderExcluir
  21. Boa noite Luara,


    Esse livro é uma das minhas próximas leituras e estou bem curioso...parabéns pela sua resenha...abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oii Lu,
    Nossa nossa, me apaixonei pela resenha deste livro.
    Também gosto de variar, mas meus preferidos sempre acabam sendo os mais fortes. Preciso comprar ele urgente!! =D

    Beijoos!

    ResponderExcluir
  23. Nas aulas de psicologia da faculdade (faço pedagogia) o professor fala sobre casos de alunos e alunas que são molestados por pais, tios, vizinhos e tem mães que sabem e não fazem nada, eu fico super mal e revoltada ao saber dessas coisas...
    Acho que não tenho o emocional muito forte para ler esse livro. rs
    Mas variar a leitura é sempre bom.
    Beijos
    http://cafeeocio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Você já leu As Boas Mulheres da China? Eu recomendo se ainda não leu!

    ResponderExcluir
  25. Nossa Laura, bem tenso, heim?!
    Acho que não vou ler esse livro tão cedo. Não se já leu o caçador de pipas, mas tem uma cena de abuso que mexeu muito comigo e foram poucas páginas. Não sei se conseguiria ler um livro desses até o final e saber que foi tudo real.
    Ótima resenha, como sempre. Parabéns!
    Grande Beijo!

    Camila - Meu Livro Cor-de-Rosa
    http://meulivrocorderosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Nunca tinha ouvido falar do livro mas depois da sua resenha vou dar um procurada! Gostei do titulo, da capa e da sinopse! Assim como você também gosto de variar a leitura!

    Abraços,

    Alisson
    http://contandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Caramba, nunca tinha ouvido falar, mas o livro parece ser muito bom. Também curto variar temáticas diferentes. Não tenho uma temática especifica favorita.
    Acho legal essa forma de leitura nos faz ver, o que passa na cabeça de uma pessoa violentada e o que se passa na cabeça do maniaco.
    http://desventuras-em.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  28. Adorei sua resenha, Luara. Esse livro tem um tema muito forte mesmo, e espero um dia poder ler. Gosto também de diversificar minhas leituras, eu vou de um chicklit até Guerra dos Tronos fácil. É bom essa troca de gênero, tem horas que você tá afim de um romancinho leve e tem horas que você quer ver luta e guerra, pelo menos comigo é assim.
    Adorei seu blog, você escreve muito bem.
    Beijos,

    Gustavo Valim
    Jantando Livros
    http://jantandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. No momento não estou muito no clima de ler livros mais fortes, mas com certeza é uma temática interessante.

    Thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Adorei a resenha, amo livros de histórias verídicas, porque sempre são fortes e nos faz pensar, eu quero ler esse pro mais que seja detalhista acho que será bom, você já leu feia? não trata de abuso desse jeito mais ele é a história de uma menina que nunca teve o amor da mãe
    beijos

    ResponderExcluir
  31. Menina, to de olho neste livro já tem tempo!!
    Justamente por ser mais pesado mesmo.

    Adorei tudo!! Resenha perfeita!!

    Bjkas

    ResponderExcluir
  32. Estou sempre pronta para encarar um livro forte. Na verdade, é uma das leituras que mais gosto, já que, pra mim, leitura boa é leitura marcante. Mas nunca passei por nenhum livro que falasse sobre pedofilia. Fiquei com vontade de ler Não Conte Para a Mamãe também por admiração à autora.

    Beijos!

    http://www.ultimoromance.com/

    ResponderExcluir
  33. Deve ser muito bom, pena que aqui não tem livraria.
    Sou sua nova seguidora simplesmente amei aqui.

    minhaladainha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  34. Faz um tempo que quero ler esse livro. Pedofilia, assim como em você, me tira do sério. Livros assim são bons para te fazer voltar à realidade, ver que a vida tem seu lado ruim e o pior ainda.

    Amei a resenha, Luara!

    Um beijão,
    Pronome Interrogativo.
    www.pronomeinterrogativo.com

    ResponderExcluir
  35. Own, Luara!
    Que resenha forte e emocionante, caramba agora que mais que nunca ler o livro, tenho certeza que vou me emocionar e ficar muito surpreendida com cada página virada.
    Beliscões carinhosos da Máh
    Felicidades nos Livros

    ResponderExcluir
  36. Oi,

    sou louca para ler esse livro! Também gosto de variar bastante nas minhas leituras e acho que ler livros como esse de vez enquanto é sempre bom para nos fazer refletir. Adorei sua resenha, parabéns!

    Bjs

    ResponderExcluir
  37. Oi,

    tem selinho para você lá no blog:

    http://mademoisellelovebooks.blogspot.com.br/2013/01/selinho-premio-dardos.html

    Espero que goste!

    Bjs

    ResponderExcluir
  38. Oi Luara! Ainda não conhecia esse livro, mas nessa temática, já li "Hoje eu sou Alice". Um livro muito pesado e verídico também, de uma menina que é molestada pelo pai desde cedo e que acaba se envolvendo com muitos problemas por conta disso: entra no mundo das drogas. Ainda por cima, ela sofre de transtorno de múltipla personalidade e é internada várias vezes, sem nunca ter pra quem contar.
    É um tema muito forte, sem dúvidas alguma. Eu também gosto de ler livros de histórias reais, escritos pelas próprias pessoas que vivenciaram aquilo. Fica muito mais verdadeiro. Ainda não li Lolita, mas espero ler em breve, apesar de sempre ficar com um pé atrás. Tenho medo do que ele poderá me fazer sentir...
    Me interessei por "Não conte para a mamãe". Pra falar a verdade, quero saber como é o final dessa história.
    Adorei sua resenha!

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  39. Amiga eu amei a sua resenha apesar de ser um livro com uma temática bem forte eu tenho que confessar, que seria interessante ler sim, é um enredo que chama á atenção.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  40. Oi Luara também gosto de variar bastante nas minhas leituras, é importante ter um senso crítico que envolva vários temas, mas pedofilia me incomoda bastante tanto que li Lolita e provavelmente nunca mais repetirei a experiência. Alguns veem no livro um obra de arte, eu vejo uma história repulsiva e difícil de engolir.
    O pior é saber que coisas assim acontecem na vida real como é o caso desse livro. Não sei se conseguiria ler, é algo forte demais.

    Beijos
    Caline - Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  41. Oii Lu,
    Primeiramente belissima resenha,faço jus a suas palavras em relação a coragem e a autoconfiança de publicar ao mesmo tempo tão pessoal e doloroso.

    Páginas Em Preto

    Beijos

    ResponderExcluir
  42. Gente, esse livro é muito lindo, quer dizer, a capa faz jus a história. Adorei sua resenha, Luara!

    clicandolivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  43. Eu também não me sinto bem lendo esse tipo de coisa, me dá um nó na garganta.
    Lembro quando li Belle, tomei as dores da personagem e a cada cena de sexo eu tinha vontade de pular, ainda bem que nao era muito detalhado.

    Beijokas flor, tudo de bom.
    Blog da Mylloka

    ResponderExcluir
  44. Oi Luara!
    Eu até então não estava muito interessado no livro, mas agora estou bem mais curioso e interessado. Mesmo com um enrendo cansativo e bem denso, eu acredito que curtirei a leitura. E o mais incrível foi a coragem da autora de expor tudo isso, como você mesma citou.
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  45. Oi Lu, concordo inteiramente com você quanto a diversificar as leituras. Mas alguns assuntos delicados nem sempre podem ser tão bem vindos, e eu ultimamente tenho fugido de leituras assim. Não porque elas não me interessam, pelo contrário; mais pelo fato de que eu fico tão envolvida em uma leitura que ela pode me fazer mal, física e psicológicamente. Por isso, às vezes prefiro passar.
    Agora, que a autora foi super corajosa para expôr tudo isso, temos de concordar. Na maioria dos casos a vergonha é tão grande que o assunto chega a ser ignorado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  46. Oi Luara!
    Também não acho pedofilia um dos temas mais fáceis com os quais lidar. Acabei de resenhar um livro em que dois personagens sofrem desse abuso, e não podemos imaginar o quanto deve ser horrível ser molestado por alguém que você ama, por quem você sempre teve respeito e, como você mencionou, considerava como um herói.
    Não sei se quero ler este livro, ao menos agora.
    Estou numa fase de leituras levinhas, mas também não ignoro de prontidão.
    Beijos,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  47. Apesar que vc ter achado que o livro é um pouco cansativo, ele me ganhou por ser sobre pedofilia e ser verídica, eu amooo demais livros assim com esses temas... Não sabia que o livro levava esse tema, não fui atras para saber e agora já esta na lista de desejados :)
    Beijos
    Brubs

    ResponderExcluir
  48. Luara, Garota Replay é realmente um livro muito doce, eu li e amei *-* Leia sim e resenhe, que quero saber a sua opinião ^^ Quanto à Não conte para Mamãe... não sei se leria, sou do tipo mega revoltada com qualquer tipo de injustiça, fiquei super em choque quando li Identidade Roubada, mas um relato real é sempre algo a ser considerado, o livro parece bom mas acho que eu não aguentaria, valeu a dica e a ótima resenha *-*

    ResponderExcluir
  49. Luuara, obrigada pela visitinha lá no blog! =D

    E to aproveitando pra passar por aqui e te avisar que indiquei o blog em dois selinhos, espero que gostee! =D

    Passa lá, beeeijoos!

    http://estantedadebora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  50. Oi Lu! Eu sempre penso duas vezes antes de pegar um livro com um tema mais forte, o último que li deste estilo foi bem marcante, até dei uma pausa depois. Se retomar o tema, lerei este.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  51. Só pela resenha já deu para perceber que o livro é realmente forte, fiquei triste só de ler a resenha :/ sério, acho que eu não aguentaria ler. Entendo completamente o que você quis dizer com ler por admiração à autora. <3
    Beijos, Ni
    Ninhada Literária

    ResponderExcluir
  52. Vou passar longe desse livro, não consigo ler histórias assim.
    Bjos

    ResponderExcluir
  53. Me deu uma vontade forte de ler o livro, simplesmente pq tenho uam filha e achoq ue temos de abrir a mente pra certas mazelas, saber reconhecer sinais, não sei bem definir, mas sinto que vou sofrer muito ao ler.
    Bela resenha Luara.
    Beijos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    http://vivianeblood.blogspot.com.br/2013/02/resenha-passaros-feridos-colleen.html#more

    ResponderExcluir
  54. Ultimamente você tem lido apenas livros que ainda não conhecia, mas talvez esse tenha sido o que mais chamou a atenção - não apenas por se tratar de uma história real.
    É triste saber que essa é a realidade; que infelizmente, além de existir tais situações enfrentadas por crianças do mundo todo, elas acontecem muitas vezes pelas de mãos de pessoas próximas, que deveriam estar ali para proteger.
    Dá pra entender o motivo de todos os sentimentos que surgiram com a leitura desse livro - que inclusive foi para o Skoob.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  55. Parabéns pela resenha ficou ótima. Mas confesso que costumo evitar esse tipo de livro, sabe me envolvo muito e acabo sofrendo, então prefiro ler álg. Que me faca relaxar, mas amei saber a temática do livro.

    ResponderExcluir