09/04/2014

Resenha: A Bruxa de Near

Título: A Bruxa de Near
Autora: Victoria Schwab
Editora: Planeta
Páginas: 240
Na cidade de Near não existem estranhos e a velha história da Bruxa é contada apenas para assustar as crianças. Estas são as verdades que Lexi Harris ouviu durante toda a vida. Mas quando um estranho, um garoto que parece desaparecer como fumaça, surge em uma noite do lado de fora de sua casa, ela sabe que algo não está correto. Na noite seguinte, crianças começam a desaparecer de suas camas sem deixar qualquer vestígio e o estranho é o principal suspeito. Mas quando o garoto se oferece para ajudar na busca, algo no coração de Lexi diz que ele esconde outros segredos e não é o culpado. Ela estaria imaginando ou o vento parecia sussurrar através das paredes? Quando a busca pelas crianças se intensifica, o mesmo acontece com a necessidade de Lexi de saber sobre a Bruxa que talvez não seja só uma história para dormir... 


Sempre fui apaixonada por bruxas. A mitologia em torno delas me encanta e o autor sempre tem a chance de ser original, porque são muitas coisas para serem exploradas. É por isso que, sempre que tenho oportunidade – o que, infelizmente, não ocorre com muita frequência –, leio algo na temática. A Bruxa de Near chegou exatamente dessa forma para mim e foi me conquistando aos poucos. A autora Victoria Schwab me surpreendeu ao optar por se aprofundar mais na mitologia do livro do que no romance entre os protagonistas. Esse ponto foi essencial para que o livro evoluísse de “a mesma coisa de sempre” para algo com um diferencial.

Lexi Harris vive com sua mãe e sua irmã na pequena cidade de Near, que é cercada de histórias sobre bruxas que deixam todas as pessoas amedrontadas. Certo dia, um estranho aparece no lugar e, como se já não bastasse toda a desconfiança em torno dele por aparecer sem aviso, as crianças do lugar começam a desaparecer. Lexi, que aprendeu as habilidades de rastreadora com seu pai, não irá se contentar em esperar: ela irá em procura da verdade, até porque não quer que sua irmã tenha o mesmo destino. Ela só não imaginava que o estranho pudesse vir a fazer tanta importância na vida dela.

Quando eu era pequena, o vento me cantava músicas de ninar. (...) Mas esta noite é diferente. Como se houvesse uma nova música tocando, mais baixa e mais triste que as outras. (...) A vista se perde e o mundo parece pintado de branco e negro, frio e quieto. (...) Mas eu juraria que vi... Novamente algo se move. (...) Não há estranhos na cidade de Near. Eu já vi todos os rostos mil vezes. Mas não este. p. 9
Atualmente, está realmente muito comum que a maioria dos livros, sejam eles sobrenaturais ou não, foquem no romance dos protagonistas. Não que isso seja um problema, afinal, eu adoro torcer durante um livro inteiro para que um casal dê certo e tudo mais. Porém, com toda essa onda, é cada vez mais raro encontrar um livro que tenha algum diferencial, algo que chame sua atenção por não seguir o mesmo padrão. A Bruxa de Near se enquadra exatamente nisso: sua mitologia bem trabalhada faz com que qualquer leitor que seja um pouquinho curioso mergulhe de cabeça no enredo. Eu lia e queria saber mais e mais sobre tudo que estava envolvido e a Victoria Schwab conseguiu explorar isso muitíssimo bem, fazendo com que o mistério ficasse presente até o fim do enredo.

Porém, não foi uma leitura fluida desde o início. Demorei um pouco para pegar o ritmo de narrativa da autora, uma vez que na primeira metade do livro é necessária que uma ambientação geral seja feita e, para que o livro não ficasse tão cheio de informações logo de cara, a autora o faz de forma gradativa e isso acaba tornando esse começo um pouco arrastado, como se o livro não tivesse um propósito definido. Mas, passadas as 100 primeiras páginas, logo você se vê envolvido com o enredo e a narrativa em primeira pessoa facilita muito esse processo, já que você vai descobrindo com a protagonista todo o desenrolar da trama e isso faz com que o leitor se sinta curioso e instigado a querer se aprofundar no livro.

Por causa dessa narrativa, temos um contato maior com Lexi, que é uma protagonista forte e muito decidida, e isso realmente me atraiu em sua personalidade. Porém, em algumas situações, ela se torna chata e até impulsiva demais, o que fez com que minha relação com a personagem ficasse oscilando durante todo o enredo. Já Cole é intrigante, e, por ser moldado por todas as coisas que ele passou, até chega a ser confuso – e isso é um ponto positivo, já que é uma característica palpável e com isso você percebe que a autora conseguiu ter um trabalho específico com ele. Creio que nos próximos volumes da série (que pelo que eu vi, realmente vai ter uma continuação) o passado de Cole será ainda mais explorado, uma vez que muitas coisas ficaram no ar.

Bruxas podem chamar a chuva ou juntar pedras. Conseguem fazer o fogo dançar. Conseguem mover a terra. Conseguem controlar um elemento. Como Magda e Dreska Thorne conseguem fazer. Perguntei a elas uma vez o que eram e disseram velhas. Velhas de verdade. Mas não é tudo. As irmãs Thorne são bruxas, simples assim. E bruxas não são muito bem-vindas em Near. p. 25
Mas vamos ao principal: A Bruxa de Near não é um livro com um enredo muito grandioso e nem é um livro tão surpreendente assim. Ele tem uma proposta e segue esta a risca, resultando em acontecimentos previsíveis e isso pode frustrar leitores que esperam demais no quesito de ação e coisas inesperadas. Porém, para mim funcionou. Gostei sobre como a autora explorou a parte da mitologia e como ela conduziu isso, quase com um olhar inocente. Esse aspecto de como contar uma história anda muito raro – já que agora a ação ou o romance praticamente tomam conta dos livros mais vendidos – e foi uma grata surpresa para mim.

Apesar de seus pontos negativos, A Bruxa de Near conseguiu se sair muito bem. É um livro que foca na história que cerca seus personagens e não nos personagens em si, o que é um ponto muito positivo na hora de fazê-lo se destacar entre outros, já que está cada vez mais raro encontrar um livro com essas características. Então é aquilo: se você curte a temática, é um livro que vale a pena investir. Apesar de não ter se tornado um dos meus favoritos, foi uma leitura agradável e compensou a minha expectativa. 

21 comentários:

  1. O livro ja não me atraiu muito pela capa e pela resenha tive a certeza que não faz meu estilo.
    A trama mesmo assim parecer ser um pouco interessante, não sei se me arriscaria na leitura.
    Beijos
    Guilherme - http://leituraforadeserie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto muito também de histórias mitológicas, mas gosto de me surpreender algo que, pelo o que eu entendi, esse livro não chega a fazer.

    Beijos
    http://aquelaborralheira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Lu!

    Eu gosto bastante de histórias com bruxas, acho que tudo que envolve magia é algo fenomenal porque é instigante e dá para liberar a criatividade. Apesar disso, esse livro não me interessou, não de princípio e isso me deixa até feliz porque assim não terei que aumentar minha lista de desejados.

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Faz um tempinho que eu quero ler este livro e sempre que leio uma resenha fico mais curiosa.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  5. Oi..
    Eu já ouvi ótimas coisas sobre a Victoria Schwab, aliás só vejo coisas boas sobre ela... Eu tenho vontade de ler os livros dela mas ainda não tive a oportunidade sabe?
    Apesar dos problemas fico feliz que você tenha gostado,... isso é importante!
    Adorei a sua resenha.


    Bejos,
    Carolina's Book Blog

    ResponderExcluir
  6. Oii Luara!
    Ainda não conhecia o livro, mas gostei de saber que ele foge um pouco do comum. Ultimamente estamos encontrando tantos livros "mais do mesmo" que é bacana encontrar livros com características próprias, mesmo que a história não seja tão grandiosa.

    Beijos,
    http://pitadadecultura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Só pelo fato de a autora priorizar a mitologia em torno do tema bruxa ao invés de apelar para o par romântico da vez ela já ganhou um sorriso meu. Eu ando meio saturado de lidar com narrativas que se baseiam nas idas e vindas do casal romântico da vez, as vezes anseio que o autor ouse um pouco mais e trabalhe outros pontos. Vouo por na lista.

    ResponderExcluir
  8. eu já não me interesso muito por histórias de bruxas e tramas que envolvam mitologia... hehe
    parece ser uma história interessante, mas não sei se iria conseguir me pender =/

    ResponderExcluir
  9. Olá Luara,

    gostei da história, sou apaixonada por Bruxas e apesar das negativas não resisto a leitura.
    Me deseje sorte.

    Bjs!
    Viciados Pela Leitura

    ResponderExcluir
  10. Adoro histórias sobre mitologia e afins, Lu! Com bruxas, é sempre uma surpresa, gosto de ver como cada autora lida com sua "magia". Achei legal a autora não focar tanto no "casal romântico", pois como você disse, já está ficando batido. E explanar sobre a mitologia já me arranca um interesse!

    A capa ficou muito linda!

    Quem sabe não o compro?

    Beijo,
    Italo - http://leitorespossessivos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Não focar muito no romance realmente é um belo diferencial. Palmas para a Victoria Schwab. Não que eu não curta histórias de amor, longe disso. Mas é interessante, também, que o autor foque em outras coisas, desenvolva a história por completo, né?
    A Bruxa de Near já ganhou boas resenhas pela blogosfera. Entretanto, nunca fiquei verdadeiramente interessado no livro, confesso. Talvez eu leia, mas sem muitas pretensões. Já que é um livro bem simples, sem muitas surpresas e complexidades, pode ser interessante intercalá-lo entre leituras mais densas.

    Abraços,
    João Victor - Amigo do Livro
    http://amigodolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Luara!
    Eu gosto de histórias de bruxas, então só por isso já leria... Mas gostei de saber que a autora conseguiu criar algo diferente do que a gente costuma ler por aí.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  13. Oieee. Cardoso ;)
    Diferente de você eu sou medrosa, com isso tema assim não costumo ler, contudo esse não parece ser assustador, pelo menos a tua resenha não deu a entender isso, tem mistério mas isso gosto não ficou entre teus favoritos, mas foi uma leitura agradável isso já vale. Quero para mim.

    Beliscões da Máh♥
    Blog | Instagram

    ResponderExcluir
  14. Oi, Lu!
    Até que gosto de histórias de bruxas e coisa e tal, e leria sem saber muito mais que isso. Pelo que você comentou, o livro tem um diferencial, e isso já chama minha atenção, tô' meio que fugindo de clichês e coisas do tipo, sabe?
    Anotei a dica.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  15. Oi Lu!
    Eu tbm sou apaixonado pela temática das bruxas. E esse já estava na minha listinha xD. A autora Victoria Schwab é bem falada lá fora com os outros livros dela, Vicious e The Archived. Fiquei mais curioso ainda por causa disso.
    Adorei a resenha.
    Gabriel - umpapoentrepaginas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Bruxas, gosto dessa temática. Não parece ser um livro extraordinário, mas merece se dar uma chance.
    beijos.
    http://www.vicioempaginas.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi, Luara! Tudo bem? Eu já vi esse livro no skoob, mas essa é a primeira resenha que leio dele e fiquei muito interessada! Assim como você, concordo que dentro da temática de bruxas, muitas coisas podem ser trabalhadas. Acho super bacana autores que valorizam a mitologia que criam, mesmo que o livro seja arrastado no início, se ela for interessante, vale a pena encarar! Enfim, fiquei muito curiosa (: Bjs
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Eu não fiquei muito interessada pela trama, mas e bom saber que a autora conseguiu criar algo diferente e original.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Lu =) Concordo com você. Não é um dos meus favoritos também, mas gostei muito do livro. Ele tem todo um clima de mistério e meio sombrio que me agradou =)

    Beijos,
    Livy
    No Mundo dos Livros

    ResponderExcluir
  20. Oi, Luara.
    Eu já tinha vontade de ler este livro. Sabendo que ele foca menos no romance, a vontade só aumenta. Eu pessoalmente não gosto quando um livro foca tanto no romance e deixa outras questões em segundo plano. A não ser quando a proposta do livro é ser um romance romântico mesmo. Mas sobrenaturais eu gosto que a mitologia seja bem explorada. Pena que ele demora a engrenar, mas mesmo assim vou conferir.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Oi Luara, tudo bom?
    Você e eu tivemos praticamente a mesma opinião sobre esse livro. O começo eu também achei bem lento, mas a autora teve que explicar as lendas e ambientar o leitor na narrativa. Achei a protagonista decidida e valente me deixando feliz com sua personalidade, pois odeio protagonistas choronas.
    Estou curiosa para saber o que vai ser explorado no próximo livro da série.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir