23/01/2015

Resenha: Fique onde está e então corra, de John Boyne

Título: Fique onde está e então corra
Autor: John Boyne
Editora: Seguinte
Páginas: 224
Alfie Summerfield nunca se esqueceu de seu aniversário de cinco anos. Quase nenhum amigo dele pôde ir à festa, e os adultos pareciam preocupados - enquanto alguns tentavam se convencer de que tudo estaria resolvido antes do Natal, sua avó não parava de repetir que eles estavam todos perdidos. Alfie ainda não entendia direito o que estava acontecendo, mas a Primeira Guerra Mundial tinha acabado de começar. Seu pai logo se alistou para o combate, e depois de quatro longos anos Alfie já não recebia mais notícias de seu paradeiro. Até que um dia o garoto descobre uma pista indicando que talvez o pai estivesse mais perto do que ele imaginava. Determinado, Alfie mobilizará todas suas forças para trazê-lo de volta para casa.


John Boyne. Nome e sobrenome que sempre me arrepiam. Seus livros significam tanto para mim, que, não importa o que ele escreva: se algum dia ele resolver se aventurar pelos chick-lit ou então publicar sua lista de compras, com certeza serei a primeira da fila para ler (afinal, o segredo da genialidade dele pode estar em alguma coisa que ele come...). Não existe um único livro dele que eu tenha lido e que não tenha me comovido, que não tenha mexido pelo menos um pouquinho comigo. É claro que com Fique onde está e então corra não foi diferente: um livro simples, mas com uma lição de amor que emociona qualquer leitor. Este é mais um dos fantásticos livros do autor.

Pela melhor razão do mundo - ele explicou - Por amor. p. 30
Poucos autores conseguem usar fatos históricos para montar seus enredos tal como faz John Boyne, afinal, isso exige muita flexibilidade para que o a história não se torne maçante para aqueles que não estão familiarizados com o que está sendo abordado. Com seu toque de maestria, em Fique onde está e então corra ele nos leva pela Primeira Guerra Mundial, ao nos contar a história através da narrativa de Alfie Summerfield, um garoto que com apenas cinco anos viu seu pai partir para ser um combatente pelo seu país e que depois de quatro anos ainda alimenta a esperança de ver seu pai novamente. Apesar de já termos visto esses mesmos elementos no outro livro do autor – O menino do pijama listrado –, Boyne consegue dar um novo olhar e fazer uma história totalmente original.

O que faz isso acontecer é a sensibilidade empregada em Fique onde está e então corra, que com certeza é o ponto principal do livro. A história não é focada na guerra e sim em seus efeitos para aqueles que lutam e para aqueles ficam para trás. Boyne conseguiu pegar uma temática densa, triste e que provavelmente foi realidade para muitas famílias que viveram a época da Primeira Guerra Mundial e transformar em algo com o qual o leitor se envolve e cria um sentimento de empatia. Além disso, o desenvolvimento do enredo é fluido e segue um desenvolvimento gradual e crescente, chegando a seu ápice nos últimos capítulos, o que faz com que ninguém consiga parar de ler enquanto o livro não acabar.

A belíssima construção dos personagens, tanto do protagonista quanto dos secundários, também é um dos pontos altos do livro. Como Alfie, o protagonista, é uma criança de nove anos de idade que teve que amadurecer antes da hora por causa das circunstâncias da vida, temos momentos em que o menino enxerga a vida como um adulto e outros em que ele é tão vulnerável que só precisa que alguém cuide dele. Não tem como o leitor não se envolver diretamente com isso e se emocionar ao longo das páginas. Sem contar que os personagens secundários também são extremamente cativantes e fazem toda a diferença no final das contas.

Nada mais teria importância no mundo de hoje. Fique onde está e então corra - é o que ele fica repetindo e repetindo. Fique onde está e então corra. Não faz sentido. p.92
Se você nunca leu nenhuma obra do John Boyne, eis uma excelente forma de começar. Neste livro estão reunidas todas as características marcantes do autor: um enredo com um fato histórico como plano de fundo e muito bem desenvolvido, uma narrativa fluida e personagens muito cativantes. É impossível não se emocionar com a história de amor, de luta, de sobrevivência e de esperança que é Fique onde está e então corra. Leia com o coração aberto e a emocionante trajetória de Alfie Summerfield ficará para sempre com você.

PS.: Vocês terão que ler só para descobrir o que significa o título. Sim, é um desafio e sim, estou fazendo isso para que vocês leiam o quanto antes. LEIA! 

11 comentários:

  1. Do Boyne só li mesmo "O Menino do Pijama Listrado", e acho que foi uma das melhores leituras que já tive o prazer de ter, e foi o suficiente pra consagrar o autor como um dos meus preferidos do gênero. É interessante como ele consegue juntar ficção com fatos históricos, coisa que poucos autores conseguem realmente fazer funcionar - como Ken Follett, Conn Iggulden, Bernard Cornwell etc. Em geral, já está na minha wishlist, porque PRECISO ler mais John Boyne, e "Fique Onde está e então Corra" parece ser a melhor escolha no momento.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ler esse livro , to super curiosa por causa do título, nunca li nada desse escritor e acho que essa pode ser uma chance de coneçar, ja li varios elogios. Otima resenha.

    ResponderExcluir
  3. De fato, quando li a sinopse, pensei "Ué, mas o Boyne já não escreveu um livro assim?". Mas a escrita dele é tão gostosa que acho que vale a pena arriscar.
    bjo!

    ResponderExcluir
  4. Lu, eu te pego!

    Nunca li nada do John, mas todo mundo vive falando horrores sobre a escrita dele é boa e etc e eu sempre fico curiosa.

    E odeio ser desafiada e você vem e faz isso? Agora vou ter que dar meus pulos e ler esse livro o quanto antes.

    Gostei muito da sua resenha e confesso que, mesmo antes do desafio, a vontade de ler já tinha aparecido. Tô precisando de história assim.

    Beijos,

    Ananda!
    http://www.entrelinhascasuais.com

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Faz tempo que este livro chama minha atenção e eu quero muito ler.
    Ai, fazia um tempinho que não passava por aqui, menina eu ameiiii seu layout.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Oiee

    Já li este livro e ele está na minha lista de melhores leituras amooo demais esta história o unico livro do autor que não gostei é do Noah achei meio sem sentindo mas esse foi perfeito assim como o Menino do Pijama Listrado!

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  7. Comecei a ler O Menino do Pijama Listrado mas não continuei, acho que porque era muito nova. Mas estou querendo muito ler esse, e você só aumentou essa vontade rs. Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  8. Luara que resenha incrível! <3
    Boyne é um autor que eu preciso ler mais, li só O Menino do Pijama Listrado dele e de fato vi muitas semelhanças com esse enquanto lia a resenha. O que só me deu mais vontade de ler, além do fato de amar histórias que se passam durante as Guerras, acho que são as mais fortes e emocionantes, principalmente quando se toca no ponto da separação das famílias. Uma coisa que acho interessante no John é a narração dos livros dele serem pelo ponto de vista de crianças, acho que isso dá um tom que cativa o leitor e nos faz criar maiores laços com a história! Se tiver a oportunidade pode deixar que vou ler, até porque sempre fiquei curiosa com esse título hahaha
    Beijooos, sua linda!
    Debora.
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Do autor já li "O Palácio de Inverno" e pretendo ler mais livros dele... Realmente a escrita do autor é excelente, misturando ficção com história, e após ler seu livro a estória ficou na minha mente por meses!

    ResponderExcluir
  10. John Boyne é apaixonante... como não amar Bruno e Shmuel???... acabo de ler "fique onde está e então corra" e o mesmo aconteceu... como não se apaixonar por Alfie... e toda a sua história e toda as usa luta, e principalmente, toda a sua força de vontade.
    adoro livros recheados de história, guerras, revoluções...
    o autor é espetacular, recomendadíssimo!!!

    ResponderExcluir
  11. Realmente um ótimo livro para ser introduzido ao mundo de John Boyne. Não conhecia o trabalho do autor, apenas ouvi muitos elogios sobre O Menino do Pijama Listrado, mas até hoje não parei para ler, o que vou fazer assim que terminar o volume três da Millennium que já comecei.
    Fique onde está e então corra é maravilhoso, realmente um livro simples, mas que me conquistou desde o começo. A forma que Boyne introduz a história no meio de um acontecimento tão marcante como a 1ª Guerra Mundial é incrível e prende o leitor do começo ao fim. Concordo com o ponto que você destaca, sobre o fato da gente não conseguir parar de ler quando chega nos últimos capítulos. Ontem mesmo aconteceu isso comigo e não consegui parar enquanto não chegava no final do livro. O desfecho da história é maravilhoso e emocionante, impossível não derramar uma lágrima com aquela narrativa onde Alfie perde o pai no meio da estação e logo depois o mesmo aparece na casa de Joe.

    Como disse, não conhecia o trabalho de Boyne, mas depois desse livro faço questão de mudar esse detalhe e vou continuar buscando os outros trabalhos da autor.

    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir