13/04/2015

Resenha: Sem Esperança, de Colleen Hoover

Título: Sem Esperança (Hopeless #2)
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera
Páginas: 320
Assombrado pela culpa e pelo remorso por não conseguir salvar Hope nem Less, Holder desenvolveu uma personalidade agressiva. Mas, quando finalmente se depara com Hope depois de tantos anos, não poderia imaginar que o sofrimento seria ainda maior após o reencontro. Em Sem esperança, Holder revela como os acontecimentos da infância de Hope, que agora se chama Sky, afetaram sua vida e sua família, fazendo-o buscar a própria redenção na possibilidade de salvá-la. Mas é apenas amando Sky que ele finalmente será capaz de começar a se reconciliar com si mesmo.



Tenho que admitir que eu estava com muito medo de ler Sem Esperança. Por ser a mesma história do livro Um Caso Perdido (resenha) tratada por um outro ponto de vista, tudo poderia acontecer: desde ele ser incrível até destruir a leitura maravilhosa que tive com o primeiro livro da história escrita por Colleen Hoover. Felizmente eu não contava com um ponto super importante: que a autora iria trazer um protagonista ainda mais apaixonante dessa vez. Ainda não consigo conter os suspiros quando lembro de Holder e isso fez toda a diferença para que esse livro se tornasse único. <3 É amor demais!

Nunca tinha olhado para frente antes. Só olhava para trás. Penso demais no passado e penso no que deveria ter feito e em tudo o que fiz de errado e nunca olhei para frente na vida, nenhuma vez. Ficar com ela me fazia pensar no amanhã e no dia depois de amanhã e no dia seguinte e no ano seguinte e na eternidade. Preciso disso agora, pois se eu não abraçá-la de novo… vou terminar olhando para trás mais uma vez, deixando o passado me engolir completamente.
Vamos aos fatos: não é todo autor que consegue a proeza de pegar uma história e transformá-la em algo totalmente diferente sob um ponto de vista diferente. Já vi muitos casos em que a história se tornava repetitiva e cansativa e esse é um dos grandes motivos para eu sempre ter receio quando se tratam de livros assim. Eis que surgiu a oportunidade de ler Sem Esperança e tive que colocar na balança diversos fatores para decidir se iria lê-lo ou não e, o fato de ser uma das histórias New Adult que eu mais gosto levaram a balança a pender para o lado positivo e resolvi me arriscar. Mas não esperava que Colleen Hoover fosse me surpreender.

Se você ainda não leu Um Caso Perdido, eis uma constatação: o final é bem fechado e não pede por uma continuação, porém o brilhantismo de Hoover está no fato de que ela fez com que Sem Esperança se tornasse um complemento praticamente necessário para que a história fosse totalmente desenvolvida: ela pegou os fatos já conhecidos pelo leitor e lhes deu um tom completamente diferente, além de aproveitar as pontas soltas que ficaram para desenvolver o enredo. Ou seja: apesar de vermos a mesma história, em nenhum momento ela se torna cansativa, uma vez que a abordagem a torna totalmente única.

Mas, o principal fator para que isso aconteça é o protagonista, Holder. Ao ver a história sob seu ponto de vista, pude entender várias das atitudes que ele teve em Um Caso Perdido e bom, não posso negar que isso só fez com que eu me apaixonasse ainda mais por ele *suspiros*. Porém, o grande diferencial de Sem Esperança é a forma como a autora conseguiu transmitir os sentimentos de dúvida, culpa, dor, amor e paixão do personagem, pois você consegue sentir a intensidade e a complexidade de Holder e eu só tenho elogios para como a autora desenvolveu esse lado.

Quando um garoto ama uma garota, especialmente a irmã, deveria saber o que a faz sorrir e o que a faz chorar. Mas eu não sabia. E não sei. Então me desculpe, Less. Desculpe mesmo por ter deixado você fingir que estava bem quando era óbvio que não estava nada bem.
Para mim, não existe Um Caso Perdido sem Sem Esperança. A história ganha uma dimensão completamente diferente quando você lê os dois livros, já que um complementa o outro de uma forma inacreditável. Pela primeira vez uma continuação com a mesma história sob outro ponto de vista me convenceu a ponto de eu afirmar que não dá para você ter uma visão completa sem ler os dois livros. É claro que ambos podem ser lidos independentemente do outro, mas, vão por mim: Colleen Hoover convence e nos presenteia com uma história de tirar o fôlego. Maravilhoso! 

Um comentário:

  1. O único livro da Colleen Hoover que eu li foi Métrica, que por sinal amei. Mas não tenho muita votnade de ler os outros livros dela, não sei poque rs.

    http://umviciadoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir