24/11/2014

Resenha: O Livro das Coisas Perdidas, de John Connolly

Título: O Livro das Coisas Perdidas
Autor: John Connolly
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 363
Após a morte da mãe, David, de 12 anos, passa a maior parte do tempo em seu quarto tendo com os livros como companhia. Quando eles começam a sussurrar para o menino, realidade e imaginação se misturam até que, ao brincar no jardim, entra em um reino encantado, onde encontrará heróis, monstros e um rei fracassado que guarda seus segredos em um livro misterioso. John Connolly, em O Livro das Coisas Perdidas, desconstruirá fábulas conhecidas, como A Branca de Neve e os Sete Anões e João e Maria, por meio de muita imaginação e mistério.


Sabe quando você coloca um livro na sua lista de desejados e ele fica por tanto tempo lá que você começa a duvidar que um dia terá a oportunidade de lê-lo? Foi exatamente isso que aconteceu com O Livro das Coisas Perdidas. Desde que foi lançado, eu recebi várias indicações de amigos dizendo que tinham adorado e que eu precisava ler. Tentei compra-lo em diversas ocasiões; tentei trocar, mas ninguém queria se desfazer. E agora eu entendi o motivo: que livro FANTÁSTICO. John Connolly se firmou como um dos autores que eu vou ler qualquer livro que ele lance, nem que seja sobre as coisas que ele faz durante o dia.

Nem mesmo os rituais que repetia incessantemente haviam sido suficientes para mantê-la viva. Mais tarde, ficaria se perguntando se, por acaso, deixara de executá-los de maneira apropriada, se, por acaso, havia contado mal na manhã daquele dia ou se deixara de acrescentar alguma ação às demais e então teria podido modificar as coisas. Agora não importava mais. Ela se fora. p. 13
Há muito tempo eu estava querendo ler uma fantasia em sua forma mais crua. Quando peguei O Livro das Coisas Perdidas, tentei de todas as formas abaixar minhas expectativas, afinal, é sempre ruim quando a gente espera demais de um livro e ele acaba não sendo tudo aquilo – além de, quase sempre, levar a uma ressaca. Porém, logo nas primeiras páginas, percebi que o livro seria incrível: John Connolly nos introduz nosso protagonista, David, e toda a situação dramática por qual ele está passando: a morte de sua mãe mesmo depois de todas as suas tentativas para salvá-la, a adaptação ao novo casamento de seu pai e ao irmão que chegou inesperadamente. Depois dos primeiros capítulos, já estamos ligados ao protagonista, em uma relação de empatia e compreensão.


Mas é quando o elemento fantástico entra em cena que o livro se molda na obra prima em que ele é. Apesar de não ser um enredo totalmente original, John Connolly se firma ao criar um mundo instigante, utilizando desde criações próprias até recriações de personagens famosos e isso tudo com aquele toque de mágica que o gênero pede. Isso faz com que seja um livro rico, mas, ao mesmo, isso não cansa o leitor, pois a narrativa em terceira pessoa faz com que tenhamos informações a mais sobre todo esse universo, sendo que ela é ao mesmo tempo fluida e objetiva. Mas se engana quem acha que esse é um livro leve: o autor nos faz embarcar em temas como solidão, perda e a necessidade de crescer quando a situação pede.

Isso faz com que tenham pontos em que o leitor se identifica com a situação em que David está. Por ter 12 anos e estar em um mundo totalmente diferente e tendo que se virar sozinho, ele se defronta com seus próprios medos e inseguranças. Ao fazer isso, acabamos criando um vínculo com o protagonista, afinal, é inevitável que nos coloquemos no lugar dele. Isso faz com que a gente pense no que faria caso estivesse em tal situação e o autor utiliza de artifícios para incentivar isso, o que acaba agregando ainda mais valor a obra, sem contar que faz com que o protagonista tenha um crescimento visível ao longo do enredo.

Mas ele já havia feito sua escolha. Não podia hesitar. Esgueirou-se pelo buraco do muro, na escuridão, enquanto o mundo que deixara atrás de si transformava-se num inferno. p. 78
O Livro das Coisas Perdidas é tão bom que, quando os últimos capítulos chegaram, comecei a ler bem devagar, porque eu não queria que acabasse. Para ser sincera, fiquei adiando e adiando, até que vi que ele não iria durar para sempre. John Connolly criou um mundo tão bem elaborado, que qualquer leitor que goste de fantasia vai mergulhar nele e querer cada vez mais. Se eu pudesse, faria com que ele tivesse uma continuação só para eu ter um gostinho a mais dessa história (sim, podem vibrar, é livro único!). O Livro das Coisas Perdidas é altamente indicado para quem está à procura de uma fantasia do mais alto nível. Ele é incrível.

P.S.: Nem preciso comentar que essa é uma das capas mais maravilhosas que eu tenho na minha estante, não é? Sem contar com detalhes internos. A Editora Bertrand Brasil arrasou! 

10 comentários:

  1. AHH, já ouvi falar muito bem do livro, mas confesso que nunca me senti realmente atraído - nem a capa sendo *O* - Então, basicamente, nunca entrou para a minha wishlist. Porém, como você está muito empolgada com essa resenha, haha, eu acho que posso dar uma chance para ele, até porque, o pouco que você falou da história me fez enxergar alguns pontos interessantes da trama. Não parece ser só mais um livro de infanto-juvel fantástico. Bem, quando eu puder, lerei sim :)

    Abraços,
    - pensamentosdojoshua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oiii Luara!
    Me identifiquei muito com o começo da sua resenha, porque faz muuuuito tempo que esse livro está na minha lista de leitura. Mas sempre acabo esquecendo de comprar :(
    Mas agora sua resenha me animou, na minha próxima compra vou tentar inclui-lo, pois ele é daqueles livros que fazem totalmente o meu estilo e que mesmo só tendo lido a sinopse já sei que vou amar!
    As melhores combinações são essas de algo que já conhecemos com uma pitada do desconhecido, imagino que seja meio que um Circo da Noite, mas sem o circo HAHAHA Algo meio fora da realidade que tem o poder de encantar e transportar tão fortemente pra outra realidade que <3
    Talvez a narração em terceira pessoa seja algo que faz o livro ser tão encantador, ainda mais o personagem sendo tão jovem e devido a temática a riqueza de detalhes é fundamental. Enfim, ótima resenha, você coloca as ideias muito bem! Espero me apaixonar pelo livro tanto quanto você!
    Beijos :3
    Debora
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Luara, este livro também está na minha listinha de desejados já faz um bom tempo e também pensava como você, que nunca chegaria a lê-lo. A sua resenha me despertou uma baita vontade de fazer isso, acredita? Vou lê-lo em breve!

    Beijos,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. "Sabe quando você coloca um livro na sua lista de desejados e ele fica por tanto tempo lá que você começa a duvidar que um dia terá a oportunidade de lê-lo?"
    História da minha vida! Também com esse livro! Sou apaixonada por fantasia, e estou de olho nesse aí há muito tempo. Sem falar que a capa dele é belíssima! Sua resenha só aumentou minha vontade de ler! Foi muito boa, sério!

    Blog Incantevole
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. o nome do autor não me é estranho, mas nunca li nem este livro nem outro...
    pelo primeiro quote que você citou, parece que o personagem ter toc Oo
    não sei, não fiquei muito curiosa pela trama. ela não me chamou muito a atenção e parece ser mais do mesmo...
    não sou muito fã de fantasia também, então acho que o livro não iria me agradarar :S
    a capa, realmente, é uma das mais maravilhosas mesmo! *-*

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, me pareceu ser bom!!
    www.s2nopiquedamoda.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Luara! Tudo bem?
    Ganhei esse livro em uma promoção e acabei me esquecendo que ele estava na estante até a minha irmã ler, adorar e me indicar. Ainda não pude conferir a história, mas só de saber que o livro é volume único (amém \õ/) e que a trama envolve um mundo fantástico, isso super me agradou! A capa está realmente maravilhosa, a editora Bertrand super caprichou nessa edição!
    Vou aproveitar as férias para ler "O Livro das Coisas Perdidas" e espero ficar tão encantada quanto você! :) Bjs
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Bem, eu já não me interesso muito pelo 'fantástico' em alguns livros, mas quero acreditar que esse autor soube escrever um bom fantástico de tantas resenhas positivas que leio sobre os livros dele. Estou muito curiosa em ler algo dele *_*

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi =)

    Desde que vi o lançamento deste livro fiquei super curiosa para conferir. E a sua resenha é a primeira opinião do livro que paro para ler. Parece ser uma fantasia tão bacana e ter uma construção tão boa do protagonista... Estou bem ansiosa pra ler também. Adorei a resenha flor!

    Beijos,
    Livy
    No Mundo dos Livros

    ResponderExcluir
  10. oi na verdade eu li esse livro já e não me arrependo de nada,na verdade eu ganhei ele a uns anos e sempre que eu estava perto do final ocorria imprevistos ou surgiam viagens ou algo desse tipo que me fazia parar de ler ele,mais hoje finalmente conseguir ler ele todo e coma penas 11 anos de idade irei fazer doze e estou muito impressionada com o conteúdo da história,amei muito esse livro.História digna de ser lembrada... <3 <3

    ResponderExcluir