08/11/2013

Resenha: Will & Will

Título: Will & Will
Autores: John Green e David Levithan
Editora: Galera
Páginas: 352
Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em um aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.





Se teve um livro que abalou o mercado editorial esse ano, esse foi Will & Will. Muita gente ficou super animada pelo romance homossexual desses dois autores que estão fazendo um sucesso enorme atualmente enfim chegar ao Brasil e estou incluída nessa. Porém, apesar do receio que temos quando estamos com altas expectativas, eu não me decepcionei. Muito pelo contrário: esse livro foi uma grata surpresa e acabei gostando tanto que hoje ele é um dos meus queridinhos da estante.

Will Grayson é um adolescente sem muitos atributos chamativos. Ele é tímido, um pouco desajeitado demais para o comum. Seu melhor amigo é o fabuloso Tiny Cooper, um garoto grandalhão, homossexual assumido e que está planejando um musical para contar a história da sua vida. O outro Will Grayson é um garoto introspectivo, depressivo e homossexual. Em um acaso do destino, os Will Grayson e Will Grayson acabam se encontrando. A partir desse momento, o rumo de suas vidas é totalmente alterado.

– Quem é você?
Eu me levanto e respondo.
–Hã, eu sou Will Grayson.
– W-I-L-L G-R-A-Y-S-O-N? – pergunta soletrando impossivelmente rápido.
– Hã, sim – digo – Por que a pergunta?
O garoto me olha por um segundo, a cabeça inclinada como se pensasse que eu poderia estar passando um trote nele. Então finalmente diz:
– Porque eu também sou Will Grayson.
John Green e David Levithan. Dois autores que estão na boca das pessoas aficionadas por livros e que até então eu não tinha tido experiência alguma por causa da minha falta de tempo. Tanta gente tinha me falado que eu deveria ler algo dos dois e eu só falava: “tenho mesmo” e nunca parava para ler. Quando eu tive a oportunidade de conhecer os dois autores com um livro só, foi quase que amor instantâneo. Minhas expectativas não poderiam estar mais certas: um livro especial, que transmite uma lição importante de maneira suave e que encanta qualquer leitor.

Uma das coisas que mais me agradaram, também foi o motivo de grande receio: ter dois autores escrevendo o mesmo livro nem sempre é uma coisa boa. Já vi grandes histórias sendo arruinadas por causa da falta de sincronia entre os autores. Mas, felizmente, John Green e David Levithan são únicos: se alguém me falasse que aquele livro era de um autor só, eu acreditaria. Um completa o outro de uma forma extremamente natural, o que fez com que o enredo fluísse perfeitamente sem perder o fio da meada em momento algum.

Como são narrativas alternadas, a cada capítulo vemos a perspectiva de um Will, cada um deles escrito por um autor. Para ajudar na identificação, até a diagramação entre um Will e outro é diferente. Mas a essência que cada autor dá para o personagem que escreve é o grande diferencial: gostamos tanto dos dois que não queremos que o capítulo de tal personagem acabe. É uma situação bem engraçada, na verdade. É essa empatia que você tem com os personagens que te leva até o fim, ansiando por conhecer um pouco mais sobre os dois.

Mas aqui, o personagem secundário também tem uma veia de protagonista: Tiny Cooper rouba a cena. Por mais que eu tenha amado ambos os Will Grayson, Tiny mostrou a realidade de muitos adolescentes que se encontram em sua situação. Na verdade, todos os personagens são bem palpáveis, você vê que aquilo realmente acontece. Essa proximidade com eles é muito interessante para quem está lendo se envolver ainda mais na história.

Eu só te amo. Quando foi que quem você quer foder se tornou mais importante? Desde quando a pessoa que você quer foder é a única pessoa que você (...) Quero dizer, meu Deus, quem se importa com a porra do sexo?! As pessoas agem como se essa fosse a coisa mais importante que os seres humanos fazem, mas vamos combinar. (...) Quero dizer, tudo gira em torno de quem você quer foder e se você fode com essa pessoa? Essas perguntas são importantes, eu acho. Mas não tão importantes assim. Sabe o que é importante? Por quem você morreria? Por quem você acorda as 5:45 sem nem saber pra que ele precisa de você? De que bêbado você limparia o nariz? p. 292
O romance homossexual está presente sim, mas não é tratado como um tabu. Esse é o foco: mostrar que isso existe, faz parte do dia-a-dia e precisa ser algo para encararmos com naturalidade. Sei que muita gente vai deixar de ler esse livro por causa desse aspecto, mas eu ainda acho que ele vale a pena ser lido, nem que seja para sair da sua zona de conforto. A lição de amor, superação, amizade é tão grande que faz com que o livro transcenda essa classificação e se torne lindo ser lido e traga uma carga de reflexão enorme.

Will & Will é um livro único. Não consegui nem falar metade de tudo o que ele me proporcionou durante a leitura. Foram muitos sentimentos abordados, tanta coisa para pensar e absorver. Carregado de bom humor, de realidade, de originalidade, esse é um livro que vai ficar martelando em sua cabeça por um bom tempo até que você consiga pegar tudo o que ele tem a te transmitir. Vale a pena mesmo dar uma chance, mesmo que isso te tire de sua zona de conforto.

18 comentários:

  1. Oi Luara,
    John Green está entre um dos meus escritores preferidos, e basta ver o nome dele na capa para eu ter vontade de ler o livro.
    Embora não conheça o trabalho de David Levithan, o livro Todo Dia foi mto elogiado na blogosfera.
    A temática do livro é bem diferente, e tenho certeza que se eu alguém sabe lidar com temas complicados, este alguém é John Green.
    Então, certamente lerei Will & Will (espero que esteja com desconto na Black Friday heheh).
    Abraço,
    Alê
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que resenha maravilhosa gente <333
    Eu nunca li nada do David Levithan, só do John Green (de quem eu sou completamente fã!), então automaticamente eu quis ler esse livro mesmo tendo lido algumas resenhas negativas dele. Finalmente vejo uma opinião positiva! E o principal: É ótimo ler uma opinião tão positiva de alguém que não conhecia muito bem nenhum dos autores. Porque eu li muitas resenhas negativas desse livro, então fiquei com o pé atrás de que as positivas que eu li foram porque as pessoas já eram fã desses autores e não quiseram falar mal do livro deles, então que bom que pude ver que é bom de verdade.
    Agora estou mais ansiosa ainda pra conferir Will & Will!

    Beijos.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. quem não fica curiosa para ler o livro só pelos dois nomes dos autores na capa né?
    do Green eu sou fã, e já deixei claro que se ele chegar a publicar sua lista de comprar por ai, eu compro sem nem pensar duas vezes hahahaha
    não sou muito chegada a livros de mais de um autor assim, acho uma coisa sem noção e normalmente me decepciono...
    este eu ainda não li, mas estou curiosa para ler, pois é unanime: todos falam bem dele ;~~

    ResponderExcluir
  4. Luara, estava na mesma que você: preciso ler esses autores, mas nunca encaixo-os na lista de leitura rs
    Recentemente li John Green, mas Levithan ainda está na prateleira.
    Adorei a sua resenha, esse é um livro que morro de vontade de ler pois só ouvi elogios!
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
  5. Tá, li várias resenhas de Will & Will, mas nenhuma fez com que eu sentisse tanta vontade de lê-lo. Primeiro por precisar ler algo do Green urgente, segundo pelo tema e terceiro pelos dois personagens se chamarem Will Grayson O.O

    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Luara, apesar de ter gostado do "A Culpa é das Estrelas" quando o li, hoje olho o livro com certo cuidado. Não sei, à distância a grandeza do livro não me parece mais tão grande, então achei melhor dar uma parada com o Green, maaaaaas, fiquei curioso quanto a esse livro - é a primeira resenha dele que leio - é uma temática fora do comum por aqui, acho que vale a pena ler - e sua resenha, como sempre, nos instiga a fazer isso!

    Dois abraços.

    ResponderExcluir
  7. Ai eu amei o livro também. Como não, com dois de meus autores favoritos trabalhando juntos nele? Tiny realmente rouba a cena, mas eu não gostei dele nem um pouquinho, então isso foi um ponto negativo pra mim.

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. JG é um dos meus autores preferidos atualmente e o David é muuuito querido. Já tinha lido outro romance homossexual dele (Boy meets Boy) e sabia que não iria me decepcionar nesse, assim como não me decepcionei em Todo Dia depois. A parceria dos dois foi linda e leve. Gostei muito do livro tbm.

    beijo
    Bia - www.livredujour.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Oie Lu
    eu curti muito o livro, dei muitas risadas, e achei que os dois autores trabalharam em uma sintonia fora do comum.
    Bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  10. Já tinha lido John Green e devo admitir que ele é tipo um deus para mim, ou coisa parecida. Amo ele, todos os livros dele, li em um dia e releio sempre. Já o David nunca tinha lido por isso decidi comprar o Todo Dia antes de ler Will and Will e também amei. Mas devo dizer, que Will and Will nem se compara com os outros livros, eu amei, claro. Mas não é tudo o que eu esperava, infelizmente ):
    John Green 4life <3

    ResponderExcluir
  11. Adoro o John Green e o David Levithan, acho a escrita de ambos muito boa, simplesmente quero ler tudo que eles escrevem haha e quando vi esse livro fiquei muito ansiosa, principalmente depois que li a sinopse. Adorei a resenha!

    Beijos
    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ai Lu, que gracinha. Comprei esse livro há pouco tempo e está me esperando lindamente na estante. Minha experiência com o John Green e o David Levithan até agora foram satisfatória e eu espero que com Will&Will seja também assim.

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    To bem curiosa para ler este livro. Adoro os autores. Pretendo ler em breve.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  14. Assunto polêmico, esse é um livro que quero ler não pelos maravilhosos autores e sim em como eles abordaram esse assunto, o romance entre pessoas do mesmo sexo.
    beijos. ótima resenha.
    http://www.vicioempaginas.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Ain já estou super ansiosa, depois da sua resenha então...
    Parabéns pelo trabalho Luara :D

    um abraço,
    obsessivejerk.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Amiga maravilhosa, amei REAL a resenha, tava empolgadíssimo p ler esse livro, e, agora, estou mais ainda.

    Muitos beijos de pertinho <3

    ResponderExcluir
  17. Bom dia, se você me permite eu vou indicar a sua resenha para divulgar esse livro incrível em uma pagina do faceebook. Obrigado.

    ResponderExcluir
  18. Bom Dia!!! Quando vejo o nome JOHN GREEN na capa é mais do que óbvio que um ótimo livro! Na minha opinao JOHN GREEN é o ÚNICO autor que consegue transformar temas cotidianos ou não em REALIDADE, para podermos ver a Verdade!!!!!!!!

    ResponderExcluir