09/10/2014

Resenha: Invisível, de David Levithan e Andrea Cremer

Título: Invisível
Autores: David Levithan e Andrea Cremer
Editora: Galera Record
Páginas: 322
Stephen passou a vida do lado de fora, olhando para dentro. Amaldiçoado desde o nascimento, ele é invisível. Não apenas para si mesmo, mas para todos. Não sabe como é seu próprio rosto. Ele vaga por Nova York, em um esforço contínuo para não desaparecer completamente. Mas um milagre acontece, e ele se chama Elizabeth. Recém-chegada à cidade, a garota procura exatamente o que Stephen mais odeia. A possibilidade de passar despercebida, depois de sofrer com a rejeição dos amigos à orientação sexual do irmão. Perdida em pensamentos, Elizabeth não entende por que seu vizinho de apartamento não mexe um dedo quando ela derruba uma sacola de compras no chão. E Stephen não acredita no que está acontecendo... Ela o vê! 


David Levithan é um daqueles caras de quem eu leria até a lista do supermercado. Ele conquistou esse lugar com Todo Dia, um livro que me marcou tanto a ponto de eu não conseguir ter palavras suficientes para escrever uma resenha sobre ele. Eis que, por causa desse fato, minhas expectativas para Invisível estavam absurdas, afinal, esse livro tinha todo o potencial para me marcar tanto ou até mais do que o primeiro livro que li do autor. Mas, infelizmente, não foi bem assim que aconteceu, porque, apesar de ter tudo para entrar na minha lista de favoritos, Invisível foi uma grande decepção.

Eu devia estar feliz. Na maior parte do tempo, estou. Na maior parte do tempo, feliz não é palavra suficiente para descrever como me sinto. Eu me perco em Stephen sem estar perdida.  Eu me encontro em Stephen quando nem sabia que esperava ser encontrada. p. 79
É sempre um risco quando dois autores se juntam para escrever um livro. Por ser um enredo só, tem que haver harmonia para que os dois o desenvolvam com o mesmo ritmo, para que o leitor não tenha uma leitura “picotada”. Esse era o meu grande receio com relação a Invisível, já que eu nunca havia lido absolutamente nada da autora Andrea Cremer e não sabia como seria a minha adaptação com a escrita dela. Mas, por ter Levithan no meio, ignorei esse receio e parti para a leitura.

As cem primeiras páginas do livro deram a impressão de que Invisível iria pelo mesmo caminho que Todo Dia: a invisibilidade e o autoconhecimento de Stephen ficam como plano de fundo, enquanto o relacionamento dele com Elizabeth ganha foco e provoca a transformação em sua vida. Até esse ponto, eu estava absolutamente apaixonada pelo enredo criado pelos dois autores. Porém eis que há uma reviravolta inesperada e, como vocês bem sabem, nem sempre isso é uma boa coisa.


Levithan e Cremer adicionaram elementos fantásticos na história e perderam o rumo inicial do livro, o que foi uma grande decepção para mim. Eles tiram o foco do relacionamento e o colocam em tentar descobrir o motivo de Stephen ser visível somente para Elizabeth e em tentar resolver essa situação. Só que os elementos adicionados não convenceram: o livro não só perdeu todo o potencial para ter um lado mais dramático e metafórico (com aquelas características de Todo Dia, como citei anteriormente), como acabou caindo no clichê, naquele mais do mesmo. Imaginem a minha frustração quando me dei conta disso?

Porém, por outro lado, uma das partes positivas do livro é a narrativa em primeira pessoa, tanto pelo ponto de vista de Stephen (que fica a cargo de Levithan), como pelo de Elizabeth (narrada por Cremer), que permite com que vejamos a situação como um todo e que faz com que todos os personagens sejam bem trabalhados, inclusive os secundários. Logo no começo me senti um pouco incomodada pela falta de harmonia entre as narrativas, porém, com o passar das páginas, os autores vão se ajustando e isso torna a narrativa extremamente fluida. Foi isso que fez com que eu lesse o livro muito rápido apesar de não gostar dos caminhos tomados por eles.

- Não é solidão, na verdade. Porque a solidão vem da ideia de que você pode estar envolvido no mundo, mas não está. Ser invisível é ser solitário sem o potencial de ser outra coisa além de solitário. Por isso, depois de um tempo, você se retira do mundo. É como se estivesse num teatro, sozinho na plateia, e tudo o mais estivesse acontecendo no palco. p. 106
Eu realmente não deveria ter esperado tanto quanto eu esperei de Invisível, mas, quando gostamos muito de um autor, é praticamente impossível que isso não aconteça. O livro realmente tinha um grande potencial, mas acabou caindo no clichê, o que foi muito frustrante para mim. O final ainda deixou espaço para uma continuação, o que me deixa receosa para o que ainda está por vir. Espero que, se realmente houver um próximo livro (pesquisei e não encontrei nada sobre), ele mude minha visão dessa história. Mas, por enquanto, o que resta é a minha decepção. 

24 comentários:

  1. Olá
    Ameeeeeeeeei o livro Todo dia do David Levithan, concordo com tudo que você falou, mas para mim essa reviravolta foi para o lado positivo, achei um livro cheio de emoção, saiu da linha das reflexões do livro Todo dia, bem, comparando os dois livros o Todo dia é bem melhor, mas gostei bastante de invisível <3 Já quero o próximo livro do David !
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, saiu da linha de Todo Dia, só que, pra mim, se eles tivessem desenvolvido a parte fantástica a ponto de ficar um pouco menos parecido com o que eu já cansei de ver em outros livros, gostaria mais. :(
      Obrigada pelo comentário, Leonardo! <3

      Excluir
  2. Olha eu tenho que confessar que esse foi o primeiro livro que li do autor e sinceramente tenho que dizer que gostei bastante de sua escrita, principalmente da história, mas eu tive a sensação estranha em alguns dialogos, porque eu as vezes tinha que dar uma voltada pra saber quem estava falando tal coisa. Não sei se vc teve essa sensação. E outra coisa também que me deixou inquieta foi o desfecho, porque eu acho...não sei, vai ter continuação. E agora que vai ter filme, espero que tenha, porque eu adorei a história e o livro é muito recomendado mesmo. Fico feliz que vc tenha gostado da história. Adorei a sua resenha, até porque vc colocou partes muito bacanas sobre a história. Parabens amiga =]
    Gosto muito de seu blog pela forma que vc escreve viu?!
    Precisando pode contar comigo
    bjoss

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Que pena q o livro não é tão bom assim.
    Aimda nao li nada do Levithan. Tenho dois livros dele aqui em casa e estou curiosa para ler esses.. Eh o todo dia e Nick e Nora..

    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  4. eu ia te falar isso mesmo: talvez você estava esperando demais do livro... mas quando gostamos muito de um autor é dificil mesmo não ficar tão empolgada. eu já sofri muito com isso hahaha
    confesso que nunca li nada do autor. Comecei uma vez a ler Todo Dia. li uns 10/20 páginas mas como não consegui entrar muito na história acabei abandonando...
    este ai me chama um pouco a atenção pela sinopse dele e tal, e mesmo sabendo que você se decepcionou com o livro, espero conseguir ler para tirar minhas próprias conclusões! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayme, tudo bem?
      Pois é, é difícil não ficar empolgada quando se trata de um autor que a gente gosta MUITO! Mas, mesmo que eu não estivesse esperando tanto do livro, não iria gostar do rumo que ele tomou, porque inicialmente ele te dá a impressão de que vai seguir por um caminho e te conquista por causa disso, mas, depois, com essa reviravolta, você se sente meio "iludida", sabe? :(
      Enfim, leia sim! Espero que você tenha uma experiência muuuuuuito melhor do que a que eu tive. <3

      Excluir
  5. Oi Laura!
    Estou muito ansiosa para ler esse livro.
    Todo dia foi realmente maravilhoso e com certeza invisível também é!
    Adorei a dica
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    É realmente frustrante, quando nos decepcionamos com o livro de um autor que tanto admiramos.
    Já vi várias resenhas positivas desse livro e vários elogios ao autor, tanto que estou com Will e Will aqui e logo iniciarei a leitura.
    Vou deixar Invisível na lista de possíveis leituras futuras.
    Adorei a resenha.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook - Tem promoção lá no blog. Não fique fora dessa!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lara! Tenho vontade de ler este livro e sua resenha me deixou curiosa, mas quando eu for vou tentar ir com uma expectativa menor para não me decepcionar como tem acontecido. Sua resenha esta linda e deixa a gente muito curioso. Vai que me acontece o mesmo que aconteceu com vc né? tem livors que esperando muito e depois nos arrependemos de não ter lido logo rs


    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Eu amei Todo dia e infelizmente isso acontece comigo também. Quando gosto muito de um autor, já pego o livro com as expectativas lá nas alturas e sempre me decepciono. Mas pode ser que seja por ter sido escrito por duas pessoas, não sei.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Oi, Luara tudo bem ?

    Adorei sua resenha e seu ponto de vista eu também só Todo Dia do Levithan e amei o livro apesar de não ter gostado do final, mas acho que Levithan e Jonh Green para mim só me agradam em um livro, sinto que se ler mais livros dos mesmos não irei gostar tanto igual dos que gostei então não leio mais livros.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  10. Colocar na minha lista de pendencias, porque depois dessa resenha tenho que ler esse livro <3
    Um grande beijo, Polliana,
    http://www.vicioempaginas.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ainda não li nada do David Levithan, mas como ouço muita gente elogiar Todo Dia, quero muito ler este livro.
    Invisível é um livro com o enredo bem interessante, assim como Todo Dia. É uma pena que você tenha se decepcionado com o livro. Irei lê-lo em breve, espero gostar da leitura.

    Abraços!
    http://www.tudoonlinevirtual.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi Luara, tudo bom?
    Não li nenhum dos livros do Levithan (mentira, li Nick Norah), mas não li nenhum dos livros mais recentes. É muito ruim quando temos determinada expectativa com uma leitura e ela caba decepcionando dessa forma. A premissa do livro não me interessou muito e fiquei ressabiada pelo fato da história ter perdido o rumo no decorrer da narrativa.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Ah que pena que se decepcionou...
    Não li nada do David, mas tenho lido ótimas críticas ao seu trabalho, apesar de desejar conhecer sua escrita não nutro qualquer expectativa a respeito, espero dessa forma não me decepcionar.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Luara. Ainda não li nada de nenhum dos dois autores, mas por ter visto resenhas amando o Todo Dia, também esperava que esse livro fosse maravilhoso. Pena! Mas pelo jeito a leitura rendeu então não deve ser de todo perdido. :D Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Decepção? Eu adoro o David e quero muito ler esse livro :c estou com elee aqui e essa não é a primeira pessoa que vejo que diz que não gostou dele. :C
    whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oi Lu!
    Que penaaa que o livro não é tão bom.
    Assim como você eu me apaixonei pela escrita do Levithan por conta de Todo Dia.
    Eu ainda pretendo dar uma chance, mas não é prioridade.

    Gabriel - umpapoentrepaginas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Comecei a ler Todo Dia, mas não consegui terminar. Achei a história um pouco besta e não gostei do modo como ele tratou os personagens. Estava na expectativa pra ler Invisível porque a história parecia muito mais interessante, mas acho que vou me decepcionar também :(

    ResponderExcluir
  18. Eu nunca li nada do Levithan e também não pretendia. Já sobre a Andrea Cremer tenho o primeiro livro da série nightshade - que ainda não tive tempo para ler ;x embora minha prima e minha amiga tenham me dito que é incrível a série e que tenho que criar coragem logo.
    Bom, como eu disse não pretendia ler Todo Dia e Will and Will que no caso são dos quais eu mais ouço falar e apesar da sua resenha ter dito que ficou decepcionada com o livro não consigo parar de pensar que preciso de compra-lo logo, porque a ideia e a sinopse me encantaram e acho que estou esperando MUITO - inclusive, to morrendo de medo de me decepcionar como você se decepcionou.

    ResponderExcluir
  19. otima resenha, adoro esse livro

    http://oficinaleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Esse foi o meu primeiro livro a ler de ambos escritores. Quando eu li a resenha desse livro, fiquei querendo ler na mesma hora, mas quando finalmente li, eu meio que me decepcionei, porque eu pensava que ia ser totalmente diferente do que eu costumo ler, como: Coisas surreais, fantásticas e etc), pois eu imaginava que seria algo mais monótono entre Stefen e Elizabeth e não ela se tornando.. Bem, algo fantástico. Enfim, se não fosse isso, eu iria amar o livro, porém, me decepcionei demais com o final e o enredo.

    ResponderExcluir
  21. Que pena que o livro foi uma decepção para você. Eu particularmente adorei. É o primeiro dele que leio.
    Beijo! =D

    ResponderExcluir
  22. Eu li o livro, não dei cinco estrelas como dei aos outros livros que li do Levithan! Mas não tenho como negar, que mesmo com o final (que ódio) não esperado o livro foi muito bem trabalhado e acima de tudo a criatividade de David e Andrea foi enorme, querendo ou não eles não deixaram nenhuma ponta solta e tudo ficou muito bem conectado! Posso não ter gostado do final, mas, com certeza a leitura foi proveitosa e valeu as 4 estrelas que dei!

    Xo
    Re.View

    ResponderExcluir