07/07/2014

Resenha: O Ladrão do Tempo

Título: O Ladrão do Tempo
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 568
O ano é 1758 e Matthieu Zela resolve abandonar Paris e fugir de barco para a Inglaterra, depois de ter testemunhado o assassinato brutal da mãe pelo padrasto. Apenas um garoto de quinze anos na época, ele leva consigo o meio-irmão caçula, Tomas, criança que se vê impelido a proteger. 

Começando com uma morte e sempre em busca de redenção, a vida de Zela é marcada por uma característica incomum: antes que o século XVIII acabe, ele irá descobrir que seu corpo parou de envelhecer. Sua aparência é de um homem de cinquenta anos, mas o tempo passa e seu físico continua imutável. Ele simplesmente não morre e não faz ideia de qual seja a razão para que isso ocorra. Ao final do século XX, ele resolve olhar para o passado e rememorar sua experiência de vida, incomparável à de qualquer outro ser humano. Da Revolução Francesa à Hollywood nos anos 1920, da época das Grandes Exposições à quebra da Bolsa de Nova York, Zela transitou por inúmeros lugares, exerceu diversas profissões e conheceu pessoas notáveis, além de ter se apaixonado por muitas mulheres. Com uma trama absolutamente instigante de amor, morte, traição, oportunidades perdidas e esperança, John Boyne já anunciava neste primeiro romance o seu talento inconfundível de exímio contador de histórias.


Mais um livro do John Boyne. Pois é. Vocês sabem o tamanho do meu amor por esse autor e o quanto a minha resistência em ler novos livros dele tende a zero. O Ladrão do Tempo chegou aqui há algum tempo e, apesar de eu querer passá-lo a frente de todas as minhas leituras, não tive tempo suficiente para isso por causa da faculdade. As férias chegaram e finalmente ele teve sua chance. Sendo o primeiro livro publicado pelo Boyne, muitas pessoas podem achar que é amador ou coisa do tipo, mas é totalmente ao contrário: em sua primeira obra, o autor já mostra que é um exímio contador de histórias.
                                                                                                       
Em O Ladrão do Tempo, conhecemos Matthieu Zéla. Ele tem 256 anos. Ele chegou a um ponto da vida que simplesmente parou de envelhecer. Apesar de não saber os motivos e se questionar algumas vezes, ele viveu todos esses anos de acordo com o que lhe era oferecido pelo destino. Durante sua vida, sempre conviveu com algum sobrinho, uma eterna recordação de seu irmão. Só que, apesar de seus esforços, todos acabam morrendo precocemente. Entre amores, fatos históricos e alguns questionamentos, caberá a Zéla tentar acabar com essa tradição.

Eu não morro. Apenas fico mais e mais e mais velho. (...) Acredito há muito tempo que a aparência é a mais enganosa das características humanas e fico feliz por ser a prova viva da minha teoria. p. 7/8
Mais uma vez, John Boyne me surpreende. É incrível como esse autor consegue fazer mágica com as palavras. Ele nos leva por uma jornada de 256 anos, passando por diversos fatos históricos, como a Revolução Francesa e as Olimpíadas, e, mesmo assim, consegue envolver o leitor ao longo de quase 600 páginas sem tornar sua leitura maçante. Isso se deve principalmente a sua narrativa, que, ao separar o enredo em três fases (a adolescência, a vida adulta e a fase atual do protagonista), faz um jogo temporal: somos levados do passado ao presente intercaladamente e essa característica faz com que o livro ganhe no sentido da dinâmica.

Nesse livro, a dinâmica é algo que tem que ser ressaltado. Como passamos por vários anos, são vários os personagens criados e, por consequência, temos muita informação, até porque o autor faz uma ambientação maravilhosa para aqueles que não conhecem tal fato histórico no qual Matthieu está inserido e isso requer detalhamento. Isso faz que com que o livro perca muito na dinâmica e o torna um pouco lento, ainda mais porque os capítulos são grandes (média de 20 páginas cada um).  Então, para leitores que se distraem fácil, talvez não seja uma leitura fácil. Mas, como eu disse, o trunfo está na narrativa do autor, que envolve o leitor até o fim com o mistério que envolve o não envelhecimento do protagonista.

Envelhecer pode ser cruel, mas se você ainda tiver uma boa aparência e certa segurança financeira, há sempre muito para fazer. p. 318
Matthieu é um fruto de um grande trabalho do autor e com certeza merece ser destacado. Boyne mais uma vez criou um personagem marcante, daqueles que te ganham logo na primeira página. Como temos a narrativa em primeira pessoa pelo seu ponto de vista, conhecemos as inúmeras faces que o nosso protagonista pode ter: desde o que está loucamente apaixonado na adolescência até o maduro sócio de uma emissora de TV. Ao longo dos seus 256 anos, houveram erros, acertos, paixões e sonhos. A humanidade que o autor passa para seu protagonista é visível e sua evolução ao longo do enredo só evidencia isso mais ainda.

O Ladrão do Tempo é um livro magnífico. Apesar da sua aparente simplicidade, ele possui um enredo muito bem trabalhado, com a narrativa mágica característica do John Boyne e aquele mistério que te prende até o fim. Apesar de ter muita informação, é uma ótima indicação para quem ainda não leu nenhum livro adulto do autor, pois as melhores características dele estão explícitas, desde aos fatos históricos até a construção magnífica dos personagens. Para quem já conhece e gostam do autor, já saibam: é um prato cheio. Altamente recomendado. 

26 comentários:

  1. Como eu disse em outro comentário, já li O Menino do Pijama Listrado. Mas quero muito ler os outros livros do autor! Esse parece ser muito interessante e único, e isso é ótimo em um mundo onde tudo é igual.

    Clara
    @clarabsantos
    Blog Incantevole - clarabeatrizsantos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu! Eu amo os livros do autor. Caraca, personagem velho heim, 256 anos. Ia ser um pouco difícil comigo, já que se eu não tiver ouvindo música me distraio facilmente, odeio barulho quando estou lendo. Eu adoraria lê-lo só para visitar esses momentos históricos juntos com os seus personagens.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Luara!

    Eu realmente não fazia ideia que esse é o primeiro livro do Boyne, e olha que eu gosto muito dele. Li "O Ladrão do Tempo" logo após ter lido "O Menino do Pijama Listrado", que, assim como para outras pessoas, foi a porta de entrada para a escrita do autor. A gente realmente não vê o tempo passando numa leitura dessas, de tão gostosa que é.

    Beijos!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir
  4. oiii,
    não sabia que esse era o primeiro livro do autor. Pela sua resenha, parece ser um livro realmente incrível e cativante. Admiro demais os autores que conseguem prender nossa atenção por tantas e tantas páginas sem o livro se tornar cansativo ou chato. Escrever livros grossos e bons assim não é para qualquer um, rs
    adorei a dica
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii Luara!
    Não conhecia o livro e fiquei bem curiosa para ler. Só o fato de o protagonista ter 256 anos chama muito a atenção. Fiquei com bastante vontade de ler, de verdade.

    Beijo,
    Pitada de Cultura

    ResponderExcluir
  6. Eu realmente nunca tinha ouvido falar desse livro mas para uma primeira impressão posso dizer que fiquei bastante curiosa para ler. Quando vi o número de páginas pensei que seria um livro maçante mas pelo que você falou o livro sempre nos envolve e não nos deixa cansados, gostei bastante do enredo da história e com certeza esse é um livro que lerei.
    Ótima resenha.
    Beijos
    http://the-universe-of-books.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Eu amo os livros do John mas ainda não tive a felicidade de ler esse livro. Também não sabia que era o primeiro livro dele. Amei sua resenha e já anotei na minha listinha para comprar para ler.

    ResponderExcluir
  8. Oi Laura. Não li nada desse autor ainda, mas fiquei louca com esse livro. Preciso lê-lo. Quero descobrir porque o personagem não envelhece! Adorei a resenha. Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Sou apaixonada pela escrita do autor! Me apaixonei pelas histórias contadas por este desde minha primeira leitura: O menino do pijama listrado. Confesso que não sabia do que se tratava esse livro, mas, só por sua resenha já me encantei com a história. Quero realizar essa leitura pra ontem! rs
    Ótima resenha!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  10. Adorei a resenha.
    Vou procurar colocá-lo na minha wishlist!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Hey
    Não conhecia esse livro, mais um que preciso ler do autor!
    Gostei bastante da premissa e a localidade haha

    A quantidade de páginas pode assustar, mas se a leitura prende... elas passam que a gente nem sente :3

    bjs e uma ótima quinta
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  12. Só li Tormento do Boyne e óbvio que quero mais. Comecei com o pequenininho, mas o que eu queria mesmo ler era Palácio de Inverno... agora adicionei Ladrão do Tempo à lista. O fato de "passear" na história me lembrou O Livro de Joaquim e O Livro de Leah, dois livros que amo e também tem essa coisa dos personagens não envelhecerem e, assim, passar por muitas coisas (Segunda Guerra, Hiroshima etc etc).

    Eu, sinceramente, estou me distraindo muito fácil ultimamente, então a narrativa tem que ser muito boa pra me manter ali lendo detalhes e mais detalhes. É um bom desafio ler esse livro rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Lu eu nunc li nada do John Boyne acredita?!
    Tenho que mudar isso urgentemente rsrs!

    http://www.paraisoempapel.com
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Luara

    Só li O menino do Pijama listrado e apesar de ter gostado e muito não sei bem porque não procurei mais livros do autor pra ler.
    A temática desse livro parece ser bem interessante e o fato de passar por alguns fatos importantes da história me deixaram ainda mais empolgada pra ler.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  15. Mesmo anos depois de ter lido "O Menino do Pijama Listrado", ainda lembro das sensações que tive durante a leitura. Isso mostra que o Boyne sabe contar uma boa história e me faz querer ler outras obras dele. Bom saber que desde o primeiro livro ele já era apaixonante!
    bjo

    ResponderExcluir
  16. então este é o primeiro livro escrito por ele? não sabia! :P
    acho estranho ver tão poucos livros dele sendo resenhados pela blogosfera... primeiro porque ele é um autor de muito sucesso né, e segundo que, apesar de não ter lido nenhum dos livros dele ainda, parecem ser todos ótimos! :O
    como disse antes, ainda não li nenhum dos livros dele, mas acho que vou começar por este.
    uma pessoa que vive tanto tempo assim e, com certeza, passou por muita coisa, tem muitas experiências... acho que ele tem muita coisa boa para nos mostrar.

    ResponderExcluir
  17. Poxa, super curti a premissa desse livro. Achei legal isso de a narrativa ir "andando" entre os acontecimentos. E Boyne sempre tem uma ambientação incrível. Sem dúvidas, quero muito ler. *bota na lista*.

    A premissa do protagonista ter 256 anos é incrível. Quero muito ler, sério.

    ResponderExcluir
  18. Ah Deus! Como preciso dos livros deste homem. Sempre vejo resenhas pisitivas a respeito e fico aqui invejando kkkk Apesar de seus livros serem um pouco caro, certamente vale a pena investir neles. Adorei a resenha Luh, só me instigou a querer mais essa obra esplendorosa! Bjs

    ResponderExcluir
  19. Oie!

    Eu nunca li nada do autor, mas já percebi que ele gosta bastante de colocar fatos históricos como pano de fundo das suas histórias, e isso é bem interessante!
    Quanto ao livro, estou começando agora a me aventurar em livros mais longos como esse, então acho que ainda não estou preparada para ele, até porque pelo visto é bastante detalhado e tem muuuito personagens, e eu com certeza iria me perder hahaha

    Beijos!!!!
    http://poesiadestilada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Gosto muito de livros que misturam fatos históricos e meio que seguem uma cronologia da vida do personagem. História me fascina demais e o John Boyne parece ser mestre em criar livros com fatos históricos extremamente presentes no centro da narrativa.

    ResponderExcluir
  21. Oii, que resenha linda! O John é incrível, acho que todos deveriam ler pelos menos um de seus livros! Eu ainda não li esse e não tem como eu não querer depois dessa resenha, amo a temática que ele aborda, acho fascinante falar sobre a filosofia do tempo, vida e estética. Sem contar que amo fatos históricos, não é a toa que sou louca pelos livros do Sidney Sheldon! kkk Quero poder lê-lo em breve!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Já li O menino de pijama listrado e fiquei encantada!
    Estou super curiosa para ler as outras obras de John Boyne e esse livro parece ser ótimo.
    Gostei muito da resenha e ela só me fez ficar mais apaixonada pelo trabalho do autor!

    ResponderExcluir
  23. Gostei muito da premissa desse livro, esse negócio de viajar pelos 256 anos do personagem me interessa muito, tem uma pegada histórica. Vou procurar me inteirar mais sobre esse livro por que me deixou bem curiosa. bjs

    ResponderExcluir
  24. Oi, Lu!

    Odeio história, mas sou apaixonada por essa época da Revolução Francesa. Acho que curtira muito ler um livro que se passa nesse contexto histórico tão conhecido. Fora que né, foi escrito pelo John Boyne... Dispenso comentários, hahaha. <3

    Beijão,

    Natalia Leal
    Páginas Encantadas
    http://www.paginas-encantadas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  25. Preciso ler um livro do autor, esse parece ser uma boa para começar. Mas tenho medo de me decepcionar...

    http://amordelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. O livro parece ser magnífico mesmo, fiquei bastante interessada em ler!

    ResponderExcluir