25/07/2014

Resenha: A Menina Que Não Sabia Ler (volume 2)

Título: A Menina Que Não Sabia Ler
Autor: John Harding
Páginas: 288
Editora: Leya
Um acidente de trem. Uma identidade trocada. Os detalhes poderão mudar o rumo dessa história... Depois de viver presa num mundo obscuro, assustador e sem palavras em 'A menina que não sabia ler', a pequena Florence viverá uma nova e misteriosa aventura onde nada é realmente o que aparenta ser e todos podem se tornar inimigos em potencial. Mas onde ela encontrará uma saída? Um aliado? O misterioso médico John Shepherd busca um recomeço para sua vida em um lugar nada promissor - uma ilha que funciona como uma clínica psiquiátrica exclusivamente para mulheres. Nesse antro de segredos e sofrimento, Shepherd tentará esquecer seus pecados devolvendo a humanidade às pacientes. A primeira em quem vai experimentar sua doutrina de cuidados, o 'tratamento moral', é uma atraente jovem pálida de cabelos escuros que não se lembra do próprio nome, fala de modo estranho e não consegue saber quando e como chegou àquele lugar. Por que afinal ela desperta tanto a curiosidade do médico? Entre pacientes mais inteligentes que as próprias enfermeiras responsáveis por elas, segredos por todos os lados e figuras assombrosas (e assombradas) percorrendo misteriosamente os corredores da clínica durante a noite, as vidas de Florence e John Shepherd estarão mais ligadas do que podemos imaginar... Arrisque-se e tente achar uma saída no labirinto claustrofóbico criado em 'A menina que não sabia ler volume 2'.

Esta resenha NÃO contém spoilers do primeiro volume!


Li A menina que não sabia ler (resenha) em 2012. Lembro que foi uma leitura muito diferente do que eu estava acostumada e fui pega de surpresa, uma vez que a capa e a sinopse escondiam totalmente a temática gótica que ele tem (provavelmente isso aconteceu com MUITOS leitores). Mas exatamente por esse fator surpresa, foi um dos melhores livros lidos naquele ano. Agora, dois anos depois, eis que a editora Leya anuncia um segundo volume – que, para falar a verdade, eu nem sabia que existia. É lógico que quis ler na primeira oportunidade, porém, só consigo caracterizá-lo com uma palavra: decepção.

Nesse segundo volume, conhecemos Dr. Sherpherd e sua busca em se livrar de um passado ruim e concentrar seus esforços em uma nova vida. Ele tenta buscar isso em uma clínica psiquiátrica localizada em uma ilha, onde ninguém poderá encontrá-lo e confrontá-lo a respeito das coisas que ele já fez. É lá que ele começa a aplicar o seu Tratamento Moral, uma técnica menos agressiva para tratar pessoas com deficiências mentais. A partir desse tratamento inovador para a época, ele conhece uma paciente instigante, que o fará buscar várias alternativas. O que ele não sabia era que ela era muito mais esperta do que ele imaginava...

Ele voltou a andar, mas eu fiquei olhando para aquelas mulheres, imaginando o quanto aquele tipo de trabalho seria exaustivo tendo comido tão pouco, quando notei que uma delas havia parado de esfregar, sentando-se no chão e estava olhando para mim. Era a jovem que dividira seu pão na noite anterior. Nossos olhares se cruzaram novamente e voltei a sentir o mesmo desconforto, mas decidi que desta vez eu devia quebrar o encanto; seus lábios tremeram em uma sugestão de sorriso e eu não pude deixar de retribuir. Foi a primeira vez que me comuniquei com uma das lunáticas. p. 46

Para quem já leu o primeiro livro, uma grande expectativa nesse livro era: o que será que a Florence vai aprontar dessa vez? Afinal, depois de tantas coisas que ela fez no primeiro volume, era de se esperar que ela fizesse o mesmo ou algo ainda pior. Só que a primeira decepção é que nesse livro o foco não está nessa personagem e sim no Dr. Sherpherd. Imaginem o quanto eu fiquei receosa quando soube disso? A fórmula já tinha dado certo com a Florence (tanto que fez sucesso mundial) e não sabia se o autor conseguiria repetir a dose. Pois é, o que eu fiquei com medo aconteceu: ele não conseguiu chegar nem aos pés do que fez no primeiro.

Porém, não posso negar que o segundo volume tem a mesma fluidez do primeiro. Harding consegue prender o leitor dentro de sua trama, porém, enquanto no primeiro tivemos um grande clímax, no volume 2 parece que o autor segue um enredo contínuo, sem nenhuma surpresa, o que faz com que o leitor fique esperando por algo que nunca vem. Nem a atmosfera gótica ele conseguiu reproduzir e tenho que admitir que, como me impressiono fácil, essa era a primeira coisa pela qual estava esperando, já que o autor tem um jeito muito singular de fazer esse estilo de narrativa, sem forçar ou parecer um terror sem medidas. Essa foi minha maior decepção.

Talvez tenha sido o protagonista que não ajudou tanto. Quando vi que teríamos outro foco nesse segundo volume, tentei acabar com todas as expectativas e visualizar o enredo por um ângulo novo, como de nova leitora da série. Mas Sherpherd não faz jus ao que a Florence fez no primeiro livro e, como a narrativa é em primeira pessoa, isso fez com que a qualidade da trama decaísse muito. Apesar de ele ter feito coisas no passado e por vezes ter que controlar seu instinto e nem sempre ser bem sucedido, faltou um toque especial. Antes que vocês me perguntem, a Florence aparece sim, porém ela está tão apagada que nem parece ser a mesma personagem que encontramos anteriormente. Quando vimos uma luz daquela antiga Florence, já estava na última página.

Vi a garota que havia dado seu pedaço de pão. Aquela com quem eu trocara um olhar silencioso alguns dias antes. Nossos olhos se encontraram novamente e mais uma vez enxerguei uma qualidade indefinível em sua expressão: loucura, certamente, quanto a isso não havia dúvida, pois havia uma selvageria primitiva em sua maneira de olhar; mas havia também inteligência. Senti uma onda de entusiasmo correndo em minhas veias. p. 67
Porém, apesar dos apesares, tenho uma boa notícia: quem não leu o primeiro livro pode tranquilamente ler o segundo sem grandes prejuízos. É claro que você vai perder muito da riqueza da personalidade da Florence e eu indico fortemente que você dê prioridade ao primeiro (até porque a história é bem melhor, tanto em enredo quanto em trabalho do autor), mas, se por algum acaso do destino o segundo parar em suas mãos antes do primeiro, fique tranquilo que não ter lido o primeiro não será um grande obstáculo. Além disso, finalmente temos a explicação para o título! Sim, nesse segundo volume, o fato de não saber ler finalmente é utilizado e traz o sentido para o título (ufa!).

Para os fãs do primeiro livro, uma grande decepção. Eu tinha grandes expectativas, uma vez que Harding conseguiu me convencer no primeiro livro e, quando vi que esse segundo não iria chegar aos pés do anterior, a decepção tomou conta de mim e fez com que da metade para o fim a leitura se tornasse um pouco arrastada. Apesar de ter um mistério ou outro que fazem com que a narrativa flua e o enredo se desenvolva, A menina que não sabia ler (vol 2) não convenceu. E, pelo que vi do final, o autor deixou brecha para que um novo livro seja feito. Agora é torcer pra que, se isso realmente acontecer, o livro seja melhor do que esse. Fiquei triste com essa decepção, mas o que eu posso fazer? Uma pena. 

17 comentários:

  1. Eu ainda não li o primeiro livro, mas tenho muita curiosidade em ler. também não sabia que havia um segundo livro, mas pelo que li dele por ai, confesso que achava desnecessário... ;x
    acho que prefiro ler apenas o primeiro. espero gostar tanto dele quando eu ler *-*
    essa é a primeira resenha que leio dele, então não sei se mais gente se decepcionou como você, mas só pela sua resenha nem estou mais curiosa para ler ele! hahaha

    ResponderExcluir
  2. Não li o primeiro livro ainda, estava muito em dúvida e agora estou mais ainda. Se eu ler o primeiro vou querer ler o segundo, mas se é uma decepção aí complica. Talvez se eu ler apenas o primeiro e ficar nisso. De qualquer forma vou atrás do livro, pode ser que minha percepção seja diferente. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oii Luara!
    Eu não gostei nem do primeiro. Sei que muita gente amou, mas não conseguiu me convencer. Sendo assim, não tenho a mínima vontade de ler o segundo volume. Mas vim conferir sua resenha pra ter alguma noção do que encontramos no segundo. É uma pena que a história tenha decepcionado até quem gostou do primeiro. E essa capa é bem fraquinha, né? E pelo que você falou, nem condiz com a história, já que o foco não é na Florence.

    Beijo,
    http://www.pitadadecultura.com/

    ResponderExcluir
  4. Acabei lendo só os quotes porque ainda não li o primeiro livro e MORRI de medo de conter spoilers :(

    Parece ser bem bonito!

    Beijos ^-^
    Ana - Poesia Destilada

    Blog| Loja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ler tranquilamente que não tem spoilers do primeiro! HAHAHAHA Se tivesse, eu avisaria. ;)

      Excluir
  5. Não li o primeiro e nem sabia da existência desse segundo volume. Para falar a verdade tem livros que não precisam de uma "continuação". Não sei como terminou o primeiro, mas é bom terminar um livro e imaginar o resto, sabe? Usar o que o autor criou para o final e deixar a criatividade fluir...Enfim... de qualquer modo pretendo ler a primeira parte dessa história... quanto a esse segundo volume, não sei se tenho tanta vontade arriscar!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Ai Lu,
    Como eu detestei o primeiro livro "A Menina que não sabia Ler" eu simplesmente não tenho nenhuma inclinação e muito menos vontade de ler a continuação e nem se por ventura houver outros livros não pretendo ler. Foi detestável minha leitura e experiência com o escritor, tá na lista negra... não pretendo ler. Traumas.
    Fico feliz por você ter gostado do primeiro livro... é horrível ler algo que a gente não gosta.

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  7. Tirou até o pouco de vontade que eu tava de ler hahahaha Na verdade, eu nao sei definir o que senti com o primeiro livro... Mas nao achei que deveria ter continuação. Ainda mais uma assim.


    Bem, quem sabe dou uma chance hahaha Mas ter outro livro ainda, gente? D: 2 ainda vai, mas 3... Não sou daquelas que acha que tudo que é bom ter que ter continuação, porque geralmente o que acontece é o autor estragar a história depois haha


    Amei a resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Lu! Vi umas amigas blogueiras falando sobre os livros. As capas são tão bonitas, ein? Acho a premissa desse livro bem interessante, e uma parte que realmente me chamou atenção foi: " as vidas de Florence e John Shepherd estarão mais ligadas do que podemos imaginar...". Como te digo (sempre), nossos gostos literários são bem parecidos, e ainda quero dar uma chance pro volume 1, e ver no que dá.

    Italo :)

    ResponderExcluir
  9. Oi, há muito tempo que quero ler A menina que não sabia ler, mas eu não fazia ideia do que se tratava (amei o que descobri) e de que tinha uma continuação. Que bom que você gostou do primeiro, porque realmente pretendo lê-lo. E é uma pena que o segundo não está a altura do anterior. Acho as capas umas fofuras, mas só depois de ler que saberei se elas fazem jus a trama.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li o volume 1 do livro, mas tenho bastante vontade. Ainda mais agora que li a resenha, me deu mais vontade de conhecer a trama deles. Esse é o último volume? Gostei muito da capa e espero poder lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Lu!

    Ainda não li o primeiro livro, mas confesso que estou meio seguro quanto a começar essa sequência. Já li resenhas em vários blogs e é sempre assim: ou os blogueiros amam, ou odeiam, o que me deixa muito insegura. Sei lá né, vai que eu faça parte do grupo que odeia? Hahahaha, tenho dessas. ><

    Fiquei triste por você ter se decepcionado com o livro, só confirmou que eu devo mesmo pensar bem antes de ler.

    Beijão,

    Natalia Leal
    Páginas Encantadas
    http://www.paginas-encantadas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Eu ainda não li o primeiro volume e pasme, eu o tenho na minha estante há muito tempo!!! Vou ver se leio ainda esse ano.

    http://amordelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu li o livro e realmente amei o segundo volume, é verdade que o autor não faz jus ao caso anterior do primeiro livro da historia de Florence, sendo apenas relatado alguns fatos. E apesar das criticas de Luara, para mim o livro foi algo diferente e muito interessante, o autor realmente consegue prender o leitor á historia, e em vista desta acredito que foi propicio para um novo enredo. Apesar que deduzi o paradeiro de Florence o tempo todo e que nesta historia lá estava Florence, e com certeza acredito que o autor deixou espaço para uma nova sequencia. Que espero ansiosa pra ler !

    ResponderExcluir
  14. Gostei da historia de misterio dos dois volumes, porem deixa mts pontas soltas nao revelada que vc espera desvendar no final do livro ou na proxima edicao e nao acontece, se na proxima edicao nao revelar tudo de vez pra proxima edicao ai todas esta historia do livro vai ser uma merda pq vai virar uma mini serei e fugir ao contexto espero que resolva nesta 3 edicao se nao desisto de ficar lendo

    ResponderExcluir
  15. Gostei da historia de misterio dos dois volumes, porem deixa mts pontas soltas nao revelada que vc espera desvendar no final do livro ou na proxima edicao e nao acontece, se na proxima edicao nao revelar tudo de vez pra proxima edicao ai todas esta historia do livro vai ser uma merda pq vai virar uma mini serei e fugir ao contexto espero que resolva nesta 3 edicao se nao desisto de ficar lendo

    ResponderExcluir
  16. Eu gostei bastante do segundo livro.
    Claro que não superou a qualidade do primeiro, mas fiquei envolvida com todo o mistério do Sherpherd. Só ficaram pontas soltas em relação a Florence que eu espero ,do fundo do meu coração, que sejam explicadas em um próximo volume..

    ResponderExcluir