17/12/2014

Resenha: Infinity Ring #5 - A Caverna das Maravilhas

Título: A Caverna das Maravilhas (Infinity Ring #5)
Autor: Matthew J. Kirby
Editora: Seguinte
Páginas: 240
A próxima parada da série Infinity Ring é na Bagdá de 1258. É para lá que o Anel do Infinito manda Sera, Dak e Riq, com o objetivo de corrigir mais uma falha histórica em sua missão de salvar a humanidade. Em meio a caravanas de mercadores e feiras onde são vendidos perfumes, sedas, tapetes e especiarias, os três aventureiros precisam descobrir um jeito de impedir a destruição de uma das maiores bibliotecas da época.

Os mongóis estão cada vez mais perto, e o cerco a Bagdá é inevitável. Pelo que Dak sabe, os invasores vão jogar todos os livros da cidade no rio Tigre, até deixá-lo preto de tanta tinta! Mas a importância dessas páginas vai além da preservação de documentos históricos: sem as informações contidas ali, os três viajantes do tempo não poderão continuar a missão, e tudo o que eles conseguiram até então irá por água abaixo. Neste quinto volume da série, os riscos são maiores do que nunca.



Depois de ter amado o quarto livro da série Infinity Ring, A Maldição dos Ancestrais, eis que a Editora Seguinte foi mais uma vez rápida no gatilho e lançou poucos meses depois tão aguardado quinto volume da série, intitulado A Caverna das Maravilhas (existe coisa melhor do que não precisar esperar muito para o lançamento do próximo volume de uma série? <3). Não dá para escapar: a cada novo livro, o meu amor por essa série cresce. Sendo o mais importante dentre os cinco que foram lançados até agora, A Caverna das Maravilhas é carregado de história, diversão e o principal: muita aventura!

- Sem esse livro - revelou Arin - a primeira e importantíssima Grande Fratura, a Fratura Fundamental, não poderá ser corrigida, e a missão inteira estará condenada ao fracasso. Novas Fraturas vão começar a ocorrer, mais rápido do que poderíamos dar conta. A Terra será destruída pelo Cataclismo. Nós, Guardiões da História, sempre soubemos que chegaria o momento de resgatar esse conhecimento sobre a Fratura Fundamental. p. 25
Em sua décima segunda viagem pelo tempo, Dak, Sera e Riq agora estou nos arredores de Bagdá, no ano de 1258. Eles terão a missão mais importante até agora: se esta fratura na história não for resolvida, tudo o que eles passaram até então terá sido em vão e o mundo enfrentará o Cataclismo. Para isso, eles terão que recuperar os escritos de Aristóteles, que podem ser destruídos a qualquer momento por uma invasão na cidade. Sem nenhuma informação a mais do que vão encontrar, os três amigos embarcam em uma aventura que pode decidir o destino do mundo.

Assim como os quatro livros antecessores, A Caverna das Maravilhas tem começo, meio e fim definidos, apesar de carregar uma história que engloba todas as aventuras dos amigos Dak, Sera e Riq como plano de fundo. Uma das coisas que eu mais gosto nessa série é como nenhuma aventura é igual a outra, afinal, em cada volume temos uma cultura diferente em destaque. Dessa vez temos uma Bagdá em pleno mercantilismo: vendedores de especiarias, tapetes e muito movimento por toda a cidade. O autor Matthew J. Kirby conseguiu colocar essa atmosfera confusa para dentro do enredo e tornou a aventura dos três amigos ainda mais complicada.

Esses três me impressionam cada vez mais: Riq e Sera estão ficando cada vez mais introspectivos devido aos acontecimentos dos últimos livros e isso é algo que me preocupa para os próximos volumes. Será que esse comportamento não vai afetar a atmosfera fluida e encantadora da série? Por mais que isso mostre um amadurecimento e uma consequência do que eles precisam enfrentar, espero mesmo que o próximo autor dê um jeito de resolver isso. Em contrapartida, a cada livro Dak me encanta mais com suas explicações históricas e com suas tiradas divertidas. Espero que ele continue assim nos próximos volumes.

– Agora vocês entendem como a história é importante, né? Não basta saber que as coisas aconteceram, é preciso entender como nós nos lembramos delas.  p. 62
Com mais uma aventura regada a história, A Caverna das Maravilhas nos leva por mais uma aventura deliciosa de ser lida. O autor Matthew J. Kirby, apesar de apostado em um enredo com uma narrativa mais lenta e com bem menos ação do que os volumes anteriores, não decepcionou e trouxe um livro a altura da série. Com apenas mais dois livros restantes na série (além do livro de extras da série), a pressão aumenta. Será que o mundo se verá livre do Cataclismo? Fica minha ansiedade para o que está por vir. 


Série Infinity Ring
1- Um Motim no Tempo
2- Dividir e Conquistar
3- O Alçapão
4- A Maldição dos Ancestrais
5- Caverna das Maravilhas
6- Behind of Enemy Lines
7- The Iron Empire

8- Eternity

4 comentários:

  1. Olá!

    Não conhecia a história, mas gostei da sinopse, com bastante emoção e aventura rs

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luara! Não conhecia essa série, mas adorei as resenhas! Quando der, vou ler!
    Ah, to seguindo o blog! Bjos
    http://www.mundoemcartas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Não conhecia essa série.
    Fiquei muito curiosa, pois adorooo livros de com bastante aventura. E isso é uma coisa que parece não faltar nessa série, né?
    Vou adicioná-lo á minha lista de desejados.
    Beijos

    >>Tem promoção de Natal e Final de Ano lá no blog. São livros, marcadores e vale presente. Não fique fora dessa!<<
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
  4. Ahhh Não li nenhum livro da série, tenho que ler! ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir