04/07/2014

Companhia das Letras no Futebol

O que estava sendo tão duvidado aconteceu: TÁ TENDO MUITA COPA! É hora de esquecer os problemas sociais, os bons modos e torcer e xingar muito na frente da TV. E não pensem vocês que é só trocar de canal e estarão livres desse evento porque sabemos que não é bem assim. É aquele vizinho chato soltando rojão na hora dos gols, são as rodas de fofoca da firma que só sabem falar de quem tá na frente no bolão, além das propagandas nessa época, que a cada 5, 8 têm relação com o esporte. Mas convenhamos que o que não falta é emoção nesses jogos, não é minha gente? Vamos admitir que a maioria das partidas têm sido agoniantes e quando o nosso Brasil está campo a adrenalina é ainda maior. O que nos resta é fazer uma simpatia torcer pelo nosso time e esperar que tudo dê certo.

Foi pensando nesse clima futebolístico de hoje que nós pensamos em um especial relacionado à nossa maior paixão nacional. Cada um dos blogs organizadores da Semana Companhia das Letras ficou incumbido de indicar a vocês 3 livros publicados pela editora relacionado ao tema. 
Então dá o play no vídeo e vem conferir as indicações especiais sobre o nosso futebol:






Título: O Drible
Autor: Sérgio Rodrigues
Páginas: 224
Desenganado pelos médicos, um cronista esportivo de oitenta anos, testemunha dos anos dourados do futebol brasileiro, tenta se reaproximar do filho com quem brigou há um quarto de século. Toda semana, em pescarias dominicais, Murilo Filho preenche com saborosas histórias dos craques do passado o abismo que o separa de Neto. Revisor de livros de autoajuda, Neto leva uma vida medíocre colecionando quinquilharias dos anos 1970 e conquistando moças que trabalham no comércio perto de sua casa, no bairro carioca da Gávea. Desde os cinco anos, quando a mãe se suicidou, sente-se desprezado pelo pai famoso. Como nos romances anteriores de Sérgio Rodrigues, há um contraponto de vozes narrativas. Entremeado com o relato principal, transcorre o livro que Murilo escreve sobre um extraordinário jogador dos anos 1960 chamado Peralvo, dotado de poderes sobrenaturais e que teria sido “maior que Pelé” se não tivesse encontrado um fim trágico.  A alternância entre o realismo da história de Neto, seco e desencantado, e o realismo mágico da história de Peralvo sinaliza a perícia de Sérgio Rodrigues, um dos narradores mais habilidosos de sua geração. O personagem do velho cronista é o veículo de uma celebração da história do futebol raras vezes empreendida pela literatura brasileira. Murilo Filho, porém, é mais do que isso. Com atraso, como se tomasse um drible, Neto entrevê nas frestas da narrativa do pai - e o leitor, um pouco antes dele - um sombrio segredo de família e um episódio tenebroso dos porões da ditadura militar.

Título: O Planeta Neymar (Um Perfil)
Autor: Paulo Vinícius Coelho
Páginas: 248
Paulo Vinícius Coelho, o jornalista que mudou a maneira como o brasileiro vê futebol, foi o primeiro a escrever sobre o craque Neymar, quando ele ainda tinha treze anos. Para PVC, como é conhecido o comentarista da ESPN e colunista da Folha de S.Paulo, Neymar, o melhor jogador da Copa das Confederações de 2013 e a grande esperança brasileira para a próxima Copa, não só representa a retomada da boa tradição do futebol arte, como significa também uma grande mudança na maneira como os craques nacionais gerenciam a própria carreira. Neste livro, Paulo Vinícius Coelho analisa a carreira do atacante do Barcelona desde o tempo em que, garoto, jogava futsal em São Vicente, no litoral paulista, passando pela vitoriosa carreira em um dos melhores times do Santos e culminando com a espetacular atuação pela seleção brasileira na Copa das Confederações. Ao contrário do argentino Linoel Messi, Neymar preferiu se formar e jogar por cinco temporadas no Brasil, antes de ir para a Espanha. Sua carreira, muito bem planejada pelo pai, é um sucesso nos gramados e fora dele.

Título: A Dança dos Deuses
Autor: Hilário Franco Júnior
Páginas: 472
A dança dos deuses está dividido em duas partes, uma histórica e outra de viés analítico. Do ponto de vista histórico, o autor mostra como o futebol não pode ser dissociado da história geral das civilizações. Exemplo eloqüente encontra-se na lógica da sua propagação e rejeição, a partir da Inglaterra, tendo sido bem aceito nos países que sofriam forte influência cultural inglesa, mas nunca devidamente incorporado em países que constituíram o império, como Austrália e Canadá. A própria evolução das regras e das táticas do esporte responderam, é fato, a necessidades específicas do jogo, mas também só podem ser entendidas em contextos de adaptação do futebol às mudanças no mundo. Na segunda parte, Franco Júnior procura investigar o esporte como metáfora sociológica, antropológica, religiosa, psicológica e lingüística. Somos levados a pensar, por exemplo, sobre os diferentes usos políticos do futebol, seja por regimes autoritários ou democráticos, tanto uns quanto outros sempre abraçados ao nacionalismo. O autor nos convida a refletir sobre os sentidos ocultos em toda a ritualização do mundo esportivo, nos nomes dos times, nas cores das camisas, nos escudos, e ainda recorre a Freud para examinar a fascinação que o esporte exerce. Com erudição, mas em linguagem acessível, Hilário Franco Júnior leva ao limite, neste estudo, a idéia de que o futebol é uma imitação de vida.

Confiram os posts do Jantando Livros e do No Universo da Literatura, lá tem outras indicações de livros tão bacanas quanto esses! Espero que vocês tenham gostado. 
VAI BRASILLLLLLLLLL!




14 comentários:

  1. Olá =).
    Adorei a ideia do post. Confesso que não curto muito futebol (com uma breve excessão por conta da Copa) e nem tenho interesse em ler livros que falam sobre o assunto.
    Beijos.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu AMO Copa! Já esperando 2018, e ansiosa pelo Hexa que se aproxima cada vez mais <3 Não sabia que existiam tantos livros sobre o assunto! Amo a Companhia das Letras, by the way.

    Clara - Blog Incantevole
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não gosto nadinha de futebol, mas quando é seleção parece que bate uma baita patriotismo e não consigo não torcer...rs. Agora livro não é mesmo mesmo meu estilo favorito, acho que não leria.

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  4. pior que esses dias estava reparando... todas as propagandas que estão passando na tv tem alguma coisa a ver com a copa. é quase inacreditável :P
    ah, eu já ouvi falar neste livro do Neymar... muito interessante o Paulo escrever um livro dele eim!
    gosto de futebol, mas acho que não iria me interessar em ler um livro sobre este assunto :S

    ResponderExcluir
  5. Essa música de Skank já é hino. HAHAH
    Copa + férias, tem combinação melhor?

    Acho que o livro sobre o Neymar agradará bastante os fãs do craque. "O Drible" também parece ser um livro muito legal. Super legal a ideia, viu Dona Luara. HAHAH :) Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Faiul Brasil na copa mas OK! kkkkk ótimas indicações, porém não curto muito futebol :(

    ResponderExcluir
  7. Apenas: com saudades da copa!
    (E meu Deus, o que leva alguém a escrever um livro sobre o Neymar?)

    ResponderExcluir
  8. Ai que saudades da Copa! Vai ser duro esperar mais quatro anos... :(

    ResponderExcluir
  9. Já estou com saudades da Copa, mas mesmo assim, não vou me dispor a ler livros sobre o tema. Não tenho nada contra, mas só movida pelas emoções dos jogos e minha lista literária já está bem cheia! Mas pra quem gosta, é um prato cheio!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Oie...
    Não gosto de futebol e então os livros não me chamam a atenção!
    O único motivo, para mim, para ter saudades da copa, é que era feriado.
    De resto, achei a copa um desperdício de tempo e de dinheiro.
    Não gosto de copa e nem de futebol!! Dou graças a Deus que ela e toda sua frescura e hipocrisia tenham terminado.

    ResponderExcluir
  12. Confesso que sou torcedora só de copa, não sou nada ligada em futebol e não consigo ver como encaixaria futebol com livros. E você acertou muito na escolha da música haha

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lu!

    Teve muita copa mesmo, hein? E olha que eu cheguei a duvidar de que o povo ia curtir tanto assim. Acho que a copa foi uma experiência muito boa pro Brasil.

    Dos livros que a Cia lançou, eu não leria porque não sou muito chegada a futebol, mas já vi no Instagram que bastante gente se interessou por essa bio do Neymar. ;)

    Beijão,

    Natalia Leal
    Páginas Encantadas
    http://www.paginas-encantadas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Mesmo com todo mundo contra eu gostaria de ler o do Neymar.

    http://amordelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir